Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 31 de agosto de 2014

Rede Globo faz presidente!

Crédito da imagem: Rede Globo

Vejo que democracia no Brasil ainda está frágil. O povo em geral não entende o regime democrático. Não tenho conhecimento teórico sobre o tema, mas sei de exemplos que vem dos países desenvolvidos. Espelho-me na democracia praticada na Inglaterra, no Japão e nos EEUU. Nesses países, o regime democrático funciona há mais de 200 anos ininterruptos. Quer mais do que isto? 

Vamos por partes. Naqueles países, a imprensa impressa é livre. Livre porque não é concessão do governo. As televisões são estatais ou paraestatais como na Inglaterra e no Japão. Nos EEUU as televisões abertas são concessões públicas como aqui. Para quem não sabe, no Brasil, as televisões e as rádios são concessões de serviços públicos e imprensa impressa privada.  

As emissoras de televisão no Brasil que tem uma grande influência na formação de opinião pública tem fugido da função de "concessões" de serviços públicos. Em matérias que tratam de serviços públicos, como eleições, não deveria alinhar-se à opinião ou propostas de qualquer um dos candidatos. Se são "concessões" do serviço público, não deveria enaltecer ou denigrir imagem de qualquer candidato que seja. Infelizmente, no Brasil, terra de "sem dono", as leis não são cumpridas. Sobretudo a Rede Globo se posiciona politicamente, enaltecendo candidato de sua preferência e denegrindo imagem de candidatos se que opõe à sua preferência.

Os principais veículos impressos, seja jornais e revistas, tem a liberdade de se posicionar politicamente, os que não tem em seu grupo econômico empresas de televisão ou rádio, que são "concessões" de serviços públicos. Destaco aqui a revista Época e jornal O Globo da Rede Globo, na situação de não poder enaltecer ou denegrir imagem de qualquer um dos candidatos, sobretudo os da esfera federal. Infelizmente, alguns veículos de rádio e televisão estão ferindo a legislação brasileira. Não está ferindo a lei da imprensa, mas sim desrespeitando da lei das concessões de serviços públicos.  Brasil é terra "sem dono".

Indo em frente. A imprensa impressa, que não é "concessões" de serviços públicos, "pode" posicionar politicamente, tanto para um candidato como para outro. Enaltecer ou denegrir imagem de algum ou de alguns candidatos é de exclusiva responsabilidade civil e criminal dos editores, jornalistas e dos donos dos jornais ou revistas. O povo confunde, bunda com abunda. Mídia impressa pode sim ser "parcial" nas suas opiniões. O posicionamento político da imprensa impressa é de responsabilidade exclusiva dos donos, em instância máxima, sobre a matéria ou sobre as matérias contidas nela.

Embora os blogs não se enquadrem em nenhuma das situações anteriores, os blogs se equivalem a uma imprensa escrita. Os blogs tem autonomia em emitir opinião que quiser ou respaldar matéria de terceiros, respondendo civil e criminalmente sobre o conteúdo das matérias. No caso deste blog, não foge à regra, todo conteúdo, inclusive sobre os comentários "não deletados", a responsabilidade civil e criminal recai sobre este que escreve.

No caso deste blog, por respeitar opinião de cada um dos leitores, "não deleto" nenhum comentário, a não ser postagem de comerciais, que foge ao espírito deste blog. Eu "não deleto" nenhuma opinião, sendo a favor ou contrário, porque resolvi correr o risco de ser processado civil e criminalmente pelo conteúdo, para deixar pelo menos "uma janela" para as pessoas do povo. Posicionando-me assim, tenho convicção plena de que estarei contribuindo com a democracia. 

Este que escreve, já sofreu "bloqueio" de emitir opinião no tradicional jornal Folha de São Paulo. Meu CPF está bloqueado para emitir qualquer opinião naquele veículo. Respeito o posicionamento da Folha, porque sobre a minha opinião a Folha teria que responder civil e criminalmente. 

