Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 26 de janeiro de 2014

O rombo do BNDES, CEF, BB e fundos de pensão! TNT puro!

Há um silêncio de cumplicidade.  Ninguém fala sobre o assunto.  Todos tem medo de fazer a conta e deparar com a dura realidade.  Há um pacto de silêncio que interessa aos bancos oficiais e aos fundos de pensão em específico.  

Há situações na vida da pessoa que o tamanho do buraco é tão grande que tem medo de fazer a conta para ver o real tamanho do prejuízo.  É assim que se encontra os bancos oficiais e os fundo de pensão, com relação ao prejuízo que levou em 2013.  Tem medo de expor a realidade aos acionistas e aos beneficiários dos fundos.  A situação é grave!

Os bancos oficiais, entre eles, BNDESpar, CEF e Banco do Brasil e  os fundos de pensão Previ, Funcef, Petros e outros tantos, carregam nos seus ativos, os verdadeiros micos, como ações da OGX, MMX, LLX, JBS/Friboi, Mafrig, Petrobras, Eletrobras, entre elas.  Em 2013, algumas delas simplesmente "micaram", em jargão do mercado viraram "pó", como as empresas do grupo OGX.  Outras como a Petrobras e Eletrobras, perderam grosso modo quase 50% do valor do mercado.  E as do setor frigorífico nominados, alavancados, estão com perspectiva negativa, no caminho da OGX.

É possível que os bancos e fundos de pensão citados, não atualizem os ativos mencionados, verdadeiros "micos", para não exporem o tamanho real do "rombo".  Pelas normas da Receita Federal, no dia 31 de dezembro de cada ano, teria que atualizar os seus ativos financeiros tomando como base a cotação de fechamento do último pregão do ano ou seja do dia 30/12/2013.  Quando a cotação configura lucro é obrigado a atualizar, para pagar imposto de renda sobre a renda do capital.  Quando configura o prejuízo, como não há renda sobre o capital, a Receita Federal, poderá fazer "vista grossa" para que não atualize os valores dos ativos.

Esta situação não acontece com os fundos de pensão de companhias privadas, porque os gestores destes não são obrigados a engolir os micos que o patrocinador determina.  Aliás, nos fundos de pensão da iniciativa privada, tem gestão independente do patrocinador, de modo geral.  Os bancos privados, também, não se mete em aventuras e quando se mete os acionistas obrigam que contabilize os lucros ou prejuízos, o que der.  Por isso, não vamos confundir os "alhos" com os "bugalhos".

Estou a falar dos "bugalhos", os bancos estatais e fundos de pensão ligados às companhias estatais.  Com o prejuízo havido, no caso de fundos de pensão, conforme acima explicado, os cálculos autoriais sobre a garantia de pagamento dos benefícios futuros vão para o espaço.  Não haverá garantia no longo prazo. Os beneficiários daqueles fundos, tem que começar a rezar para não acontecer como beneficiários do fundo de pensão da Varig.  Claro, estou a dramatizar, mas é o único meio de acordar este povo.  

Como não sou acionista dos bancos oficiais e nem tão pouco beneficiários dos fundos de pensão, não me é franqueado a carteira de ativos de cada instituição.  É mister exigir que BNDESpar, CEF, BB, Previ, Petros, Funcef e demais instituições vinculados ao governo federal que atualizem os ativos financeiros, nos seus balanços de 31/12/2013, baseados nas cotações dos ativos do último pregão do ano.   

Se as providências aqui exigidas, foram tomadas conforme sugerido por mim, certamente cairá a República.  A presidente Dilma poderá ser indiciada como responsável maior do poder executivo, donde originou todas determinações impróprias.  

Ossami Sakamori
@SakaSakamori


17 comentários:

  1. O rombo nos fundo de pensão vem desde o governo FHC. O governo do PT "apenas" aumentou o tamanho rombo. O Brasil é uma país insolvente, não consegue pagar suas contas. O Brasil é o país das dívidas, do calote. Os funcionários da Varig nunca irão receber o que merecem receber - não falo de benefícios, falo de direitos.

