Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Com Dilma, Brasil entrará numa grande depressão!


Presidente Dilma quer desarmar a "pauta bomba" que está para entrar no Congresso Nacional, além da votação das medidas de ajustes do Joaquim Levy pelo Senado Federal. Dilma convocou os principais ministros para definir uma pauta "positiva" para contrapor ao efeito negativo que poderia criar a "pauta bomba" no Congresso Nacional. 

Amanhã, quinta-feira, Dilma pretende reunir com os 27 governadores para tentar "alinhavar" um "pacto de governabilidade" para superar o acirramento da crise econômica e política no País. A ideia é tentar convencer os governadores a pressionarem os parlamentares de cada estado a favor do "pacto". Lembrando que a grave situação que passa o País decorreu das medidas de ajustes às medidas "anti-cíclicas" que o próprio PT criou nos últimos 12 anos e 6 meses. 

Dilma teme pela situação de "ingovernabilidade" diante das "pautas bombas", como o julgamento pelo Congresso Nacional das "pedaladas fiscais" apontadas pelo TCU, que poderá dar munição para o pedido de impeachment dela. Dilma teme, também, o aprofundamento nas investigações pela CPI da Petrobras e da CPI do BNDES recém instalado pelo presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, sobre o envolvimento do Lula da Silva e PT. Dilma teme pela derrota na queda de braços com o Eduardo Cunha que se acirrou após a denúncia do suposto recebimento da propina de R$ 5 milhões, amplamente noticiado.

Independente da disputa do espaço político entre Dilma e Cunha, a presidente Dilma vem sofrendo desgastes decorrente do esquema de ladroagem na Petrobras, que envolvem como beneficiários o PT e caixa da campanha presidencial de 2014. O julgamento das contas da campanha corre no TSE que poderá motivar a "anulação" do registro da da candidata Dilma pelo uso de "poder político e econômico". Estes fatos, pega a Dilma no momento de seu mais baixo índice de aceitação pela população em relação ao desempenho do seu governo. A última pesquisa registrou o pífio 9% de ótimo e bom.

Dilma escalou o ministro de Planejamento Nelson Barbosa, para na outra frente, para levar o "otimismo" aos agentes econômicos diante da crescente insatisfação dos empresários em relação às medidas de ajustes da economia. Dilma, também, colocou no ar em cadeia de televisão, o virtual "investimento em infraestrutura" anunciado em junho último. Se isso pega, eu não saberia dizer. O fato é que o desespero da Dilma salta aos olhos do povo.

O ministro Joaquim Levy da Fazenda saiu de cena da frente interna para tentar "segurar" as agências de classificação de riscos dentro do "grau de investimentos". O Brasil vive expectativa de ser rebaixado pelas agências de classificação para "grau de especulação", se não alcançar o novo "superávit fiscal" prometido de 0,15% do PIB neste ano. Este número, bem abaixo da promessa, corre o risco de não ser alcançado. Ainda, corre o risco de terminar o ano com o "déficit primário".

Não só minha previsão, mas do próprio ministro Joaquim Levy, admite que o País não consiga produzir o "superávit primário", sem contar com as novas "pedaladas fiscais" ou mudança no critério para apuração do Balanço do governo federal. Levy teme o "déficit primário". Com o déficit primário, o País viverá aprofundamento da crise econômica, à despeito de todo esforço feito pelos ajustes da economia propostos pelo Joaquim Levy.

Não sou pessimista, mas realista. Se não houver mudança de critério da apuração do Balança das receitas e despesas do governo, se o Joaquim Levy não fizer novas "pedaladas fiscais" ou ainda se não criar novas fontes de receitas, o País terá sua conta fiscal com "déficit primário", nunca dantes dentro do Plano Real. Já antevendo a situação, a equipe econômica estuda a recriação do CPMF para reforçar a receita do Tesouro Nacional. Dentro deste quadro, não há "pacto de governabilidade" que resista.

Se não houver renúncia ou impeachment da Dilma, inexoravelmente, o Brasil entrará em convulsão econômica e social. Não haverá "pacto de governabilidade" que resista. Em permanecendo Dilma no governo, o Brasil está fadado a entrar numa grande depressão!

