Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 13 de março de 2012

ROBIN HOOD BRASILEIRO

Robin Hood conhecido em Portugal como Robin dos Bosques é um herói mítico inglês, um fora-da-lei que roubava dos ricos para dar aos pobres, aos tempos do Rei Ricardo Coração de Leão. Pois o nosso Robin Hood são os próprios governos, em 3 níveis, que furtam da maioria da população para entregar de bandeja para poucas famílias privilegiadas do país. Senão, vejamos.


1. Renúncia fiscal. São séries de privilégios dados a umas poucas famílias brasileiras e outras tantas estrangeiras, com isenção tributária em 3 níveis do governo, incluindo Zona Franca de Manaus. Número que ultrapassa R$ 100 bilhões.


2. Setor bancário. Serviço bancário é concessão pública. Setor dominado pela meia dúzia de famílias brasileiras e estrangeiras. Exceptuando BB e CEF que são empresas estatais, o lucro anual do setor ultrapassa R$ 30 bilhões.


3. BNDES. O banco de fomento estatal, empresta a juros subsidiados TJLP de 6% aa, dinheiro captado em sua maior parte a custo SELIC de 9,75% aa a poucos privilegiados do Planalto. O diferencial entre juros de capitação e juros concedidos podemos considerar como transferência direta em forma de dinheiro para, a umas poucas dezenas de famílias brasileiras e estrangeiras. Estimo essa transferência em R$ 20 bilhões ao ano.


4. Concessões. Diversas formas de concessões públicas, são exploradas pela iniciativa privada, umas poucas famílias brasileiras e estrangeiras são beneficadas. As concessões, vão desde transporte aéreo, portos, rodovias, ferrovias, setor elétrico, saneamento básico e recentemente aeroportos. Digamos que isto represente 1% do PIB ou seja aproximadamente R$ 40 bilhões. Cálculo por baixo, muito aquém do real, creio.


5. Meios de comunicação. Neste setor é demais notório, dispensa apresentações. Estão na mão de, basicamente, 4 famílias, brasileiras por exigências da lei. Fatura anualmente verbas em 3 níveis de governos em aproximadamente R$ 3 bilhões anuais. Menos significativo em números, porém representativa pois trata-se de transferência direta de dinheiro público para concessiorárias de serviço público, formadora de opinião pública.


Em apenas 5 itens enumerados dá bagatela de R$193 bilhões anuais, que corresponde a uma transferência de renda da população composa de 190 milhões de brasileiros e brasileiras para menos de 2.000 famílias privilegiadas que abocanha a maior fatia deste dinheiro furtado do povo, diretamente ou indiretamente.


O Robin Hood brasileiro rouba dos coitados para entregar aos poucos privilegiados do Rei Ricado ou melhor dizendo da Rainha Rousseff.  Ironia do destino, hoje, a Rainha Roussef vai receber homenagem do Congresso Nacional como mulher mais brilhante do país.


Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi professor da UFPR. Cidadão comum. Atende pelo Twitter : @sakamori10

2 comentários:

  1. Chega a ser cômico se não fosse trágico, endeusar uma figura deplorável, elevada a um cargo por uma armação travestida de democrata. Ninguém em sã consciência colocaria uma figura destas no comando de um país como o Brasil, a não ser essa quadrilha que impera há 10 anos. Lamentável e trágico para a população pensante.

    ResponderExcluir
  2. O País crescendo haverão boas oportunidades para com os bem preparados. Novas tecnologias podem proporcionar rápidas mudanças e novos players entrarão neste eleto grupo dos ricos, e isto é ótimo. Nós cidadãos comuns temos que nos posicionar de doravante forma ruidosa, contra este tipo de coisa. As conexões possíveis hoje tornam mais fáceis as mobilizações.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.