    O Brasil é o país da total inversão de valores: se algum dia pagar o que deve, o que é um dever cívico, obrigatório, ele quebra de vez... O Brasil vive de dívidas, os brasileiro vivem de dívidas... E, assim, vamos vivendo - até quando, sinceramente, não sei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O valor que a União à VARIG/empregados passava dos R$10 Bi faz tempo. soube disso atraves de um advogado que representa mais de 300 funcionarios lesados. É de lascar

      Excluir
  2. O Brasil é rico em minério, flora, fauna e outros nos roubam na nossa cara. Só o nióbio, se vendido a nosso preço(+80% desse minério fica no solo brasileiro), poderia nos auto sustentar por um tempo. Infelizmente nossos governantes não dão a devida atenção, não tem planejamento a longo prazo, passando de um governo a outro até completar o planejamento ou obras. Falta-nos a cultura da poupança. Ninguém poupa, pelo contrário, só se endivida. Aí fica difícil caminhar pois fica patinando, isso quando não anda para trás. Com o PT esse endividamento aumentou. E vai continuar até virar um pais comunista porque com essas urnas eletrônicas dificilmente Dilma perde.

    ResponderExcluir
  3. Somos um país bonito, com grande território e inúmeras riquezas... Mas, nossos governantes corruptos e nosso povo alienado destruíram nossos sonhos. Vc tem razão, Saka... Estamos falidos.
    Old Monster.

    ResponderExcluir
  4. A PREVI, por exemplo, que é o maior Fundo de Pensão, tem 60% do seu patrimônio em renda variável. Se fizeram a atualização com base no valor das ações em 31/12/2013, será mostrado o real patrimônio para os participantes e assistidos do Banco do Brasil.

    ResponderExcluir
  5. A QUEM INTERESSA ISSO? Pensem... Aconteceu alguma coisa, qualquer coisa, e vc se revolta, ou se admira, ou se surpreende... Quando acontece alguma coisa, reações também acontecem. Boas ou más, certas ou erradas, relevantes ou esquecidas logo por aqueles que deveriam apurar o acontecido... A QUEM INTERESSA ISSO? Esses desmandos todos acontecendo em nosso País... A quem pode interessar que assim seja... PENSEM. PENSEM. PENSEM... E se não reagirem, depois não reclamem...

    ResponderExcluir
  6. PelamordeDEUS, porque sempre têm comentaristas que citam "vem desde o governo FHC"? Que não é nenhum santo, todavia, admitam: os PTralhas, com o descompromisso nacional dos aliados de plantão, estão afundando o Brasil!!

    ResponderExcluir
  7. "A culpa é dos políticos !.... Não a culpa é dos administradores !.... A culpa é da Dilma !.... Pensando bem a culpa é da urna eletrônica (essa é nova) ! Estamos falidos, dilapidados, fundos vão quebrar, a bolsa vai despencar, a realidade posta é ilusória no fundo estamos todos fadados à desgraça !"
    A quem interessa esse discurso ? Aos que acham que está tudo errado e que o modo certo é o deles ? Na minha terra isso tem outro nome. Negar avanços sociais, chutar gato morto, reclamar sem ter proposta, jogar acusação no vazio sem conhecimento de mercado (PREVI nunca teve ações da OGX no plano 1, somente no PF onde ela fazia parte do índice indexador e não papel puro, só pra dar um exemplo). Só não vê quem não quer. Já ouvi muita gente defendendo a volta da Ditadura "pra colocar as coisas no lugar". Temos muito para fazer, e temos que estar atentos, pois golpistas estão espalhados e financiados por uma direita rancorosa e ávida pelo poder. Mudanças só são boas quando servem para uns poucos abastados, quando atinge a grande massa os coxinhas gritam: "Assistencialismo", "Curral eleitoral", "Protecionismo", e os Neoliberais fazem coro "Estado mínimo", "terceirização", "Privatização"........ a quem mesmo isso interessa ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está num outro mundo, no universo do petismo que em enganou e continua enganando você.
      Veja o caso dos fundo de pensão dos Correios. Aqui o Sr. Batista deixou um prejuizo impagável, graças ao petismo, pois nos Correios somente ocupam os cargos de confiança quem é filiado ao partido. Aqui existe o NEPE núcleo ecetista petista. Quer mais?

