Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Levy vende almoço para poder jantar


O governo Dilma está num desespero total. Já está vendendo almoço para poder pagar a janta. O ministro Joaquim Levy confirma que está vendendo ações do Banco do Brasil pertencente ao FSB - Fundo Soberano do Brasil, num total de 109.000 milhões de ações, equivalente a cerca de R$ 2,6 bilhões. Levy está vendendo as ações, para numa eventualidade, fazer o uso do dinheiro para pagar as contas do governo. A necessidade do dinheiro é para gerar superávit fiscal, mesmo que seja algo como 0,5% do PIB.

Na outra ponta, o ministro da Fazenda já autorizou a abertura de capital da Caixa Seguros, mediante venda de parte das ações na Bolsa. O governo pretende arrecadar entre R$ 3,5 bilhões a R$ 4 bilhões com operação da Caixa Seguros. Joaquim Levy, também, não descarta a venda de algumas empresas do governo federal, num processo de privatização, passando o controle acionário para a iniciativa privada. Não disse quais empresas o governo Dilma pretende privatizar.

Por outro lado, o governo pretende incluir no pacote de concessões, as grandes obras de mobilidade urbana, privatizando projetos como de metrô de Porto Alegre e Belo Horizonte, em há mais de 20 anos. Privatizando, o governo federal embolsaria o ágio de leilões. 

Dilma, já anunciou no mês de junho, um grande programa de concessões de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. Os primeiros que vão para leilão são os aeroportos. O governo espera arrecadar os ágios. Para que haja interesse dos investidores nacionais e internacionais, a remuneração das concessões foram aumentados, em média, para 7,6% ao ano sobre o capital investido.

Para o governo que tomou posse há 20 anos combatendo as privatizações, é um espetáculo digno de ser mencionado. O governo Dilma, ainda alega que as "concessões de serviços públicos" não são "privatizações". No meu entender o governo PT vem fazendo privatizações, sim. É apenas questão semântica, insistir em chamar de "concessões" as "privatizações" de serviços públicos que vem fazendo. 

Quero deixar claro que não sou contrário às privatizações de serviços não essenciais à população, como educação, saúde pública e segurança pública. Quanto menor o Estado, menor é a necessidade de arrecadar impostos e contribuições. Quanto menor a presença de Estado, maior é a liberdade da população. 

Dilma vende almoço para poder jantar.

Ossami Sakamori











@SakaSakamori




3 comentários:


  1. Mais uma do partido de ladrões:

    Chamar de "concessões" as "privatizações" que vem fazendo.

    Também acho interessante que se faça a diminuição da presença do estado onde, participando, só faz o que não deveria, ou faz de forma ineficaz.

    O que mais nos incomoda é que sempre disseram ser contra isso, mas agora, após a roubalheira, a ineficiência na administração federal, eles vem fazer o que sempre combateram.

    Pois é:
    O governo Dilma está num desespero total. Já está vendendo almoço para poder pagar a janta.

    ResponderExcluir
  2. Por que a oposição está calada ? Será que estão todos presos na lama ? Que vergonha, será que não tem ninguem que entende portugues e sabe o que é Semântica ? Combate-se Privatização e faz-se Concessão. Governo desgovernado, e desavergonhado. E Oposição de mentirinha.

    ResponderExcluir
  3. Somos um país de mentirinha.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.