Ossami Sakamori












12 comentários:

  1. Quer dizer cria-se as pedalas fiscais através do suor do povo brasileiro, que trabalha de sol a sol, enquanto os políticos comem do bom e do melhor o povo fica com a migalha, criar de novo o CPMF para arrecadar dinheiro para os cofres públicos ou seja tiram nosso sangue, porque não conseguem governar um Pais, sem capacidade nenhuma principalmente o PT e a Presidente Dilma, deveríamos cobrar tudo que ela disse em sua campanha eleitoral sobre o crescimento do Brasil, só se for um crescimento negativo se for isso ela conseguiu

    ResponderExcluir
  2. Pelo que assisto e leio, não vai haver renúncia ou impeachment da psicopata da dilma e, inexoravelmente o Brasil entrará em convulsão econômica e social. Não tenhamos ilusões, porque tudo está muito bem oleado para que nada mude. Vamos mesmo entrar numa grande depressão! Tão grande como a da Venezuela e Grecia Juntas e mesmo assim será pouco.

    ResponderExcluir
  3. Como sempre quem pagará a conta da incompetência e roubalheira desse desgoverno é o povo , para não variar . Até quando o fantasma da malfadada CPMF continuará nos rondando e assombrando ? Faça ela o que fizer , não conseguirá mais ter a aprovação do povo e sia tendência , graças a Deus , é cair mais e mais nas pesquisas de opinião .

    ResponderExcluir
  4. Curioso este artigo que li no Blog Alerta Total. Dá que pensar.

    "Dilma culpa Lava Jato pelo pibinho, e advogados da Odebrecht atacam Moro e PF por "reality show judiciário"

    (...)

    Caso emblemático

    Deltan Dallagnol fez referência direta ao caso do Banco Banestado, que investigou um esquema de transferência para paraísos fiscais de dinheiro da corrupção e do tráfico de drogas por meio de depósitos de doleiros em contas de laranjas e em contas no exterior:

    "Tramitamos todo o processo até o final. Chegamos a uma condenação definitiva e pronta para ser executada. Uma vez chegado este momento final, a pessoa, um réu do colarinho branco, entrou com uma revisão criminal e esperamos até o final. Chegamos ao momento de execução da pena e esse réu conseguiu um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para suspender a execução para rediscutir a dosimetria de pena. O processo acaba se tornando algo rumo ao infinito".

    Deltan Dallagnol traçou um paralelo entre o que ocorreu no Banestado e o que deve ocorrer com a Lava Jato:

    "Nós cremos que, no caso da Lava-Jato, em razão de sua dimensão e da sua importância, o Judiciário dará um tratamento célere para esse caso. Agora, o problema é como funciona o sistema. A Suprema Corte americana julga 100 casos por ano. A Suprema Corte brasileira julga 100 mil casos por ano. Como você vai conseguir uma celeridade a um julgamento efetivo quando você tem quatro instâncias? Coisa que eu desconheça que exista em qualquer outro país do mundo".

    (...)"

    http://www.alertatotal.net/2015/07/dilma-culpa-lava-jato-pelo-pibinho-e.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+AlertaTotal+%28Alerta+Total%29

    ResponderExcluir
  5. Como sempre quem pagará a conta da incompetência e roubalheira do desgoverno será o povo . Até quando o fantasma indigesto da CPMF continuará nos rondando e assustando ?
    Faça ela o que fizer , não mais conseguirá ter a aprovação popular nas pesquisas de opinião .
    Dilma , faça um favor a si mesma , arrume suas trouxas e vai fazer tricot em casa ou na cadeia , de preferência , isso se souber fazer .

    ResponderExcluir
  6. Um erro atrás do outro e quem sofre com eles somos nós POVO TRABALHADOR HONESTO E DIGNOS BRASILEIROS.
    Porque ao invés de novas pedaladas fiscais, ressuscitar a maldita CPMF já que estão saqueando nossos bolsos desde janeiro passado, esta PresidANTA não diminui os números de Ministérios, Cargos Comissionados, os salário dela e de todos acima citados, não esquecendo DOS DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES em 30%? Porque só nós"POPULAÇÃO" temos que arcar com uma conta que não participamos das beneficiais, não nos tornamos corruptos, sermos penalizados, termos que pagar por este rombo incalculável que eles fizeram?
    O BRASIL JÁ SE ENCONTRA EM PRÉ DEPRESSÃO DE VERGONHA E PELOS ASSALTOS SOFRIDOS DIARIAMENTE POR ESTA CORJA QUE SE APOSSOU DO BRASIL.
    QUE DEUS E OS ANJOS DE LUZ NOS DÊ FORÇA PARA CONTINUARMOS LUTANDO POR NOSSA SOBREVIVÊNCIA COM DIGNIDADE.
    CIDA LEMOSPE.

