Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 23 de agosto de 2014

Estou cansado de esperar pelo Brasil do futuro!


Saindo da rotina de comentar sobre o tiroteio dos candidatos à presidência da República, vou descrever aqui em linhas gerais, os números mais importantes da economia, quanto às contas externas do Brasil.  Vou comentar, antes, a notícia sobre o desempenho do BNDES no primeiro trimestre, também.

O BNDES anunciou o lucro de R$ 5,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O valor é expressivo. O número nos faz crer a maquiagem feito pela direção do Banco, escondendo os verdadeiros esqueletos construídos nestes 12 anos do governo corrupto de Lula e Dilma. Isto parece feito para distribuir dividendo antecipado para ajudar cobrir o déficit fiscal do governo.  Em jargão popular, isto se diz "gambiarra".

O Estadão de hoje, traz uma ampla análise do número de contas externas brasileiras, no entanto, vou apresentar aqui apenas os números mais importantes. Faço análise, também, dos outros números não constantes daquela matéria.

A conta corrente nos primeiros 7 meses apresenta déficit de US$ 49,2 bilhões e acumulado dos 12 meses terminado em julho apresenta US$ 78,4 bilhões. Este número representa o quanto faltou de dinheiro para o Brasil sobreviver minimamente saudável.  O Brasil padece do déficit em conta corrente há muito tempo, mesmo antes do governo Lula.

É bom lembrar que o déficit de conta corrente é "anomalia" para um país como o Brasil que tem riquezas naturais abundantes, geograficamente localizado no clima temperado para o quente.  O Brasil é um planalto, só.  Comparativamente, Canadá e Rússia é um gelo só!

Mesmo com imenso potencial, o Brasil vive ainda, os tempos do colonialismo, ao contrário de outros países como os tigres asiáticos. Eles despertaram para o mundo, enquanto o Brasil dorme em berço esplêndido.  

Para o Brasil sobreviver como país, depende de investimento estrangeiro direto (IED) e de investimento especulativo estrangeiro para poder pagar a conta do "consumo". Resumindo "comemos" do dinheiro do investimento estrangeiro.  Para cobrir o "rombo" do déficit de conta corrente, Brasil recebeu de investimento estrangeiro direto (IED) acumulado do ano, até julho em US$ 35,1 bilhões e acumulado dos últimos 12 meses em US$ 63,9 bilhões.  

O que está garantindo certa credibilidade ao investimento estrangeiro direto ou mesmo investimento estrangeiro especulativo é o número da reserva cambial bruta que soma hoje cerca de US$ 379 bilhões brutos ou US$ 350 bilhões líquidos.  Como existe emissão de "swap cambial tradicional" do Banco Central, hoje, em torno de US$ 75 bilhões, a reserva cambial líquida, no meu conceito é de U$ 275 bilhões.  Descontado o endividamento dos governos que beira os US$ 100 bilhões, a reserva cambial não é tão expressivo quanto parece.

Qualquer governo que ganhe as próximas eleições, Dilma, Marina, Aécio ou Pastor, se não resolver o "erro sistêmico" da política econômica, nada adiantará.  Continuará nesta mesma m...!  Eternamente dependente de tecnologia e capital dos estrangeiros.  Estes preliminares os tigres asiáticos já fizeram, entre eles Japão, China, Taiwan e Coreia do Sul.  Brasil prefere, por escolha própria, continuar satélite de grandes potências.  Apenas mudamos de donos. Se antes, o Brasil era dependente dos EEUU, hoje, o Brasil é dependente da China.


Enquanto o Brasil ficar brigando para ter assento como coadjuvante do cenário econômico mundial, seremos sempre, eternamente o País do futuro. Já estou cansado de esperar, faz 50 anos, este país do futuro.  Não imagina, um ancião de 70 anos, ter que escrever uma matéria como esta. Isto tudo me deixa muito cansado. O Brasil é eternamente país agrícola, nada mais! Somos apenas celeiro do mundo em grãos. Tanto desejei que o Brasil fosse celeiro de tecnologia de ponta.  O sonho esvaiu-se! 


Estou cansado de esperar pelo Brasil do futuro!

Ossami Sakamori

2 comentários:

  1. Pois é,caro sensei...
    Estamos no mesmo barco,idade,desilusão e tristeza.
    Não veremos(nem nossos descendentes) um pais com o qual sonhamos e no qual acreditamos.
    Venha quem vier,seu nome será mentira travestida de nomes masculinos,femininos ou sem classificação.
    De qualquer forma eu,como o senhor,vamos morrer em um territorio da humanidade (Planeta Terra),que não tem dono...terra de ninguém...país de tolos,doidos,sonhadores,idiotas,bandidos e essa mescla toda.
    Saúde e Paz.
    Gostaria de dizer BANZAI.

    ResponderExcluir
  2. Para a nossa Saude, nada, mas para as empreiteiras amigas do lula, já há dinheiro que talvez entre também em seu bolso!

    "Governo brasileiro abre nova linha de crédito a Angola

    A informação foi avançada pelo ministro Armando Manuel em declarações aos meios de comunicação angolanos, em Brasília, no âmbito de um encontro do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, com a homóloga brasileira, Dilma Rousseff.

    Entre as empresas brasileiras que atuam em Angola estão as construtoras Odebrecht, Queiroz e Galvão, Camargo Corrêa, Andrade e Gutierrez, no setor de construção, mas também a Petrobras e Biocom.

    Numa intervenção, Dilma Rousseff elogiou a renovação da linha de crédito às exportações de bens e serviços brasileiros para Angola, realizada pelo Banco do Desenvolvimento Económico e Social do Brasil (BNDES).

    (...)"

    http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=215824







    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.