O site que abriga este blog é de propriedade do Google. O Google, em tese, poderia fazer censura sobre o conteúdo do meu blog, mas não o faz. O Google respeita a democracia. O Google respeita o direito inalienável de expressão de cada cidadão. Este blog só será bloqueado se a autoridade brasileira requerer o bloqueio através de carta rogatória. Se este blog ficar "fora do ar", sem aviso prévio é porque o fato acima terá acontecido. Este blog estará disponível, até que a justiça determine o silêncio.

Muitos blogs sobrevivem de ajuda financeira dos patrocinadores ou de contribuição financeira explícita ou anônima. O Google não só permite mas estimula para que os donos do blog ganhem dinheiro com os patrocínios. Este que escreve, resolveu não transformar este espaço em imprensa mercantil. Não dependo de patrocínios. Resolvi ser independente. Não vendo minha alma por nada ou por $ milhões. Este blog não está à venda!

Este blog foi inaugurado em 15 de fevereiro de 2012. Foi inaugurado porque perdi espaço na Folha de São Paulo. Desde o primeiro dia, sou crítico a postura da presidente Dilma. Desde o início, venho denunciando o "erro sistêmico" da política econômica (sic) da Dilma. Estou crítico à política econômica (sic) desde quando a Dilma tinha 77% de popularidade. Fiz parte, à época, dos "insurgentes", ou seja fiz parte da minoria representado pelos 23% da população que não a apoiava. E continuo na mesma trilha. 

Não arredo nem um milímetro do que escrevi, a não ser correção de alguns números que a minha pesquisa não alcançou adequadamente, à época da postagem da matéria. Já se foram 1.341 matérias que postei, algumas de autoria de colaboradores, cujo conteúdo respondo civil e solidariamente perante a justiça brasileira. Penso e mantenho os meus pensamentos que motivou a inauguração deste blog. No curso destes 2 anos e meio, fiz algumas pequenas correções técnicas no meu posicionamento político e econômico, mas nada que foge à linha mestra. 

Neste longo período de batalha, me fez convicto de que eu estava certo nos meus pontos de vistas. Não, não sou rei da cocada preta. Mas, tenho certeza de que fui obstinado na defesa dos meus pensamentos sobre a economia, sobretudo. Quem quiser conferir, é só ler as 1.341 matérias deste blog. Este blog, não nasceu para influir politicamente, mas para defender pensamento econômico. 

O fato de eu estar alinhado com o plano econômico do candidato Aécio Neves e do antes Eduardo Campos, é mera coincidência. Eu diria que, sem falsa modéstia, o Aécio Neves e Marina Silva estão copiando o modelo econômico que penso sobre o Brasil. Não estou aderindo à campanha de Aécio Neves 45, à troco de nada. Não vendo dignidade por nenhum $ milhão. Os meus leitores antigos sabem disto. Estou Aécio Neves para presidente da República, porque ele representa em linhas gerais o mesmos pensamentos sobre a economia. 

Politicamente, o Aécio Neves, neto de Tancredo Neves está a mil ano luz na minha frente. Quem sou eu para ensinar o Aécio 45, a exercitar a política. Não quero estar aqui dando palpite sobre ao plano político do Aécio. Quem sou eu para fazê-lo. Ele teve o melhor professor de política do Brasil dos últimos tempos, o Tancredo Neves. Não sou Aécio Neves e longe de pretender ser. Aécio Neves é Aécio Neves, com suas virtudes e defeitos. 



Estou Aécio Neves 45!

Ossami Sakamori
@SakaSakamori







2 comentários:

  1. Parabéns. De fato a Rede Globo tem uma influência enorme. E quando se posiciona a favor de algum candidato, o que não poderia fazer, como bem falou, contribui decisivamente nas eleições. E isso todo mundo viu na eleição de Collor de Melo.

    ResponderExcluir
  2. Sempre lendo suas matérias sobre Economia para aprender, caro
    Sakamori. Saber que o Plano de Governo na área econômica do meu candidato Aecio Neves é o correto, me deixa mais tranquila ainda! Que leiam todos, é o que espero. Parabéns.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.