Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 13 de março de 2012

NOVO MENSALÃO, EM MARCHA


O primeiro grave sinal de rebeldia da base foi dado na semana passada, quando Jucá teria orquestrado a rejeição do nome de Bernardo Figueiredo para diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). Figueiredo foi uma indicação pessoal de Dilma.  O porta-voz da Presidência confirmou nesta terça-feira as trocas nas lideranças do governo na Câmara e no Senado. Fonte: Folha.

Foi para acalmar situação assim que Lula mandou comprar os parlamentares, em dinheiro vivo, via Marcos Valério, que resultou no processo denominado Mensalão. 
Hoje em dia, a estrutura do mensalão mudou de formato. Vivendo e aprendendo. A coisa é feita no atacado. Cada partido leva um determinado ministério ou alguma estatal de "porteira fechada" . A sinalização é que dentro da porteira, cada partido faz o que quiser. Com ONGs ou sem ONGs. Com propinas ou sem propinas. Com ou sem remessas de dinheiro lá fora.  Resolvendo no atacado, ficou fácil para Dilma administrar os interesses financeiros de cada partido.  

A troca de líderes na Câmara e no Senado, faz parte desta repartição de dinheirama.  O Arlindo Chinaglia é um bom articulador, inteligente, sabe quem opera dentro da estrutura do poder, não vai incomodar ninguém. O Eduardo Braga foi um dos operadores da campanha da Dilma 2010.

A rearrumação da repartição do dinheiro público, está focado na campanha eleitoral de prefeituras municipais, notadamente de grandes capitais, neste ano de 2012.

Assim como aconteceu na campanha do Lula 2006, ou na campanha Dilma 2010, é natural que eleições municipais, sobretudo de grandes capitais, serão motivos justificados para geração de Caixa 2. Agora, cada partido fazendo a sua, de porteira a dentro. 

Os operadores serão os mesmos de sempre: Palocci, Paulo Bernardo, Eduardo Braga, Jaques Wagner, Mercadante, Ideli Salvati, Blairo Maggi, Roseana Sarney, acrescido de novos ocupantes dos ministérios.

Enganou quem pensou que o novo mensalão iria acontecer da forma como foi, com dólares na cueca e tudo o mais.  Hoje em dia, a tecnologia é "on line" e "off shore". 

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi professor da UFPR. Eleitor de Curitiba. 
Atende pela rede Twitter : @Sakamori10




3 comentários:

  1. Onde tiver o PT-DILMA-LULA tera a compra de Ratazanas Politicas que fazem parte do Esgoto Aliado da Base Imunda de sustentação do Gov Dilma escrava e faxineira Chorona do Terceiro Mandato de Lula o Pai do Mensalão.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto colega, realmente esse é o "modus operandi" da CORJA¹³ e seus asseclas.
    Infelizmente não há nenhum dispositivo legal para que se ponha um fim nessa QUADRILHA, pelo fato de termos um judiciário ($)subserviente($) e uma imprensa totalmente ($)calada($), a serviço do desgoverno federal.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.