Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 14 de dezembro de 2013

O Barba, chefe do tráfico de influência!

Folha"Se for comparar os erros do PT com os erros dos outros partidos políticos... Se for comparar o emprego do Zé Dirceu com a quantidade de cocaína no helicóptero, a gente percebe que pelo menos houve uma desproporcionalidade no assunto", disse Lula nesta quinta-feira (12) diante da presidente Dilma Rousseff na abertura do 5º Congresso do partido, em Brasília. 

Comentário.

Quando leio uma declaração desta, vindo de um ex-presidente da República, fico um tanto desanimado com relação ao ambiente político no País.  Dá a impressão que são futricas entre duas facções do narcotráfico da favela do Rocinha ou do morro do Alemão.

Os citados na conversa do Barba, na sua facção criminosa PT, ambos nomes não merecem 1 tostão furado.  Independente de que partidos pertencem, tanto o Zé Dirceu como o deputado dono do helicóptero, praticaram ou praticam atos condenáveis perante qualquer olho.   Não precisa de detalhar o assunto, porque sabemos que os dois indivíduos estão metidos até o pescoço com a criminalidade.  Papuda para os caras!

Como disse o chefe da Controladoria Geral da União, Jorge Hage, em outras palavras de que, citando o exemplo do mensalão, os verdadeiros culpados ficaram impunes.  Se o Jorge Hage, não pode dizer, eu digo.  O verdadeiro mandante do mensalão é o Barba!  Ele, o Barba, só ficou fora do processo mensalão graças à manobra hávil do ex-ministro da Justiça Márcio Bastos, que inventou a tese do não conhecimento.  Em outras palavras, o Barba não sabia de nada do que acontecia no gabinete ao lado do seu.  Lembrando que o processo mensalão teve duração de 2 anos.  E o Barba não sabia de nada!

Outro episódio que não me sai da cabeça é a presidente Dilma ter dato recado para o José Genuíno, já preso na Papuda, via programa matinal de rádio.  Foi uma espécie da palavra de conforto para o apenado José Genuíno.  Pareceu-me uma comunicação entre os apenados do narcotráfico com os seus fieis escudeiros.  Aquela atitude da Dilma, no cargo de presidente da República, mandando recado via programa de rádio, foi um chute no meu saco.  

Fico triste em ver a situação do País, sendo comandado pelos traficantes de influências.  Fico chateado, mesmo!  E eu é que estava, no lado oposto do regime militar na época do estudante, fico enojado em saber que o Lula era informante do Doi/Codi.  Quem diria.  O Barba, à época do sindicalismo, eu do lado dos empresários, era agente infiltrado do regime militar, segundo Tuma Jr.  Ele era pelego dos empresários que mandam até hoje, no governo.  E eu defendia os empresários nos efeitos mais práticos da mundo sindical.  

Há dois dias que estou com uma conta da rede social, suspenso sem uma explicação, mesmo instado.  Não faltará muito tempo, para receber ordens de fechar este espaço cedido gratuitamente pela empresa Google.  Minha luta será sempre através de palavras, assim como foi, no regime militar.  Sou adepto ao pensamento do Mahatma Gandhi, o de não violência.  Só espero que o confronto seja por meio de palavras.  

Ossami Sakamori


Um comentário:

  1. Pelo meu entendimento, pelas minhas crenças, não estamos no Brasil a troco de nada, nem de graça.
    Merecemos estar no Brasil (eu certamente mereço)
    O Bushido você aceitou, eu aceitei e quem mais aceita não pode retroceder.
    Estamos fazendo nossa parte, da melhor maneira que podemos, com recursos que temos.
    Somos poucos e pequenos, mas fazemos movimento. Aliás, você deve conhecer o "movimento browniano", não?
    Pois é, nós fazemos o movimento.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.