    ResponderExcluir
  7. Senhor Ossami

    Creio que já entramos numa grave e irremediável depressão depois de virmos de uma recessão.

    Senão vejamos: recessão é um declínio do Produto Interno Bruto (PIB) por dois ou mais trimestres consecutivos, já a depressão está relacionada com outros aspectos mais amplos, como níveis de emprego, produção industrial, rendimento real, etc. O emprego diminuiu drasticamente, a produção industrial está terminando, o rendimento real é uma triste ilusão. Logo, entramos mesmo numa depressão.

    ResponderExcluir
  8. Só mesmo a anormal dilma.

    "Não foi burrice, foi uma amostra grátis da inconsequência petista.

    Durante discurso no lançamento do Pronatec Jovem Aprendiz na Micro e Pequena Empresa, disse a presidente Dilma Rousseff sobre as metas do programa:




    "Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta".

    A imprensa e as redes sociais ficaram em polvorosa com o que parecia ser mais uma fala ininteligível de nossa mandatária. Como assim, não será fiada meta, mas será entregue o dobro de nada quando esta marca inexistente for atingida? Não era burrice, era uma mostra grátis da inconsequência petista.

    18 segundos de dilma.

    http://youtu.be/xfnrQSLCJoQ

    http://blogreaca.blogspot.com.br/2015/07/nao-foi-burrice-foi-uma-amostra-gratis.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+ZReaa+(z%C3%A9+Rea%C3%A7a)

    ResponderExcluir
  9. Bom Dia, Prof. Sakamori,
    Só nos resta engrossar a manifestação nas ruas no próximo 16 de agosto, p/ mostrar que não estamos passivos diante de tanta manipulação p/ disfarçar este desgoverno e seus saques aos patrimônios públicos da nação.
    Por outro lado, Joaquim Levy e o Bradesco estão rindo à toa:
    Tarifas mais altas garantem crescimento de 18% do lucro do Bradesco
    http://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2015/07/30/bradesco-eleva-margens-e-tarifas-e-protege-lucro-no-2-tri.htm

    ResponderExcluir
  10. E o resumo da obra é o seguinte:
    O PT organiza crime organizado existente a tanto tempo no País, possibilitando roubos cada vez maiores e mais eficazes, o povo paga a conta, como sempre pagou, o Brasil fica à beira de uma crise que faz o caso Collor parecer novela mexicana, e a culpa de tudo isso é o Juiz Sergio Moro (Antes era do Joaquim Barbosa).
    A verdade é que se realmente for prender todo mundo que se beneficiou do esquema, vão ter que soltar os presidiarios que cometeram pequenos crimes pra abrir vaga nas penitenciarias, e construir mais pra caber tanta gente, só que não, porque preso mesmo fica quem rouba galinha. Quem ajuda a roubar o "grosso" mesmo, fica em prisão domiciliar em algum condominio de luxo, enquanto os "donos" do esquema viajam de helicoptero entre as fazendas no Pará, Mato Grosso, Bahia... É revoltante ser brasileiro (com b minusculo mesmo)...

    ResponderExcluir
  11. A tal "Patria Educadora" dos bolivarianos, do PT, do PC do B e dilma, é uma fraude, uma grande mentira pois, na educação só este ano já foram cortadas verbas superiores e R$ 11 bilhões.

    "Orçamento da Educação terá corte adicional de até R$2 bi neste ano, dizem fontes 17

    BRASÍLIA (Reuters) - O governo vai fazer corte adicional de até 2 bilhões de reais no orçamento do Ministério da Educação deste ano que, se concretizado integralmente, amplia para mais de 11 bilhões de reais o bloqueio sobre os programas educacionais, informaram à Reuters nesta quinta-feira duas fontes do governo com conhecimento sobre o assunto.

    Com isso, a área de Educação poderá responder sozinha por quase um quarto do corte adicional de 8,6 bilhões de reais nas despesas de 2015 anunciado na semana passada e que faz parte do novo ajuste fiscal.

    "O Ministério da Educação será uma das pastas mais atingidas pelo novo corte", disse uma fonte do governo. Uma segunda fonte do governo disse que a tesoura será maior no MEC porque possui um dos maiores orçamentos em comparação aos demais ministérios.

    (...)"

    http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN0Q42FO20150730

    ResponderExcluir
  12. Só assim seremos chamados de gregos.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.