Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Marco civil da Internet.

FolhaEm conversa com jornalistas no Palácio do Planalto, a ministra disse que a presidente Dilma Rousseff "não abre mão" de trechos do projeto que asseguram questões como a neutralidade da rede (utilizado para definir que o acesso a todos os sites precisa ser feito na mesma velocidade e que não podem ser vendidos pacotes específicos) e a armazenagem de dados em território brasileiro. 

Comentário.  

O assunto é pertinente às matérias anteriores sobre a suposta interferência dos militantes de determinados partidos.  Disse na matéria anterior, que faz parte da Teoria da Conspiração.  Conspiração à vontade soberana do povo, inverso daquilo que possa imaginar.  

Felizmente, algumas exigências são letras mortas.  A armazenagem de dados em território brasileiro, das redes sociais por exemplo, não há como vingar.  É difícil separação de dados entre usuários que acessam de diferentes pontos do mundo.  

A censura ou interferência nas redes sociais acontecem na República Popular da China.  O país adota regime comunista, abrandado pela democratização cada vez mais na área econômica e financeira, mas rígido no comportamento político da população, daí a censura na internet.  

Nem vamos aprofundar neste assunto que me dá enjoo só de pensar no controle da mídia pelo regime militar de 1964.  O discurso de hoje é exatamente igual dos anos do chumbo.  Os métodos, também.  Creio, o atual regime, o bolivariano, estar se esgotando.  Tomara que eu tenha visão correta do momento político que vivemos.

Ossami Sakamori 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.