Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Oposição e situação são como gatos siameses!

Onde está a oposição?  A presidente Dilma executa política econômica equivocada, com erro sistêmico difícil de se manter por longo tempo.  É um misto de política econômica liberal com a que tem de mais atrasada política econômica.   Oposição é volta à política econômica do neoliberal ou falso liberal do FHC?

Os candidatos da oposição, defendem teses semelhantes ao do governo Dilma.  Ao contrário, querem chamar atenção na semelhança dos programas atrasados de assistencialismo por assistencialismo, sem porta de saída.  A oposição tem medo de contrapor à atual política de assistencialismo à camada mais pobre da população.  Nem menos, a oposição apresenta programas alternativas à política econômica do atual governo.

Tanto situação como oposição, pensam com a cabeça de uma teoria econômica que privilegia o capital em detrimento ao sistema produtivo.  Ambos pensam no assistencialismo como pilar da política social.  Não pensam na revolução tecnológica, apenas pensam em importar fábricas "pacotes fechadas" como as indústrias automobilísticas.  Não tem culhões para propor revolução produtiva no País, para não dizer revolução tecnológica. 

Tanto a situação como a oposição, não falam em expansão da economia via setor produtivo industrial.  Não falam em recuperação da participação do setor industrial, que de 26% no governo FHC passou para menos de 13% no governo Dilma.  Ninguém fala na erradicação do analfabetismo funcional, a chaga da sociedade brasileira. Nenhuma delas apresentam renovação da política educacional, de fundo.  Apenas falam, no setor educacional, a participação no PIB, como se o dinheiro fosse único problema da educação no País.

Nenhum dos candidatos apresentam plano de desenvolvimento econômico e social sustentável, de médio e longo prazo.  Algum deles apresentou algum plano?  Ao que sei, todos os candidatos  parecem ter encomendado programas de governo para seus respectivos marqueteiros.  Sim, o embate parece ser de marqueteiro contra marqueteiro.  Apenas diferem as figuras pessoais dos candidatos.  Todos candidatos só tem um propósito na cabeça, a conquista do poder.  Nada mais.  Não tem plano para o País.

Na minha visão, tanto Dilma, Aécio ou Campos, são medíocres na visão sobre o futuro do Brasil.  Disputam a mesma faixa de pensamento.  Pensamento ultrapassada de assistencialismo sem contrapartida.  Pensamento ultrapassada que atende em primeiro lugar o interesse dos banqueiros em detrimento do sistema produtivo.  Pensamento ultrapassada que relega ao segundo plano a inovação tecnológica.  Pensamento ultrapassada de querer sustentar o País com exportação de produtos primários e importação de produtos manufaturados. 

Oposição e situação são como gatos siameses!

Ossami Sakamori 
 

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Não temos oposição, voto nulo, sempre, mas apostei na Marina Silva porque acho que só ela apresenta propostas mais concretas para o Brasil. Campos não tem conteúdo, é um político provinciano. Aécio é um típico playboy da política, um tipo mais comum por aqui do que imaginamos...

    A oposição dos formadores de opinião é tola, pois vive de picuinhas moralistas postadas no twitter por exemplo. Dilma tem a máquina, os empresários e boa parte da mídia em suas mãos. Só uma oposição, com ideias e propostas poderia vencera Dilma. Dilma será reeleita, mas, ao contrário do que muitos dizem, não será por causa dos seus pacotes sociais, mas pela a ausência de oposição, o que configura numa grave crise política. Crise política real não se faz com escândalos que arrepiam os moralistas tuiteiros, crise política está nos detalhes. Não existe democracia na política sem o contraditório. Infelizmente, brasileiro pensa só na moral e no bolso, no caso da classe média ou na bolsa, no caso dos mais pobres, quando estoura alguma crise.

    Triste saber que no Brasil só escândalos políticos ou débâcles econômicos são capazes de derrubar um governo. O que deveria derrubar o governo é a política. E ideologia não é política. O PT vende ideologia como uma mentira, que muitos acreditam. PT fala para os pobres, mas age para os ricos, que se lixam para a classe média que os adora...

    Política não se faz com bolsas assistencialistas, política se faz com investimento em infraestrutura, educação - mas o PT prefere cotas, que são humilhantes. Marina Silva, assim como Machado de Assis, só se alfabetizou depois dos 14 anos, quer dizer, ela não se perdeu no meio do caminho por pouco... Obama, em plena crise dos EUA, fala em mais investimento em infraestrutura, que é o que garante o futuro de um país e de um povo.

    Apoio Marina, como oposição, mas desprezo Campos e Aécio, que, assim como o PT, falam para banqueiros e o agronegócio. Estou chateado, triste ao saber que Dilma terá mais quatro anos de poder graças à inércia da oposição. O que mais posso dizer? Dizer que você, Sakamori, disse tudo o que eu queria ouvir. O Brasil me decepciona. Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. A questao do assistencialismo sem contrapartida, sem porta de saida eh pior do que uma simples FALTA de planejamento. Quanto maior a necessidade de assistencia, mais cresce o poder do Estado, ficando mais facil nao so roubar o dinheiro do povo, mas tambem transformar isso aqui numa ditadura assumida - estamos caminhando para tal.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.