Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O aumento de gasolina é iminente!


O ministro Mantega anunciou à imprensa que haverá aumento de gasolina ainda neste ano, sem precisar saber nem quando e nem qual será o percentual do aumento.  De certa forma, foi à uma resposta à declaração do Aécio Neves que após eleições viriam "tarifaços".  

Apenas para lembrar que os estudos apontam a defasagem dos combustíveis entre 15% a 25%, sem contar com a inflação do período entre o último aumento e o próximo aumento.  Lembrando que inflação dos últimos meses está em 6,5% ao ano. Portanto, o aumento deverá ser de no mínimo de 6,5%, se mantido a defasagem do preço.

Apenas para informar ao leitor de que, na calada da noite, ou seja, sem alarde, o preço dos diesel vem sendo reajustado ao longo do período, independente do aumento da gasolina.  Pelas atuais regras, os combustíveis na bomba é de livre concorrência.  Não saberia dizer se este aumento constante do óleo diesel está sendo passado para Petrobras ou não.

No período do governo Dilma, era costume haver dois aumentos de combustíveis por ano.  Também é bom lembrar que a contribuição Cide - Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico foi zerado para compensar a necessidade de aumentos dos combustíveis, sem que houvesse interferência demasiada do preços da gasolina na bomba.  O governo não tem mais esta manobra extra para compensação.

A Petrobras está sendo utilizado pelo governo Dilma como instrumento da política monetária, para segurar a inflação no patamar que está, 6,5% ao ano.  Os preços dos combustíveis não vem sendo reajustado obedecendo a regra da "paridade" como são praticados em maioria dos maiores economias do mundo.  Diz a "burrona" da Graça Foster que o Brasil pratica preço de "convergência".  Deve ser convergência para emburrar a Petrobras no buraco, só pode ser!

Assim, a máscara da Dilma vai caindo.  Não virá "tarifaço", mas virá o "aumento" de gasolina, ainda este ano. O marqueteiro João Santana, deve ter sugerido o aumento da gasolina para depois das eleições, ou seja para o novembro deste ano.   Conforme o resultado das eleições, virá um aumento menor ou maior como herança bendita ou maldita para deixar para si ou para o seu sucessor.  Enquanto isto o otário do povo vai acreditando na inflação controlada e crescimento sustentável do Brasil.  Dilma não está nem aí !


Oh pra vocês! Para aprenderem a votar!

Ossami Sakamori


Um comentário:

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.