Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 29 de dezembro de 2013

Dilma perderá eleições de 2014! (postado em 29/12/2013)

Demorou para alguém com certo peso na economia, emitir opinião sobre o equívoco da política econômica da presidente Dilma.  Para quem não se lembra ele foi o idealizador do desastrado Plano Cruzado do governo Sarney que deu no que deu.  O último mês do governo Sarney, a inflação bateu 81% ao mês. 

Com forte influência na formulação da política econômica da presidente Dilma é de crer que teve o dedo do professor Luiz Gonzaga Belluzzo, para cometer o mesmo erro que culminou com o fracasso do Plano Cruzado.  

Entendo que, na prática, o professor está abandonando o barco que ele próprio era o timoneiro oculto do plano econômico (sic) da Dilma pois, agora, faz crítica contundente sobre tudo que ele pregou antes.  Vejam os trechos da notícias da Folha e meus comentários na sequência. 

Folha. O Brasil precisa mexer na política cambial. A valorização do real por vários anos fez com que empresários virassem importadores e a indústria encolhesse. Por isso, o crescimento patina. Se o enrosco não for resolvido, pode haver recuo. O diagnóstico é do economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, 71, professor da Unicamp, ele foi mestre de Dilma Rousseff.  


Folha. Ele avalia a ex-aluna: "Ela está seguindo os cânones dominantes. Deu uma recuada diante da correlação de forças. Com o câmbio muito fora do lugar e essa situação internacional, haverá dificuldades de reativar a economia". Na sua visão, "o governo está perdendo a batalha ideológica e política para o mercado financeiro". 

Comentário.

Ele faz uma espécie de revisão do pensamento que pregara tempo todo, qual seja a intervenção direta do governo na economia, sobretudo em câmbio e preços administrados.  Agora, professor Luiz Gonzaga Belluzzo faz aconselhamento ao contrário.  O que ele prega hoje é exatamente o que venho chamando atenção do governo Dilma sobre o erro sistêmico que ora o professor prega.

O exemplo de como não deve ser feito, existem vários, na própria história do País.  Senão, vejamos, o Plano Cruzado, Plano Bresser, Plano Verão do governo Sarney, o Plano Collor I, Plano Collor II do governo Fernando Collor.  Foram todos planos desastrados, que acabou culminando no Plano Real do governo Itamar Franco, para devolver estabilidade da moeda ao País. 

Basicamente, o professor Luiz Gonzaga Belluzzo aponta erros, mas não mostra o plano de saída.  Todos os planos anteriores se esbarraram propriamente na saída do "congelamento" dos preços.  Há que considerar que existe um "Plano Lula" e "Plano Dilma" embutidos no Plano Real do Itamar Franco.  O Plano Lula de 2009/2010, com extensão agora o "Plano Dilma", 2010/2013, vem rechegado de equívocos que levaram ao fracasso dos planos anteriores ao do Real. 

O governo Dilma, com o seu "Plano Dilma" quer levar a saída para após eleições de 2014.  Não, não vai conseguir.  A saída deve começar agora, imediatamente, sob pena de dar no que deu todos os planos econômicos anteriores.  Se até o conselheiro econômico da presidente Dilma está abandonando o barco é porque ele não quer se comprometer com o resultado da economia para o próximo ano.

Curiosamente, todos os planos anteriores fracassaram por conta do calendário eleitoral.  E desta feita, não será diferente, o "Plano Dilma" vai fracassar pela demora na saída do engessamento da economia.  Todos planos fracassados, na ante-véspera do desastre, havia um ar de "sensação de poder e riqueza" do povo brasileiro, tal qual acontece no "Plano Lula" e "Plano Dilma". 

Quanto mais tarde a correção de rumo, maior será a queda.  Com 45 anos de janela no mundo empresarial e financeiro, a presidente Dilma, não vai conseguir segurar o "Plano Dilma" até as eleições de outubro de 2014.  Em consequência, Dilma perderá eleições, no segundo turno, com derrota acachapante. 

Ossami Sakamori
@SakaSakamori 


5 comentários:

  1. Dilma é discípula de Lula, que votou contra o Plano Real. Se ele(Lula) era contra o Plano Real então deveria ter um outro melhor. No entanto, quando foi Presidente da República aproveitou do Plano Real o quanto pôde e começou a acabar com o mesmo. Dilma veio atrás detonando o que sobrou.
    Os petistas não tem plano algum, muito menos econômico; a não ser o de perpetuar-se no poder. O que eles tem de sobra é língua má para falar mal dos outros. Quanto ao economista professor da Dilma, não dá nem para comentar.
    O ruim é que independente de quem for governar em 2015, nós estamos ferrados. Se for o PT(espero que não), vão arrochar nos impostos. Se for candidato da oposição, para arrumar a casa vai ser difícil e terá de ajustar a economia com medidas impopulares e como a população não se interessa em entender esses assuntos vai acabar achando que no tempo do PT era melhor e, lá vem em 2018 o PT, de novo.

    ResponderExcluir
  2. dilma com certesa perde as eleicao no Segundo tuno o qusto devida esta muito auto brasil presisa de virar pt nunca mais

    ResponderExcluir
  3. "Derrota acachapante" se a urna maldita ñ for fraudada...

    ResponderExcluir
  4. Sem dúvida, a política econômica de Dilma é um desastre!! Mas dizer que o Belluzo mudou de opinião é um exagero. Ele é um dinossauro desenvolvimentista da Unicamp... e vai sempre defender a mão pesada do EStado na economia. O que ele disse é simplesmente o óbvio: não cabe sacrificar a indústria nacional por causa do populismo petista!!!

    ResponderExcluir
  5. Realmente, o Lula e a Dilma se aproveitaram do plano real. Poderiam ter melhorado alguma coisa. Mas por incopetência estão destruindo o que custou caro para conquistar. O plano vai a bancarrota com essa gente no poder.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.