Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

O caminhante do mundo.

Estou a caminhar neste mundo há algum tempo,
Tempo que não sei precisar, 
O tempo é de Deus, infinito do cosmos,
Do meu caminho, o tempo é uma fagulha, breve, muito breve.

Nem me lembro, o primeiro caminho,
Não me lembro nem das primeiras palavras balbuciadas,
A inércia foi me levando à razão,
O tempo me levou para o caminhos de chão batido.

O caminho foi abrindo, sem minha visão,
O caminho do futuro, parecia infinito, longínquo, 
Tão longe, quanto minha visão me permitia,
O caminho terminava no horizonte, sempre.

O tempo foi passando,
O horizonte nunca chegava,
Quanto mais caminhava mais longe ficava,
Descobri que o caminho não tem fim.  

No caminho encontrei muitas pedras,
Pedras que me faziam doer os meus pés descalços,
Das dores fui aprendendo os ensinamentos,
Dos ensinamentos que pouco valeram no caminho da vida.

Dei várias pausas, como que esperasse a mudança,
Não, não mudou,
Ganhei novas forças e continuei a caminhar,
Mas, o horizonte, parecia estar sempre longe.

Encontrei vários transeuntes,
Uns para trocar, apenas algumas palavras,
Outros para trocar pensamentos.
Volto a caminhar, só, rumo ao mesmo horizonte.

As minhas mochilas são sempre mesmas,
Cheias de esperanças e de futuro,
As esperanças e futuros que foram alimentos para prosseguir,
E estou a caminhar, novamente.

Encontrei flores no meio do caminho,
As flores para dar vida ao caminho de chão batido,
São flores que parecem insignificantes para os caminhantes,
Elas são belas se parar para tocá-las.

Descubro que o horizonte nunca chega,
O horizonte é como utopia, nunca chega,
O que importa são flores das relvas,
Deixei de olhar apenas o horizonte, olho as flores das relvas.

Olho e aprecio as flores das relvas,
Os detalhes, são diferentes uma das outras,
São individuais, nunca iguais, 
Colho uma, me fará companhia, me fará a diferença.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 


4 comentários:

  1. Saka, esse texto é muito bonito. Fiquei emocionado... Parabéns pela sensibilidade. Abço do amigo Old Monster :)

    ResponderExcluir
  2. Amigo Sakamori. Emocionante seu texto. Sempre longe está um horizonte para os sensíveis...abraço da amiga Neide

    ResponderExcluir
  3. Boa noite amigo Sakamori, Lindo, sensível. Amei. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Ah meu Mestre Sensei!

    De Economista a Poeta. O que a vida nao nos ensina que nao possamos transpirar da alma o que vai no coração.

    Significa este seu novo tempo em que curte nova fase em que experiementa sabores e dissabores e os transforma alquimicamente em palavras que gostarmos de ler e de sentir.

    Que privilégio ser seu amigo, seu discipulo grande Samurai do TT.

    Que o novo tempo (o ociidente) que se aproxima lhe renove esta capacidade indelével de transformar nossos dias com informações e estas gratas surpresas do que vai em sua mente.

    Cumprimentos meu eterno mestre.

    Com afagos na alma e toda admiração do mundo

    José Carlos Bortoloti
    www.epensarnaodoi.blogspot.com.br
    Passo Fundo - RS -

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.