Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Glossário de economês. Verdades e mentiras ditas pela Dilma.

Glossário de economês para leigos entenderem as mentiras contadas pela Dilma.  As verdades e mentiras ditas pelos governantes e analistas e economistas de plantão, estão aqui.  Os plantonistas do Palácio do Planalto só pegam release da secretaria de Comunicações do Palácio do Planalto e põe na mídia, onde há difusão de notícias esquisitas.  

Sem obedecer a sequência de importância, segue os 13 pontos, que escolhi, aleatoriamente.  Tem muito mais termos importantes, mas por hoje, fico nestes para vocês não se cansarem.

1. Política fiscal equilibrada é o que a Dilma diz.  Equilibrada nada. O que o governo federal arrecada de impostos e contribuições, não paga nem os juros da dívida pública na sua integralidade.  Política fiscal equilibrada seria, se ao menos, sobrasse dinheiro, após deduzir as despesas do governo, para pagar os juros da dívida.  

2. Superávit primário é quanto o governo economiza para poder, tentar, pagar os juros da dívida pública federal.  Grosso modo, Dilma gerou superávit primário de R$ 75 bilhões, mas o montante dos juros que venceram em 2013 foi grosso modo R$ 250 bilhões, sem considerar subsídios dados aos empresários via BNDES.

3. Reserva cambial brasileira, ontem, estava em US$ 375 bilhões. Cerca de US$ 200 bilhões é aplicado em títulos do Tesouro americano à taxa média de 0,25% ao ano.  O Tesouro vem comprando dólares no mercado, com o dinheiro da venda dos títulos da dívida do Tesouro.  Atente para o fato de o Brasil possuir um grande volume de dívida externa, conforme abaixo.

4. Dívida externa brasileira, está próximo de US$ 330 bilhões, com empréstimos feitos pela Petrobras no mercado externo, já no ano de 2014. Inclui neste montante a dívida do setor público e privado.  Enfim, dívida, que em última análise o governo brasileiro tem que honrar.  A dívida com FMI no montante de US$ 16 bilhões, foi pago pelo governo Lula.  É mentira dizer que o Brasil não tem dívida externa. Tem sim, o Brasil deve US$ 330 bilhões!

5. Taxa Selic é referência para pagamento de juros da dívida interna do Tesouro.  É um indexador.  Não é o que o Banco Central efetivamente paga de juros ao mercado. Ontem, o Banco Central estava pagando pelo NTN com vencimento 2015, 11,75% ao ano.  O título NTN-F com vencimento 2023, estava pagando juros de 13,43% ao ano.  Como pode ver, quem exige o pagamento de juros é o mercado financeiro.  Não é como dito seguidamente, que o aumento da taxa Selic é para segurar a inflação.  Taxa de juros é termômetro da credibilidade da política econômica do governo.  Selic não é remédio para inflação, mas termômetro da credibilidade!

6. Balança comercial é registro de todas compras e de todas vendas de mercadorias a manufaturados voltadas exclusivamente ao comércio exterior.  Venda para cliente ou compra do fornecedor além mar.  A balança comercial é importante para o Brasil pagar outras contas que não do comércio, que enumero abaixo.

7. Balança de conta corrente é registro de todas operações financeiras do Brasil com o exterior, incluído a balança comercial.  Estas operações se referem ao pagamento de juros da dívida, fretes, royalties, e serviços não abrangidos pela balança comercial.  O País é tradicional devedor em balança de conta corrente.  No ano de 2013, a balança de conta corrente registrou déficit de US$ 64 bilhões, segundo Banco Central. Faltou esta montanha de dinheiro para fechar a conta.  Só foi possível, devido ao item seguinte.  

8.  Investimentos estrangeiros direto (IED) são investimentos que as empresas estrangeiras fazem para montar suas fábricas ou ampliar a capacidade produtiva.  No ano de 2013, IED, respondeu por cerca de US$ 65 bilhões positivos, ajudando equilibrar a balança comercial.  Os investimentos estrangeiros diretos (IED) foi a salvação da pátria para fechar a balança de pagamentos que é a somatória de balança de conta corrente e investimento estrangeiro direto (IED).  

9. Capital estrangeiro especulativo tem um tratamento especial no Brasil.  São capitais que entram no País para compra de ações na Bolsa brasileira e aplicações em ativos financeiros diversos, entre eles os títulos da dívida interna do Brasil.  O capital estrangeiro está isento de pagamento de IOF e do Imposto de Renda sobre o lucro proveniente do ganho.  Ao contrário do investidor especulativo brasileiro que pagam todos os impostos pertinente sobre o ganho de capital.  

10. Paraíso fiscal é denominação que se dá ao País que permite montar empresas de fachadas, fictícias, de papel, para fazer operações camufladas, sem o pagamento de qualquer tipo de impostos.  Por isso o termo paraíso fiscal.  Não há exigência de montar um escritório físico, naqueles países.  Os mais conhecidos são: Ilhas Cayman, Ilhas Jersey, Panamá e Uruguai.  Os dois últimos são os mais procurados, pelos traficantes e corruptos dos governos, para depósitos ilegais.  As empresas com estas características se denominam "off shore".

12. BNDES administra o PIS - Programa de Investimento Sustentável é o programa que denomino de Bolsa Empresário.  Instituído pelo governo Lula, em 2009, pós crise financeiro mundial de 2008.  O resumo da ópera é o seguinte.  O governo federal ou o Tesouro capta dinheiro no mercado à taxa de juros como descrito acima, hoje, entre 11,75% a 13,43% ao ano, para emprestar aos empresários a juros subsidiados de 3,% ao ano.  A diferença de taxas anuais, vão direto para o bolso do empresário, gerando emprego ou não.  O montante do programa PIS está hoje em cerca de R$ 440 bilhões.  Anualmente, o PIS custa ao governo federal, via Tesouro, que não está contabilizado como despesa, cerca de R$ 40 bilhões anuais. 

12. Bolsa Família ou Bolsa Sem Miséria.  O valor do Bolsa Empresário é maior do que o Bolsa Miséria que é de R$ 22 bilhões. A Dilma diz que tirou 22 milhões da pobreza absoluta.  São 13 milhões de chefe de famílias que  constam como beneficiários, segundo Dilma.  O lado cômico é que o índice de desemprego, denominado PME do IBGE da Dilma, diz que em 6 regiões metropolitanas pesquisadas, só tem 1,1 milhão de desempregados, correspondente a 4,3% de desempregados medido pelo IBGE.  Uai, os 13 milhões do Bolsa Miséria, são o que?  Então, eu estou certo!  Bolsa Miséria é criadouro de vagabundos!  Tem 12 milhões de chefes de famílias vagabundeando, mas não são desempregados, segundo Dilma!  

13. Treze é o número do partido que governa o País, que mentem descaradamente para a população para se perpetuar no poder.  Engana o povo com muitas espumas demonstradas acima!  O número 13 é número de azar do Brasil.  É o número que não devemos teclar nas próximas das eleições.  Vocês é que decidem!

Ossami Sakamori
sakamori10@gmail.com



Um comentário:

  1. Olá Ossami! Cheguei aqui pelo blog do Ricardo e gostei da sua postagem. Se me permitir, farei uma cópia para trabalhar com meus alunos, pois está bem esclarecedora. São temas do cotidiano que poucos têm condições de entender ou explicar.
    Um abraço!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.