Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Bitcoin é pirâmide!

Crédito da imagem: Empíricus

Não palpitar sobre como cada um dos leitores devem investir. Investimento é coisa de decisão pessoal. Cada um sabe o risco e rentabilidade sobre o dinheiro que aplica. Mas, quando os riscos de investimentos são mais do que evidentes, procuro chamar atenção sobre o fato que ocorre no mercado. Fiz assim com a "bolha imobiliária" em inúmeras matérias.  

Hoje, escrevo sobre o "Bitcoin", a dita "moeda virtual". Resolvi escrever porque a Rede Globo fez a matéria no Jornal da Noite, horário nobre, falando da "valorização" expressiva do "investimento", coisa de 1.000%.  Fico muito preocupado que algumas ditas "corretoras" estão indicando o investimento em "Bitcoin" como uma boa alternativa de investimento.

Um "espertalhão" criou e emitiu uma "moeda virtual" com emissão "limitada e criptografada" de um "pseudo" moeda denominado "Bitcoin", fazendo semelhança com as moedas emitidas pelos Bancos Centrais de qualquer país. Exatamente, este é o ponto do "engana trouxa". A emissão de toda e qualquer moeda, física ou escritural, de qualquer país é regulamentado e fiscalizado pelo BIS - Bank for International Settlements ou o Banco de Compensações Internacionais, com sede na Suíça. "Bitcoin", obviamente, não tem respaldo do BIS. 

"Bitcoin" é uma pirâmide criado por alguns "espertalhões". Os que iniciaram a pirâmide ganharam e continuam ganhado dinheiro "sempre" com os novos otários. "Bitcoin" só tem conversibilidade numa mão, ou seja, moeda local compra o "Bitcoin", mas "Bitcoin" não é conversível em nenhuma moeda em nenhuma instituição financeira. Pergunte ao gerente da sua conta se troca o "Bitcoin" em "real"? É capaz de seu gerente denunciar você à Delegacia de Estelionato.

Assim como acontece nas "pirâmides", os primeiros que entraram no "Bitcoin", há cerca de 8 anos ou pouco menos, já realizaram "ganhos exorbitantes". Quem entrar no "Bitcoin" d'agora em diante vai correr o risco de ficar com o "mico" na mão. A Rede Globo está a patrocinar uma outra moeda virtual em substituição ao "Bitcoin". O fim está próximo! Fiquem espertos!

Ossami Sakamori



19 comentários:

  1. Grato mestre Saka, graças ao seu esclarecimento, desisti de investir no bitcoin, achei promissor e rentável, porém não sabia desses riscos, obrigado pela ajuda e esclarecimentos 👏👏👏

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Mais um entendido falando que bitcoin é piramide. E ainda manda ir no banco perguntar sobre bitcoin. O seu gerente vai é te convencer a investir em um maravilhoso CDB. 👏👏👏

    Procure entender da tecnologia antes de sair tirando suas próprias conclusões. Procure saber como o bitcoin tem ajudado na falta do dinheiro na Venezuela, sim o "maduro" manda prender quem "minera" e utiliza a tecnologia, e Zimbabwe. Como barateou o custo do envio de dinheiro em transações internacionais, quando uma pessoa vai trabalhar em outro país e quer mandar dinheiro para a família. E é sim possível vender bitcoin em real em negociações P2P, empresas especializadas e até caixas eletrônicos. Ah! e a propósito, a bolsa de Chicago, maior do mundo, está pra lançar o bitcoin em contratos de futuros.
    Mestre Ossami Sakamori, viu uma reportagem na globo e tirou suas próprias conclusões sem conhecer do que está falando. Bonito em.

    ResponderExcluir
  4. Respondendo genericamente...
    Se o Bitcoin é tão seguro e garantido pelas instituições financeiras internacionais como diz o leitor acima, não precisaria se preocupar com opinião de um "leigo" como este que escreve.
    Isto tudo mostra que tem uma "nuvem escura" na "moeda virtual" Bitcoin.
    De qualquer maneira, agradeço a sua participação neste espaço.
    Editor

    ResponderExcluir
  5. Sou leigo no assunto e penso que um tema onde se necessitam tantas explicações algo de podre deve haver no reino da Dinamarca...

    Penso que se o físico sempre foi motivos de quebradeiras imaginem o virtual. Tenho certeza que um dia o sistema cobrará a conta de alguém. Mais certeza ainda que quem for mais iludido sairá perdendo mais.

    Penso também, que não existe GANHO FÁCIL. Caminhos fáceis sempre nos levam ao abismo... em qualquer quesito neste mundo de meu Deus.

    ONDE NÃO HÁ EQUILÍBRIO, AS TRAGÉDIAS SÃO O AMPARO DOS APOSTADORES...
    Ah! Deu na Globo é? Hiper confiável...

    ResponderExcluir
  6. Igual ao Bitcoin existem dezenas dessas moedas. E a tendência é aumentar pois existe a chance de algumas darem certo. A tecnologia virtual tende a substituir o mundo real. Vejam que muitos de nós nem seguramos mais uma nota de dinheiro: toda movimentação financeira é feita pelo cartão de Debito ou Crédito. Tudo é virtual. Se der uma pane na Internet ou na energia nos Estados Unidos, toda a Economia mundial ruirá. Eu acho que atualmente não existe mais dinheiro físico com valor real. Os países emitem moedas sem reservas suficientes. Aqui na minha cidade inventaram uma moeda que só vale no bairro. Funciona assim: Leva-se o lixo reciclável a um ponto de coleta que é pesado e trocado por essas moedas que depois pode-se comprar produtos em lojas conveniadas do mesmo bairro. O problema dessa moeda é igual à moeda Bitcoin, ou seja, quando as pessoas resolvem vendê-las e elas valorizarem demasiadamente fugindo do controle e da função que a criaram.

