Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 21 de dezembro de 2013

Reflexão. Haddad é igual ao Naoki Inose?

O prefeito de Tóquio, Naoki Inose, renunciou no último dia 19, após ter seu nome ligado ao  escândalo financeiro da sua campanha eleitoral.  Não houve comprovação do seu envolvimento, mas apenas denúncia de ele ter recebido Y$ 50 milhões (equivalente a R$ 1,15 milhões) de um outro parlamentar filho do presidente do grupo médido Tokushukai.

Como de praxe no Japão, Naoki Inose, teve que dar entrevista coletiva para imprensa japonesa e pedir desculpas, além de explicar o motivo da renúncia, fazendo máxima reverência aos espectadores, pelo suposto crime cometido.  A polícia japonesa, o equivalente a Polícia Civil daqui, já teria detido 6 pessoas do grupo que supostamente teria financiado a campanha do prefeito.

Só para vocês entenderem, a cidade de Tóquio, além de ser capital do Japão, é ao mesmo tempo centro financeiro daquele país, com cerca de 13,2 milhões de habitantes.  Seria equivalente em termo de dinâmica financeira, à cidade de São Paulo, que tem 11,3 milhões de habitantes além de ser o centro financeiro do Brasil.  O prefeito de Tóquio é eleito em eleições direta como aqui em São Paulo.

O que venho chamando atenção, nas minhas inúmeras matérias aqui postadas, não é o aspecto da corrupção ou dos financiamentos de campanhas eleitorais, mas sim, o volume de dinheiro que envolve nos escândalos financeiros brasileiros.  Digo isto, porque a argumentação dos contras minha opinião é de que corrupção é mal da humanidade e que há em todas partes do mundo.  Isto vale como tese para fazer prevalecer a impunidade no País.

Poxa, o prefeito de Tóquio que renunciou, porque pesa sobre ele acusação, mas não provada ainda, de ter recebido para sua campanha eleitoral cerca de R$ 1,15 milhões equivalente de um grupo médico tal qual algum Plano de Saúde do Brasil.  Sabemos que no Brasil, o lote mínimo de corrupção ou roubalheira de dinheiro público é de R$ 20 milhões.  Quantos parlamentares, já foram envolvidos em supostos desvios de dinheiro público pelas ONGs fantasmas, que nem sequer tinham endereços físicos.

Bem o prefeito Fernando Haddad de São Paulo está apurando um escândalo de desvio de dinheiro do ISS no montante estimado em R$ 500 milhões, isto é mais do que 400 vezes o valor do escândalo japonês em que o prefeito de Tóquio teve que renunciar.  Segundo, as notícias, os fiscais bagrinhos agiam nas gestões dos ex-prefeitos José Serra e Gilberto Kassab.  E com agravante, o braço direito do atual prefeito recebia, segundo a imprensa, mensalinho destes mesmos fiscais.  Aliás, um deles foi nomeado como homem de confiança do braço direito, licenciado, do prefeito Fernando Haddad.

No País da impunidade é assim.  Segundo a imprensa, os bagrinhos roubaram debaixo do nariz do José Serra, Gilberto Kassab e Fernando Haddad, montanha de dinheiro para ninguém botar defeito, ou seja R$ 500 milhões.  Bem, lembrando que o prefeito de Tóquio recebeu doações ilícitas para sua campanha no valor de R$ 1,15 milhão.  Lembrando que aquele prefeito, o de Tóquio, apesar de ainda não denunciado formalmente, teve que renunciar.

Outro fato que venho chamando atenção de que R$ 20 milhões ou R$ 500 milhões de roubalheira está virando rotina e sendo praticado pelos bagrinhos da república.  Poucos vão para Papuda, isto já sabemos.  É por esta e outras razões, que quando falo em indícios de desvio de R$ bilhões nos altos escalões da República, nada acontecem.  Pelo contrário, sou bombardeado pelos inimigos da pátria, sistematicamente.  

Dizem que, nas minhas denúncias, não apresento provas.  Pois não faço parte do MP ou das polícias para produzir provas.  Apresento denúncias, mas creio que existe instituições da República para apurar os fatos e colher provas.  As sucessivas denúncias que apresento, vão se confirmando no decorrer do tempo, apesar dos contras.  Mas, nada acontecem.  Pelo contrário, os envolvidos nos escândalos continuam influenciando fortemente no governo central.

Sugiro que todos os políticos envolvidos em escândalos financeiros envolvendo dinheiro público, renunciem aos mandatos, para mostrar ao mundo que o Brasil é um país sério.  Vão sobrar poucos, isto tenho certeza, também.  Os probos que não se sintam ofendidos, porque estou os excluindo das críticas!

Vamos apostar no Brasil, comigo, vamos? 

Nota: Não sou candidato a nenhum cargo eletivo.

Ossami Sakamori





2 comentários:

  1. Querido Saka, em primeiro lugar quero desejar a voce e toda a sua familia um Feliz Natal com muita saude e paz. Percebo que voce ainda tem a esperanca de que este Pais seja considerado um Pais serio, mas infelizmente eu ja nao tenho o mesmo pensamento. A cada dia se descobre grandes desfalques no Pais, justamente por homens que dirigem nosso Pais, homens que deveriam cuidar e respeitar o povo brasileiro, mas isso nao aocntece. Eles nao sao exemplo de nada, pois sao o resultado de tanta violencia conhecida ate internacionalmente. Nao vejo esse Pais como um lugar saudavel para se viver, pelo contrario, se fosse mais jovem, com certeza nao estaria vivendo aqui! Um abraco e tenha um otimo domingo.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que o Brasil não é igual ao Japão, diriam alguns 'japoneses' que vivem no Brasil. Fiquei com vergonha por vc depois de breve pesquisa no Google. Quantos processos e condenações tem o velho Saka?

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.