Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 23 de março de 2012

VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO DO BRASIL

Um levantamento divulgado pelo Ministério de Saúde, com base em dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), mostra que o Brasil registrou no ano passado 40.610 vítimas fatais no trânsito, um aumento de quase 25% em relação ao registrado nove anos antes, em 2002, quando 32.753 morreram. Fonte: G1

Entre as regiões do país, o maior percentual de aumento na quantidade de óbitos foi registrado no Norte (53%), seguido do Nordeste (48%), Centro-Oeste (22%), Sul (17%) e Sudeste (10%). Fonte: G1

“Os estados que conseguiram apertar a fiscalização e impedir que qualquer pessoa alcoolizada pudesse dirigir conseguiram reduzir os acidentes”, destacou o ministro Alexandre Padilha em entrevista ao G1. Fonte G1

“O primeiro motivo das causas dos acidentes tem sido a alta velocidade. É fundamental termos mecanismos de combate à alta velocidade", disse Padilha. Fonte: G1

O ministro ressaltou ainda a importância de uma fiscalização mais eficaz da Lei Seca. De acordo com o ministro Padilha, houve uma redução de até 30% nas regiões que tiveram uma ação mais eficaz na fiscalização. Fonte: G1
  
Os dados são inscontestáveis pois são os fornecidos pelo Ministério da Saúde. Poderia acrescentar aqui algumas estatísticas comparativamente com outros países semelhantes em extensão territorial como o Brasil, mas deixo de fazê-lo, tendo em vista que não sou especialista na área de trânsito.

No entanto, me espanta o número de mortes.  É como se a cada 5 anos ocorrece terremoto como o do Haiti, onde morreu 200 mil pessoas. É um número absurdo, que não necessitaria de nenhuma referência de comparação.  

Apontarei aqui, como cidadão comum, duas principais causas que fazem com que o número de acidentes cresçam todos os anos, proporcionalmente ao número de veículo que trafegam no país.  Sendo assim, em pouco tempo, estaremos com a estatística batendo nos 100 mil mortes por ano em acidentes de trânsito.

A primeira causa é que o crime praticado pelo acidente do trânsito não é levado a sério, aqui no Brasil.  À rigor, se tem 40 mil mortes em acidentes, deveria ter quase igual número de condenados pela morte.  Mas, não tem. Outro aspecto é a responsabilidade civil do causador do acidente à família do acidentado.  No Brasil, não tem nenhum.  Apenas recai sobre danos materiais.  E a renda da pessoa vítima que fará a falta para a família, quem paga? Ninguém. No Japão, o causador do acidente arca até o resto da vida, parte da sua renda para sustentar a família da vítima, por lei e pelo costume.  E perde carteira de motorista para o resto da vida. Aqui, o motorista causador do acidente continua com a carteira de motorista. Estou mentindo?

A segunda causa é a precária infraestrutura do país em termo de locomoção de pessoas e cargas.  Tudo é feito via rodoviária.  Então, congestiona tudo.  Pode ver que, nas estradas normalmente envolve veículos de carga.  O pior, congestiona em estradas mal conservadas, esburacadas, em sua maioria e em pista simples. Quantas estradas por país a fora, não tem a sua "curva da morte".  São curvas que são convites para causar acidentes fatais.  Cadê os PACs das estradas? Só existem para "roubalheira" do dinheiro do contribuinte?

Infelizmente, sou obrigado a concordar com o ex-presidente francês Charles De Gaule: O Brasil não é país sério!

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi professor da UFPR, cidadão comum.
Atende pelo twitter : @sakamori10

Um comentário:

  1. Muito bom esse tema, a violência no trânsito é uma muleta para o desgoverno petista, não existe planos nem interesse em atenuar o problema. Realmente a frase de De Gaule é uma verdade inconteste.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.