Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Inflação de 8,89% em junho, a culpa é da cebola!


A inflação de junho anualizada foi de 8,89% medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA, divulgou o IBGE, divulgada nesta quarta-feira, dia 8. 

Segundo IBGE, a inflação anualizada do mês de junho de 2015 de 8,89% é a mais elevada desde o mês de dezembro de 2003. Nos países desenvolvidos, costuma-se fazer referência à inflação anualizada, ao contrário do costume brasileiro de inflação acumulada do ano. Melhor seguir a tendência dos países desenvolvidos, porque dá visão exata da realidade do mês considerado, anulando distorções da sazonalidade. 

O principal vilão da inflação do mês de junho foi a cebola que subiu 23,78%. Se não é tomate, o vilão da inflação brasileira é algum item do gênero alimentício ou tarifas públicas. Na época do ministro da Fazenda Delfin Netto, o vilão foi o chuchu, até que foi expurgado do cálculo do índice de inflação. Em 2013, o índice de inflação foi segurado com a postergação do aumento da tarifa de transporte coletivo em São Paulo e Rio de Janeiro. É a clássica manipulação do índice de inflação com congelamento de tarifas públicas. 

Discussão de itens da inflação à parte, o índice do próximo mês, anualizado, vai sofrer aumento significativo. Isto porque o índice de inflação do mês de julho de 2014, praticamente foi nulo, ou seja 0,01% de aumento. No cálculo anualizado, sai o 0,01% e entra IPCA referente ao mês de julho de 2015, certamente, muito maior que 0,01%.

Por si só, o índice de inflação de 8,89% já é alto. O índice de inflação do mês de julho vai extrapolar os 9%, anualizado. Para o governo que estabeleceu como meta, no início do ano, inflação de 4,5%, qualquer número acima de 9% é mais que dobro da meta. Esta história de teto da meta de 6,5% é para os otários verem. A meta é meta, não devia ter nem piso, nem teto. Isto existe só para formuladores da política econômica de uma republiqueta de quinta categoria que quer enganar a população.

O governo, numa atitude equivocada, deve aumentar a taxa básica de juros para 14% ou acima na próxima reunião do COPOM. Nas condições que vive o Brasil, a política de contenção da inflação via elevação da taxa básica de juros Selic é um grande equívoco. Atende apenas a fórmula clássica do FMI, mas não atende aos interesses da Nação, mas acaba não cumprindo função de baixar a inflação. A fórmula clássica do FMI atende aos interesse dos banqueiros e investidores especulativos ou agiotas nacionais e internacionais.  Sem contração da base monetária, o aumento da taxa de juros Selic será um tiro no pé da Dilma. 

Na atual política econômica, que repete a velha fórmula clássica do "neoliberalismo", deixa os investimentos no Brasil atrativo para capital especulativo. Na prática o Brasil já está informalmente na classificação de "grau de especulação" das agências de classificação de riscos. Isto é muito bom para os banqueiros e agiotas nacionais e internacionais.

Só há uma maneira de mudar o quadro da economia do País. A alternativa passa necessariamente pela mudança do presidente da República, no caso da presidente. O PT perdeu a credibilidade. A presidente Dilma perdeu a credibilidade. Só mesmo a saída da Dilma poderá tirar o País de um possível e provável espiral inflacionário. O quadro do Plano Cruzado do Sarney ronda o mercado financeiro. 

Dentro deste quadro, a projeção do Banco Central de inflação de 5,45% ao ano em 2016 comentado na matéria anterior, faz parecer uma piada de mau gosto.


Ossami Sakamori



5 comentários:

  1. Bonita cebola. Mas ela é a culpada? Não será da vaca?

    ResponderExcluir
  2. O desgoverno , para encobrir seus erros e incapacidades , acha sempre um "vilão " a quem culpar .
    O Banco Central está sendo ridículo na sua projeção para 2016 .Fora com todos eles !

    ResponderExcluir
  3. Quem costuma ver o que ocorre na Venezuela,via internet já tem uma idéia clara do que os brasileiros trabalhadores vão encontrar,pois parece que a troupe empoleirada em Brasília só está preocupada em se manter no poder.
    Situação pior só houve na França e que culminou com a Queda da Bastilha(e dos bastardos).Isso faz tempo,mas resultou no nascimento de uma Nação de primeiro mundo,do qual estamos muito longe.

    ResponderExcluir
  4. Haja cebola para nós chorarmos. Leiam mais essa notícia:

    "PMDB é um partido aliado e, naturalmente, está colaborando com a presidenta Dilma e com o país”, disse o vice-presidente

    Agência Brasil

    O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse hoje (9) que a presidenta Dilma Rousseff terminará seu mandato em 2018. Perguntado sobre até quando o PMDB vai segurar a presidenta em meio à crise política, Temer respondeu: “Ninguém precisa segurar porque a presidenta Dilma vai continuar até o final [de seu mandato] com muita tranquilidade. Ela tem uma capacidade extraordinária de trabalho, conhece o Brasil como poucos. O PMDB é um partido aliado e, naturalmente, está colaborando com a presidenta Dilma e com o país”.

    Link: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2015-07-09/dilma-vai-continuar-seu-mandato-ate-o-final-com-tranquilidade-diz-temer.html

    ResponderExcluir
  5. Definitivamente,o PT arrasou com o sonho do povo brasileiro,que está à porta da miséria,sem qualquer chance.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.