Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Com PT, aumentou a concentração de renda no País


Com a polêmica levantada pelo jornalista Paulo Henrique Amorim sobre estar na cadeia da Delegacia de Polícia Federal de Curitiba indiciados na Operação Lava Jato, que respondem por 25% do PIB, segundo o jornalista, me ocorreu fazer uma pequena divagação sobre a realidade brasileira.

Os números apresentados aqui por mim, tem apenas efeito didático, carecendo de rigor, por falta de dados com minúcias dos números do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. No entanto, o que vou afirmar aqui não está longe de representar a realidade dos fatos, digamos que o que vou dizer é o espelho da sociedade econômica e social do País.

Grosso modo, sem considerar as tarifas públicas como água e energia elétrica, bem como os números da previdência social complementar e atendimento da saúde complementar, somado os gastos das entes federativos União, estados e municípios, representa  acima de 40% do PIB.

Resta ao setor privado cerca de 60% do PIB para ser rateado entre diversos segmentos da atividade econômica. Fugindo ao convencional divisão por setores por atividade, vou ensaiar divisão deste PIB, claro, grosso modo em grandes classes sociais do setor privado, já que 40% é representado pelo poder público.

Avalio que 25% dos 60% do PIB está concentrado em grandes conglomerados de empresas que usufruem diretamente dos benesses da política econômica do governo federal. Refiro-me aos empresários como aqueles citados pelo desastrado Paulo Henrique Amorim como dono de 25% do PIB. Estas famílias recebem apenas de Bolsa Empresário cerca de R$ 40 bilhões anuais, somente no programa PSI - Programa Sustentável de Investimentos do Lula, sem contar com benefícios fiscais para grandes conglomerados.

Outros 25% dos 60% está concentrados em setores financeiros, donos ou não, das instituições bancárias, que sobrevivem de aplicações em ativos financeiros do Tesouro Nacional. Eu chamo este segmento de agiotas. Ganham horrores de dinheiro sem tirar a bunda da cadeira, aplicando em títulos do governo federal ou outros títulos derivativos destes mesmos títulos. Só neste ano, os agiotas com banca ou sem banca, embolsam lucro líquido (descontado inflação) cerca de R$ 160 bilhões. Tudo para manter a presidente Dilma no cargo.

Bem, os 50% dos 60% do PIB, igual a 30%, correspondem a pouco mais de 5 milhões de micro, pequena e média empresa, que sustentam os governos (40%). Esse mesmo contingente de pessoas mais os trabalhadores deste, sustentam os grandes conglomerados (15%) e os agiotas com banca ou sem banca (15%). Resumo da ópera os 30% da classe social que vai de trabalhadores, micros, pequenos e médios empresários, sustentam um punhado de gente que representa 70% do PIB e mamadores de tetas do governo federal.

Impressionante é o número de pessoas que representam cada segmento da sociedades acima mencionadas. A estimativa de número de pessoas que representam o grande conglomerado empresarial e o setor financeiro não passa de 500.000 pessoas, considerando neste número pessoas vinculadas às famílias dos donos.


Resumindo. Nós, 119.500 mil pessoas, compostos de trabalhadores do setor privado e público, micros, pequenos e médios empresários, trabalhamos de sol a sol para fazermos os 500 mil brasileiros se enriquecerem cada vez mais e exibirem os seus jatinhos e iates. 

Fazer o que? É a lógica do capitalismo, exacerbado no Brasil por praticar política econômica equivocada ao longo dos anos. Isto que se chama distribuição de renda do PT. Com o PT aumentou a concentração de renda no País.

Ops! Já foram buscar o diploma de otário?

Ossami Sakamori



8 comentários:

  1. Pois é...

    E se considerarmos o número de petistas (todos, do país inteiro) e considerarmos a contribuição deles para o PIB Nacional e fizermos as contas do que levam em troca, e somarmos os frutos da roubalheira, aí sim veremos que em matéria de idiotice já devemos ser pós-graduados.

    ResponderExcluir
  2. Impressionante seu texto, Sr Sakamori. A maioria dos trabalhadores fica só com as migalhas. Isso é crime, mas infelizmente está enraizado na cultura brasileira. Cada um puxa a sardinha para o seu lado.

    ResponderExcluir
  3. Pelo amor de Deus, eu não sabia que era tão MULA. Além de buscar meu diploma, estou atrás de uma carroça. Alguém tem uma para emprestar, porque dentro desses parâmetros, não vai dar para comprar mesmo. Agora uma perguntinha, boba até, e se eu falir e deixar de pagar IMPOSTOS, quem poderá me ajudar já que o Chapolim morreu ?

    ResponderExcluir
  4. Nos tornamos otários por culpa de uma grande parcela leviana e interesseira do povo que se vendeu aos engodos do PT.
    Estamos tal qual uma nau sem rumo num mar violento e tenebroso e,agra só uma ajuda divina poderá nos salvar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é mesmo. Só uma ajuda divina!

      Excluir
  5. Mestre Saka, o fato de PHA ser um enxerido, mentiroso e fofoqueiro, não faz dele um jornalista.

    ResponderExcluir
  6. A desigualdade social, que o PT tanto combate, na realidade pouco mudou nos últimos 12 anos. Enfim, muito se fala, mas pouco se faz.

    ResponderExcluir
  7. A desigualdade social, que o PT tanto combate, na realidade pouco mudou nos últimos 12 anos. Enfim, muito se fala, mas pouco se faz.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.