Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 11 de maio de 2012

COMISSÃO DA VERDADE, DILMA?

 Antes que me rotulem de direita ou de esquerda, já vou dizendo que fiz parte do movimento estudantil, que combateu a ditadura militar de 64/84. Como a maioria dos meus colegas de faculdade, à época, não tínhamos o privilégio de participar mais ativamente do movimento. A maioria dos estudantes, pelo menos, os que frequentavam as universidades públicas não participavamos dos movimentos clandestinos.  A maioria tinha necessidade de trabalhar para o seu próprio sustento.  Nem por isso, deixamos de participar do movimento estudantil.

Os tempos eram duros.  Não havia liberdade de imprensa.  Não havia liberdade de expressão de idéias.  Não podíamos publicar matérias pertinentes à política. Todos nós temíamos o "sistema".  Sistema era o nome que dávamos ao governo da ditadura.  Quem hoje, brada sobre injustiça à época da ditadura, deve conhecer o termo.  Se nem conhece o termo, é gente que nem viveu o tempo, combatendo-o.  


Teve sim, repressão do sistema contra os que agiam na clandestinidade, combatendo-o, em sua maioria estudantes universitários.  Sem fazer juízo da validade da forma de combate ao regime militar da época, posso afirmar que houve exageros de ambas as partes.  Os movimentos, em maior ou menor grau, utilizaram sim, métodos que não são aceitos numa sociedade civilizada.  Explodir bancos, saquear residências, sequestrar autoridades eram expedientes usados por alguns daqueles movimentos.  Sem dúvida que o Exército utilizavam também repressões utilizando-se de sistema de informações das 3 forças armadas.  Sob ameaça de morte do embaixador dos EEUU no Brasil, foram libertados os presos políticos dos movimentos da época e posteriormente anistiados pelo prórprio sistema.


Passados 48 anos desde 31 de março de 1964, dia da tomada de poder pela junta militar, noto que as pesonagens do mundo político de hoje, em sua maioria, são os produtos ou subprodutos do regime militar.  Vejamos os nomes das pessoas dos movimentos que exilaram-se : Aloysio Nunes, José Dirceu, FHC, Dilma Rousseff, José Serra, Graça Foster, Suplicy.  Todos com minha idade, 67, ou mais.  Todos anciões!  Sinceramente, eu que vivi a época, participando do movimento pacifista contra ditadura, como a maioria fez, cheira-me espírito revanchista, esta mesma turma dos movimentos estudantis tentarem se agarrar no poder.  Imagine, essa turma participando das eleições de 2014!  Todos setentões!  Cadê as lideranças, pós ditadura?  Não tem ninguém, não!  Pobre do Brasil !

O Lula, o presidente Lula não fazia parte dos movimentos estudantis, porque ele é analfabeto funcional, como ele mesmo se classifica.  Esteve preso por alguns dias, mas como sindicalista.  Consta que foi liberado de pronto, graças ao FHC e ao Suplicy.  E a presidente Dilma? Consta que esteve preso nas celas do DOPS, cuja parede, curiosamente preservada com o nome dela até hoje.  Graça Foster, a poderosa presidente da Petrobrás, segundo consta, foi companheira de cela da Dilma.

Hoje, diz-se que estamos na democracia.  Mas, não estamos, não! Eu sou testemunha viva de pessoa que vivenciou a época do regime militar e ainda hoje atuante no mundo intelectual e empresarial do país.  Tenho convicção de que, de experiências vividas, pessoalmente, que em nada mudou.  O "sistema" continua o mesmo.  Existe censura à imprensa, sob jugo das verbas publicitarias. Há um violento cerceamento de direito de expressão de idéias. Existe invasão de privacidade do cidadão do bem.  Existe preocupação do sistema em perpetuar-se no poder. E estão a tirar a última arma que nós, ainda temos, a arma do "verbo".  Este blog é minha arma.  E os verbos são as minhas munições.  


Comissão da Verdade, do que?  Vai mexer, num assunto que todos querem esquecer, o período nefasto da história brasileira?  Talvez, para ficar bem na fotografia para com os organismos de Direitos Humanos ou simplesmente para satisfazer o público interno do sistema.  


A seguir transcrevo, para deleite dos meus leitores, as notícias publicadas no jornal Folha de São Paulo.  E assim termino esta matéria, com meu dever cívico cumprido.




A Comissão da Verdade vai investigar e narrar violações aos direitos humanos ocorridos entre 1946 e 1988 (que abrange o período do Estado Novo, ditadura do governo de Getúlio Vargas, até a publicação da Constituição Federal). O grupo apontará, sem poder de punir, responsáveis por mortes, torturas e desaparecimentos na ditadura e vai funcionar por dois anos. Ao final deste prazo, a Comissão deverá elaborar um relatório em que detalhará as circunstâncias das violações investigadas. fonte: Folha.

Farão parte do grupo: José Carlos Dias (ex-ministro da Justiça no governo Fernando Henrique), Gilson Dipp (ministro do STJ e do TSE), Rosa Maria Cardoso da Cunha (amiga e ex-advogada de Dilma), Cláudio Fonteles (ex-procurador-geral da República no governo Lula), Maria Rita Kehl (psicanalista), José Paulo Cavalcanti Filho (advogado e escritor), Paulo Sérgio Pinheiro (atual presidente da Comissão Internacional Independente de Investigação da ONU para a Síria). Antes do anúncio oficial, Dilma esteve reunida no Palácio do Planalto com os integrantes da comissão e os ministros ligados ao tema. Ainda hoje, os sete membros indicados serão recepcionados pela presidente em um jantar no Palácio da Alvorada. fonte: Folha.

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi prof. UFPR. Twitter: @sakamori10

2 comentários:

  1. O que fizeram, provavelmente fizeram por zelo pela Pátria e sua Soberania!
    Pelo que se sabe nenhum Militar que eu saiba, ficou bilionário enquanto no Poder!
    Depois: Celso Daniel, Toninho do PT porque os mataram?
    Mensalão - Cachoeira - Delta - Parlamentares - Servidores Públicos e governadores suspeitos mostrando os braços de ERAS!

    A corrupção de hoje leva metade do dinheiro movimentado no Brasil mas, como combatê-la se o país é movido por ela, de cima para baixo e de baixo para cima?.

    STF - PGR - MPF - CGU - TCU - CNJ - Partidos Políticos - CPIs e etc.. Começam a reagir com mais força! Tomara que a Imunidade da Impunidade tenha o fim que merece!
    Como cidadão comum jamais tive qualquer problema com o Regime Militar! Os meus filhos hoje graduados estudavam em escolas pública do Rio de Janeiro! Bem melhores que maioria das de hoje!
    Participei do milagre econômico e cresci junto com ele...
    Apenas o INSS dos tempos da Democracia me derrubaram do teto 100% para 32% desse teto por terem pendurado um montão de não contribuintes e Anistiados Políticos e homens do campo cujos patrões nunca pagaram seus direitos previdenciarios e trabalhistas! Isto deveria ser coberto pelo Tesouro Nacional e não pelos pobres aposentados trabalhadores que contribuíram com 20 e 10 SM de referência como eu!

    A propósito: Porque não se paga 100% da SELIC quando ela atingir 6% ou menos?
    Tirar hje é muito fácil e pagarem é cada vez mais dificil!

    ResponderExcluir
  2. "Vai mexer, num assunto que todos querem esquecer, o período nefasto da história brasileira?"

    Discordo! Quem teve parente morto, não quer esquecer, quer justiça. Quem errou deve pagar pelo erro. Sempre.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.