Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 3 de março de 2012

BRASIL, CAPITANIAS HEREDITÁRIAS

Lembrei-me de ter aprendido na escola, quando ainda criança, sobre Capitanias Hereditárias. 

Entre os anos de 1534 a 1549, o rei de Portugal D. João III resolveu dividir a terra brasileira em faixas, que partiam do litoral até a linha imaginária do Tratado de Tordesilhas. 

Estas enormes faixas de terras, conhecidas como Capitanias Hereditárias, foram doadas para nobres e pessoas de confiança do rei. . Em troca destes serviços, além das terras, os donatários recebiam algumas regalias, como a permissão de explorar as riquezas minerais e vegetais da região.Estes territórios seriam transmitidos de forma hereditária, ou seja, passariam de pai para filho.

Achei muita semelhança com o que se passa no Brasil nos dias de hoje. Nada mudou, após quase 500 anos que se passou da época que vigorou o sistema administrativo de governo, senão vejamos trechos de reportagem da Folha de São Paulo.
 

A presidente Dilma Rousseff se emocionou e quase chegou às lágrimas nesta sexta-feira (2) ao falar sobre o ex-ministro Luiz Sérgio (PT), que deixou a pasta da Pesca numa ação para acomodar o PRB no primeiro escalão do governo federal. Dilma disse que decidiu substituí-lo na pasta por Marcelo Crivella (PRB) para garantir espaço a um partido aliado.

Dilma disse não ser "contraditório" se apoiar numa coalizão de partidos porque o seu principal objetivo é "governar para todos os brasileiros". A união dos partidos em torno de sua candidatura, segundo a petista, foi responsável pela sua eleição. 

Já deixo claro que o sistema administrativo baseado em coalizão de apoio ao governo, não é privilégio do partido do governo da presidente Dilma.  Outros partidos que passaram no governos da República, adotaram práticas semelhantes.  Claro, exacerbado no governo da Dilma Rousseff, talvez motivado pelo fato de ela ter sido eleita com a força política do seu antecessor presidente Luis Inácio Lula da Silv, sem ela ter tido alguma experiência em cargo eletivo.

Hoje, as nossas Capitanias Hereditárias, são compostos de 38 ministérios e de órgãos importantes como Banco Central do Brasil, Petrobrás, Eletrobrás, BB, CEF, BR Distribuidora. E seus donatários são os partidos que compõe a base do governo, tais como PT, PMDB, PR, PC do B, PSC, PDT, PTB, PRB e de tantas outras siglas que não me lembro.

O sistema administrativo é tão igual àquele do tempo do rei de Portugal Dom João III.  Cada donatário, partido político da base, manda e desmanda nas suas Capitanias com direito de indicar os administradores para os órgãos que compõe sua capitania. Claro, em troca destes serviços, os donatários recebem algumas regalias, como a permissão de explorar as riquezas de respectivos órgãos, tal qual acontecia nas Capitanias Hereditárias.

Em tempo. O sistema de Capitanias Hereditárias durou apenas 15 anos, porque as dificuldades de administração das capitanias eram inúmeras.

#EuSouDaResistance (com a) #QueroBrasilMelhor

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi professor da UFPR. Atende pelo Twitter : @Sakamori10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.