Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 3 de novembro de 2013

Gastos com juros. Brasil só perde para Grécia e Líbano!

Mais uma tese minha vem a ser confirmado com os indicadores     do FMI.  A taxa de juros do Brasil é a mais alta do mundo, consequentemente, o dispêndio de juros do governo federal é totalmente fora do padrão internacional.  Vejam as notícias sobre o tema abordadas pelo tradicional jornal Folha e na sequência os meus comentários.  

Mapa de indicadores fiscais elaborado pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) mostra o gasto do Brasil com juros da dívida pública como o terceiro maior do mundo. O Brasil só perde para a da Grécia, mergulhada em crise financeira, e a do Líbano, cujas finanças são abaladas pelos custos de guerra. Fonte: Folha.


Como aponta a administração petista, a dívida pública brasileira --equivalente a 65% do PIB no mapa do Fundo-- é inferior às de países desenvolvidos como Estados Unidos (103% do PIB), Japão (230%), Alemanha (81%) e França (86%). Fonte: Folha.

O mercado credor, no entanto, trata diferentemente os devedores desenvolvidos, que emitem moeda forte, e os demais. Nos quatro países do exemplo, as despesas com juros variam de 0,9% (Japão) a 2,5% do PIB (França).  Fonte: Folha. 

Comentário.

Venho dizendo seguidamente de que há um erro sistêmico na politica econômica do governo Dilma.  Infelizmente, a grande mídia e agentes econômicos públicos e privados consideram a taxa de juros básicos, Selic, como único instrumento de combate à inflação.  

Eu já disse 300 vezes de que a taxa de juros Selic é apenas termômetro da credibilidade do País no mercado financeiro nacional e internacional.  No entanto, a equipe econômica Dilma vem utilizando a taxa Selic como único instrumento para combater a demanda do consumo.  Ledo engano!  Há diversos mecanismos que poderão ser utilizados, antes de mexer com a taxa de juros básicos. 

A taxa de juros básicos está sendo usada, inclusive para atração de capitais especulativos estrangeiros, para ao mesmo tempo rolar a dívida pública federal e melhorar o fluxo cambial, via capital especulativo, para tentar chegar no equilíbrio a balança de conta corrente do País.  

Brasil está como o cara que deve para o agiota e paga juros cada vez maior para poder "rolar" o principal do empréstimo e pagar pelo menos uma parcela do juros vincendos.  Outra falsa tese é de que com os juros mais altos a população deixaria de consumir.  Ledo engano, também!  Quem gosta de juros altos são banqueiros e especuladores nacionais e internacionais.  A população não está nem aí com o aumento de taxa de juros. Continuam endividando cada vez mais.  

De equívoco em equívoco, o Brasil está a caminhar na mesma direção da Grécia, Portugal e Espanha.  Hoje, com o setor público devendo cerca de R$ 3 trilhões, com a taxa Selic a 9,5%, somente os juros representariam R$ 285 bilhões.  Se considerarmos a taxa média paga pelo Tesouro a diversos empréstimos, os juros devidos pelo Tesouro é ligeiramente superior.  A questão é que grosso modo, o dispêndio de juros representa cerca de 25% de tudo que o governo federal arrecada com impostos e contribuições!

O Banco Central está prestes a subir taxa de juros, novamente, neste ano, para próximo de 2 dígitos.  Isto parece o cara que está num desespero total, tentando "rolar" a dívida com agiota, pagando juros que ele agiota determina.  O Brasil está com situação semelhante.  Não tem muita escolha, o Banco Central em nome do Tesouro vai pagar juros que o mercado determina.  

E vai afundando o País, cada vez mais.  

Ossami Sakamori

2 comentários:

  1. As dívidas públicas do Brasil estão prestes à explodir. No plano do simbólico, considero a derrocada financeira de Eike Batista um trailer da crise do governo Dilma. O governo Dilma tem muita propaganda e nenhum conteúdo, vive do marketing social, um blefe que não funciona nem nas novelas horrorosas da TV Globo.

    O Brasil tem as maiores taxas de juros desde as anos de 1990, tá na cara que algum dia isso tudo vai explodir na nossa cara. Sim, os juros altos não são empecilho para a sociedade brasileira consumir, que entrou na corrida louco do consumo na marra, fingindo que não se preocupa com as dívidas. Poupar, no Brasil, não rende; consumo, gera dívidas. Quer dizer, não há saídas. O Brasil é o país dos banqueiros, dos especuladores, dos agiotas e proxenetas de luxo e dos políticos profissionais, as piores prostitutas que existem.

    ResponderExcluir
  2. País Das Maravilhas! Aqui se rouba, aqui não vai para a cadeia. Todos da mesma “laia” esperam oportunidades para fazerem o mesmo. Ha, ha, ha... O Brasil é um paraiso. Paraiso fiscal, paraiso das impunidades, paraiso onde as corgas arquitetam planos para lesar nossa nação. Políticos ladrões profissionais, desprezíveis, súcia, ralé. Mereciam ter as mãos amputadas para não roubar já mais o que é do povo e para o povo. Uma merda! É isso que resulta.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.