Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 28 de maio de 2012

DILMA, AS UNIVERSIDADES FEDERAIS ESTÃO SUCATEADAS

Peguei o panfleto dos grevistas dos professores das Universidades Federais.  Pelo que li, nada mudou nestes 42 anos que deixei de lecionar na Universidade Federal do Paraná.  Neste interregno de tempo, o mundo modernizou, mas as Universidade pararam no tempo.  Se naquela época as universidades já estavam sucateadas, imagine agora.  Está à beira da falência.  Nada mais do que retrato de tudo que vemos na política brasileira, uma mazela total.  Já fiz matéria sobre as Universidades que vão à reboque da sociedade.  Mas vamos comentar sobre o conteúdo do panfleto de grevistas.

Concordo que os professores estão em greve em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade.  Mas discordo da falácia de que o governo não tem investido o suficiente para a melhoria da educação pública. Os estudos mostram que o custo da formação do aluno "per capta" é maior do que o custo de formação do mesmo aluno nos EEUU. Tem algo de errado na administração do dinheiro público nas Universidades brasileiras.  É preciso uma reflexão profunda sobre o objetivo e funcionamento das nossas Universidades Federais.  

Dizem os professores, que existem instituições com falta de professores, salas de aulas, laboratórios, restaurantes universitários, até mesmo sem bebedouros e papel higiênico, afetando diretamente a qualidade do ensino (sic).  Desse jeito não dá!  Isto numa instituição particular, se chamaria falência.  Já passou da condição de sucata.  Está próximo de lixo, se é que lixo pode ter sem o papel higiênico.  

Dizem os grevistas que a educação pública tem sido sucateada pelo governo federal, em detrimento do investimento para ajudar os grandes empresários deste país.  Tem razão e não tem razão.  Tem razão em dizer que está havendo transferência de renda diretamente a alguns empresários que tem conluio com o governo federal, mas não genericamente.  Um dos maiores defeitos é exatamente como as Universidades e seu corpo docente encaram as empresas privadas.  Afinal, as Universidades não foram feitas para dar capacitação aos alunos para se empregarem nas empresas privadas?  Por que não copiar o modelo americano em que as empresas privadas injetam maciçamente nos projetos de pesquisas nas Universidades, numa espécie de Parceria Público Privado, onde, as Universidades caminham na vanguarda da sociedade e não ao reboque dela.    


Enquanto as Universidades Federais estiverem fazendo pesquisas em ciências básicas, com os velhos tubos de ensaio, do século XIX, não vamos chegar a lugar nenhum. Hoje em dia, as pesquisas são feitas em laboratórios com computadores de última geração que nada lembra a bancada de tubos de ensaios.  O exemplo do ensino sucateado está em que os alunos com mestrado e doutorado nas nossas Universidades Federais sequer conseguem empregos no setor privado.  

Os nossos mestres e doutores vão como emigrantes nos países do primeiro mundo para fazer serviços de segunda categoria como faxineiros, metalúrgicos, pedreiros e operário braçal de alguma fábrica de componentes de Tecnologia de Informação.  São no total 1,5 milhão de emigrantes brasileiros supostamente qualificados.  Em contrapartida temos 1, 5 milhões de imigrantes estrangeiros, altamente qualificados que obtém empregos aqui no Brasil com total facilidade.  Quer uma prova maior de sucateamento das nossas universidades?


Isto é resultado de idéia corrente no país de que para se dar bem na vida, basta ser esperto.  Os exemplos da espertesa  aqui no Brasil, não faltam.


Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof.da UFPR.
Twitter: @sakamori10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.