Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Petrobras. Mudanças não livram Dilma da responsabilidade.


Presidente Dilma Rousseff, cedendo à exigência do mercado financeiro, demite presidente da Petrobras Graça Foster e outros 5 diretores. Acontece após a desastrada revelação da existência de ativos superavaliados e subavaliados no valor líquido de R$ 61,4 bilhões que deixou de ser considerado no balanço do terceiro trimestre de 2014 da Companhia.

Ficou claro, porém, que a demissão da Graça Foster, segundo senador Humberto Costa, estava insustentável. A demissão é uma tentativa de tentar estancar o estrago causado com as divulgações de notícias que são divulgados diariamente sobre a Operação Lava Jato. É uma tentativa do governo de tentar blindar o assunto da ladroagem na Petrobras da figura da presidente Dilma. 

Para o mercado, ao que parece a estratégia estar dando resultado. No dia do anúncio da demissão da Graça Foster, as ações da Petrobras subiu 15%. Porém, esta manobra de substituição dos diretores da Petrobras, o próprio mercado vai se encarregar de descobrir que a manobra é apenas para blindagem da Dilma da Operação Lava Jato.

A nomeação dos novos diretores executivos da Petrobras serão escolhidos pelo Aloysio Mercadante, chefe da Casa Civil. Os novos membros do Conselho da Administração serão escolhidos pelo ministro Joaquim Levy da Fazenda. Certamente o novo presidente do Conselho da Administração será o próprio Joaquim Levy.

O que não podemos é confundir as substituição dos nomes como solução para todos os problemas da Petrobras. Estão redondamente enganados aqueles que pensam que com as substituições da diretores, a presidente Dilma vai se livrar da Operação Lava Jato. Pelo contrário, os processos da Operação Lava Jato, vai entrar na fase crucial, porque envolverão o indiciamento e julgamento dos parlamentares citados pelo delator Paulo Roberto Costa, como esta movimentação de prisões e buscas e apreensões de hoje. 

Na minha opinião, cabe aos novos diretores, não só a incumbência de colocar e administrar a Petrobras dentro das regras da transparência e de boa governança corporativa, mas sobretudo apurar as maracutaias e ladroagem praticados pelas administrações demissionárias e as anteriores. Não adianta a presidente Dilma e os novos diretores querer passar régua no passado. A Petrobras tem que dar uma parada técnica para avaliar o que sobrou do escombro antes de colocar a estrutura viciada para produzir. 


Dilma, não vem que não tem. Esta manobra de troca de diretores da Petrobras, em nada alivia sua responsabilidade na ladroagem na Companhia. Dilma foi responsável direto pela Petrobras nos 12 anos do governo petista.

Ossami Sakamori



7 comentários:

  1. Talvez demitir Graça Foster seja apenas uma manobra para se ganhar mais tempo e mais espaço dentro do Poder Legislativo. Não existe nada que Graça possa fazer, fora uma Delação Premiada que possa ajudá-la, porque não acredito que a mesma vá carregar a culpa de dois presidentes e vários partidos corruptos. Não existe HIENA que come uma ZEBRA sozinha,. A partilha faz parte dos BANDOS, até dos ladrões

    ResponderExcluir
  2. Os novos diretores executivos da Petrobras e os novos membros do Conselho da Administração, lembra-me aquela expresão: apenas mudam as moscas, porque a m.... è a mesma.

    ResponderExcluir
  3. Dilma é fraca, não sabe tomar posições, apesar da postura arrogante. O segunda mandato de Dilma já começa com clima de final de governo. Dilma sempre demora para tomar decisões, nomear ministros e, agora, veremos uma nova novela - quem será o novo Presidente da Petrobrás? Com certeza, nenhum desafeto da Dilma, então...

    Eu só sei que a Petrobrás não deve ser privatizada, como muitos querem, os EUA estão de olho no Pré-sal. Temos inimigos internos, que estão no governo, e inimigos de fora, que estão de olho em nossos recursos. Estamos num campo minado.

    Hoje, a Petrobrás só tem importância na Bolsa, não é mais vista como uma empresa da sociedade brasileira. O buraco é bem mais embaixo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pergunta: qual o receio em privatizá-la?! O governo já mais que demonstrou que mantê-la aos interesses do Estado resulta em tudo isto que estamos assistindo: ingerência, ineficiência e corrupção! Sinceramente não entendo certos dogmas criados na sociedade brasileira de que privatizando as estatais, entregaremos os recursos naturais estratégicos aos "abutres" de fora. Basta ler a Lei de Concessões e Exploração e Uso de Recursos Naturais para entender que o Estado é dono dos recursos e pode usufruir desta riqueza que poderia ser aplicada na melhoria do sistema de ´saúde, educação e segurança pública! Do jeito que ela esta, certamente ela já é privatizada, mas não mão do clubinho das empresas eleitas campeãs nacionais, e do atual governo com sua estrutura de perpetuação no poder. Ao meu ver isto não é democracia e o povo está sendo roubado!

      Excluir
  4. Se dilma colocar o meireles de quem não nutre qualquer simpatia mas è o preferido de lula, então fica provado que o Brasil è governado por uma gangue.

    ResponderExcluir
  5. A saída de Graça Foster foi apenas uma gotinha fitoterápica sobre um imenso câncro.
    C.Jansson

    ResponderExcluir
  6. O mato chamado "tiririca"(não o deputado) é uma praga que se não retirarmos logo, se alastra e toma conta do terreno sufocando e matando outras plantas. Para eliminá-la, jogamos veneno no "pé" dele. Matando o "pé", as ramificações morrem . Assim é a corrupção. Eliminando os chefões, a quadrilha se desmantela. No caso da Petrobras os chefões são Lula e Dilma, o restante são apenas servidores da quadrilha.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.