    ResponderExcluir
  7. Existe também o investimento em BITICORNO muito utilizado pelo Ricardão. Ele se aproveita da dedicação dos dirigentes de fundos de pensão, em subtrair dinheiro de aposentados idosos e pensionistas. Os caras trabalham até tarde para sacanear os coitados e aí o Ricardão descobriu uma grande oportunidade negocial. As mulheres.
    Mas o Ricardão dá um DURO danado para receber os presentes oriundos dos esforçados dirigentes. O cara trabalha FUNDO. Aliás, pela porta dos fundos ele entra muito, objetivando a discrição.
    O Biticorno é um investimento que você recebe recurso da sacanagem alheia com sacanagem própria

    ResponderExcluir
  8. Esse post foi fodka. Pleno conhecimento do nosso sistema monetário atual. Quer dizer então que esses tickets sem lastro emitidos pelos BCs é que são moeda? Bitcoin é uma excelente ideia, tanto que a tecnologia blockchain está para ser copiada por alguns bancos centrais. Se é uma bolha ou não, é o tema de discussão do momento, ninguém sabe ao certo. Eu tenho meu palpite, mas é só palpite. Concordo com o Rodrigo Wladyka acima.

    Parahyba

    ResponderExcluir
  9. Todo dia sai um esperto e um idiota de casa,e quando eles se encontram,o idiota leva ferro.

    ResponderExcluir
  10. Sr. Ossami, o senhor já estudou a estrutura blockchain (base do bitcoin) e tem conhecimentos pra embasar sua teoria? O Bitcoin é o "uber" das moedas. Já li diversas "teorias" sem embasamento e gostaria de saber a fundo qual a sua a respeito da "piramede". O Senhor como engenheiro tenho certeza que poderá me esclarecer como argumentos sólidos (e de alguem que tenha estudado Bitcoin e não apenas visto a reportagem na Globo). Obs. Escrevo com total respeito essa mensagem, querendo apenas uma discussão construtiva além do mero achismo.

    ResponderExcluir
  11. Primeiro você tenta entender do assunto, depois você pode dar palpite!

    Enquanto você está de fora chorando, estamos ficando ricos. Lamento!

    ResponderExcluir
  12. Vou dar resposta genérico sobre a legalidade ou não da utilização do Bitcoin no Brasil.
    De posse de uma quantidade do Bitcoin em seu nome e faça consulta ao Banco Central do Brasil e ou à Polícia Federal se "Bitcoin" pode ser utilizado como "meio de pagamento".
    Certamente você estará, em realizando o pagamento com o "Bitcoin", cometendo o crime contra sistema financeiro e lavagem de dinheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Ossami, como perito judicial que o Sr. se diz, não preciso explicar o principio da legalidade. A RFB declarou em 2017 o Bitcoin como um bem (ganho de capital) e não como uma moeda, logo, eu posso dar um bem meu em pagamento por uma compra pra quem eu quiser. Eu posso até dar meu cachorro em pagamento por um corte de grama, se eu quiser.

      Excluir
  13. Saiu no Estadão de hoje (9/11/2017). Não sei dizer se o fato liga ao assunto em pauta. Vamos tomar cuidado em investimentos, vamos?

    Do dia 16 de novembro até 15 de dezembro, Miranda, Gabriel Casonato e Bruce Barbosa ficam impedidos de assinar relatórios de análise, e-mails marketing ou qualquer outra comunicação relativa a valores mobiliários.

    De acordo com o julgamento feito pela Apimec no dia 16 de outubro, os analistas assinaram e-mails marketing que “asseguravam potencial ‘garantia de retorno’ para futuros investimentos”, o que é proibido. Segundo o documento, as publicações induziam o investidor a interpretações equivocadas em relação ao retorno dos investimentos e caracterizavam propaganda enganosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reputo ao caso uma percepção diferente.

      O Empiricus é um site de dicas sobre o mercado e não uma empresa de investimentos.

      Eles vendem informação aos assinantes.

      O que é feito da informação é de inteira responsabilidade de quem a adquiriu.

      O e-mail em questão sugeria que um determinado ativo poderia valorizar até 400% em 4 anos.

      Passado quase um ano, o citado ativo já valorizou 120%.

      Os analistas são acusados de um crime sem vítimas, uma vez que os assinantes se mostram bastante satisfeitos com as dicas do site.

      Excluir
  14. Bitcoin é sopa de pedra. Coisa do Pedro Malsartes, o maior malandro da ficção brasileira.

    Alguém entra com o nome e você entra com o dinheiro de verdade e todo o resto.

    ResponderExcluir
  15. Hoje, 13 de novembro, 5 dias após a denúncia feito aqui, a Polícia Federal desbaratou a quadrilha que explorava os incautos no "pirâmide".
    Recomendo, sempre, investir com prudência o dinheiro suado!

    ResponderExcluir
  16. http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/busca/normativo.asp?numero=31379&tipo=Comunicado&data=16%2F11%2F2017

    Discuta com o BC agora :)

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.