      Excluir
    2. O que vivemos é bem o contrário do que falas Blog do Luiz BB, as politicas de governo nunca beneficiaram tão poucos.

      Excluir
    3. Essa turma é organizada... resposta via blog, polarização com papo de "direita golpista", privatização, grandes massas.. etc... São uns craques.

      Excluir
    4. "Militonto" do PT detected!! Só faltaram os manjados bordões que vocês usam para quem discorda das falácias de esquerda: "direitistas", "reacionários", " elitistas", " nazi-fascistas" (esse é o melhor!)...faltou algum? kkkkk

      Excluir
  8. Daqui a pouco, nao demora muito, a Petrobras mudara de nome, nao sera mais Petro-bras, o BNDES vai se esvaziar, a CEF, idem. Estamos assistindo de bracos que nem cruzados estao, sentados, atonitos, o Brasil se enterrando. Temos um politico que dirige o Pais na sua psicotica ideologia, e uma Presidente que nao sabe porque esta Presidente. Eh mais do que caotica a situacao do Brasil. Estamos num precipicio, sem saber pra onde ir, lamentavelmente.

    ResponderExcluir
  9. Henrique Pizzolatto foi dirigente do BB e também da Previ, fundo de pensão do Banco do Brasil. O fundo era dos participantes e assistidos; agora pertence ao Banco.

    ResponderExcluir
  10. Sr. Ossami,
    Esse código do silêncio eu venho falando dele há muito!!!!...
    E ele é bem feito. Quem se colocar contra é estigmatizado. Só para vc ter uma ideia eu adoeci. E sempre eu perguntava, na empresa que trabalhei, o BB, é preciso agir assim? Para atingir a meta temos que fazer isso?
    Resultado: minaram minha saúde. E agora espero "com a boca escancarada cheia de dente " Rau Seixas" e cheia de remédio a morte chegar.
    Sem solução!!! E o partido que se encontra no poder é o dos trabalhadores!!!! Pense quando chegar o do Patrão!!!...Tamos nas águas.

    ResponderExcluir
  11. O problema de se atualizar os ativos financeiros pelo valor de mercado no último dia do ano parece ser de ordem tributária sempre pró-fisco federal.
    Assim, se a ação foi adquirida por R$ 100,00 e está valendo apenas R$ 40,00, uma vez atualizado esse ativo no balanço significará que, caso ela venha a se valorizar e atingir, p. ex., R$ 150,00, o IR incidirá sobre o lucro irreal de R$ 110,00 (e não sobre R$ 50,00). A verdade é que o governo 'come pelas beiradas' sempre, impiedosamente, porque, para início de conversa, não permite a atualização monetária do preço da ação. Se esses R$ 100,00 foram pagos no ano de 1995 e a venda da ação ocorrer em 2025, será considerado apenas o valor nominal de R$ 100,00, quando o correto deveria ser a incidência do lucro sobre esse valor atualizado até 2025. Portanto, nós, que adquirimos ações em lançamentos, p. ex., acreditando estar contribuindo para o desenvolvimento do País, e não somos meros especuladores, sempre levamos a pior. Mas o governo nunca perde...
    O mesmo raciocínio vale para a 'tungada' defendida pelo governo federal nos planos econômicos nas cadernetas de poupança (de gente que estava acumulando para a mensalidade escolar do filho ou para o plano de saúde ou para a velhice). E quem é o pai da malandragem? Os políticos, aqueles que fazem um discurso antes de serem eleitos e agem em sentido exatamente inverso quando no poder. Não é isso mesmo, Sr. combatedor da CPMF, Sr. crítico da não Correção da Tabela do IRPF, Sr. Importador de Médicos do Exterior sem mínimas condições estruturais, etc???

    ResponderExcluir
  12. Quanta bobagem vcs falam, vão estudar um pouco sobre compra e venda de ações, declaração de imposto de renda, lucro dos bancos e depois podem dizer alguma coisa sobre o assunto. Tá tudo errado o que disseram.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.