Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Brasil da Dilma,hoje. O quadro da economia deteriora.

Folha, ontem. Mesmo com a decisão do governo de contabilizar como exportação US$ 7,736 bilhões obtidos com a venda de plataformas de petróleo que foram alugadas, na maior parte, para a Petrobras, o Brasil teve o pior desempenho no saldo do comércio internacional dos últimos 13 anos

Folha, ontem.  No ano passado, a balança comercial, que registra o total recebido pelo país com vendas para o exterior menos os gastos com a compra de importados, registrou um saldo positivo de US$ 2,561 bilhões. Esse é o menor resultado desde 2000, quando houve um deficit de US$ 731 milhões

Comentário.

Os números por si só, já dizem tudo.  Para completar o raciocínio, o Brasil é extremamente dependente dos estrangeiros, nos itens sobre serviços como juros da dívida externa, royalties, fretes e turismo.  Isto já é tradicional, desde governos anteriores.  O Brasil é por essência País do terceiro mundo, querendo ou não.  O Brasil de hoje não difere muito do Brasil colônia.  Somos vendedores de produtos primários e compradores de manufaturados.

Isto posto, vamos à análise, não do que se passou porque isto seria chorar em cima do leite derramado.  Vamos analisar brevemente, em linhas gerais, sem se aprofundar, mas com grau de acerto muito grande, o cenário que está por vir neste ano de 2014.  

O Brasil se desmantelou nestes 11 anos do governo PT.  Não, não estou a defender os governos anteriores.  Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.  O fato de criticar a atuação deste governo,  não necessariamente estou a elogiar os governos anteriores.  Pelo contrário, o atual governo, o do PT, herdou já um governo desmantelado, porém, um pouco menos pior.

A chave do sucesso do governo PT, na aparência, é ter estimulado o consumo interno, com pesados ônus, para o futuro do País.  O governo PT, puxou as classes menos favorecidos para a classe média.  Criou-se uma classe que a mídia denomina como emergente.  Mas, foi a custa de pesado ônus para o Estado e para suas empresas controladas, como a Petrobras e Eletrobras.  Só para criar "sensação de bem estar" (sic) à população.  A conta parece ter chegado.

Existe tentativa de explicações por parte dos analistas econômicos e agentes do governo, baseado em conceitos ditados pelas teorias econômicas de grandes teóricos, entre os quais, John Mainard Keynes.  Eles não entendem quase nada de economia e de mercado financeiro internacional.  Só quem conhece e vive o mercado financeiro internacional sabe que pouco importa as teorias, o que interessa é o fluxo de capitais, apátrida, em busca de lucros e pronto! 

O resultado, o pior dos últimos 13 anos, em matéria de balança comercial do País, faz parte do contexto colocado acima.  Não se reinventa a roda.  O fluxo de capitais do mercado financeiro internacional vai para onde dá maior rentabilidade com menor risco. Isto, com certeza, não é o caso do Brasil, infelizmente.  

O Brasil pratica ou tenta por em prática, uma teoria econômica de controle do Estado.  Sobretudo, a teoria do controle do Estado na economia exacerbou desde 2009, com o "Plano Lula".  A Dilma poderia ter mudado o rumo, mas não, preferiu dar continuidade do programa com o "Plano Dilma", com interferência cada vez mais do Estado sobre a economia.  Tinha que dar no que está dando!

Não vou, neste momento, fazer prognóstico de números para 2014, pois estaria dando um de cartomante.  Mas, grosso modo, podemos indicar a tendência para os próximos meses, pelo menos até o término das eleições.  

A certeza, cristalina, é que o quadro econômico do País vai entrar na fase de muita dificuldade.  Muitas turbulências virão.  As consequências políticas do novo quadro desenhado, só Deus sabe.  Mas, que os ventos favorecem para oposição, isto favorece.  Resta saber se a oposição tem competência para levar a eleição presidencial.

Ossami Sakamori
@SakaSakamori



Um comentário:

  1. Hoje é mais seguro investir no Paraguai que no Brasil.Tem vários investimentos a serem feitos no Brasil produtor de comodities, que estão parados devido a entraves colocados pelo PT,vide o caso da Arauco no Mato Grosso do Sul,tem 70 mil hectares de terra para reflorestar e fazer uma nova fábrica de MDF,mas não cosegue titularizar a terra pois é empresa estrangeira,fala-se nos bastidores que estão indo montar esta fábrica no Paraguai..enquanto isto...Dilma Papuda fala que está tudo bem!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.