Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

OBAMA X DILMA. O QUE MUDA?


Enfim, terminou as eleições nos EEUU, ontem.  As pesquisas de boca de urna já indicavam a reeleição do presidente Obama  e os resultados apenas vieram a confirmar.  Aparentemente, ao Brasil nada afeta a sua reeleição, mas ledo engano.  A presidente Dilma já percebeu isso.  O ministro Mantega, também, já sentiu.  Diante do fato consumado, a Dilma vai procurar o caminho alternativo, doravante.  Vejamos alguns pontos que vão ressaltar aos olhos do povo brasileiro, querendo ou não.  Não saberia antecipar se a guinada da Dilma na sua política interna e externa vai dar resultado positivo ou não.  Cada um tira as suas próprias conclusões.

Com o Obama no poder, o Brasil não vai conseguir uma vaga no Conselho de Segurança da ONU.  Obama flertou o Brasil, com a sua visita ao Brasil no início do governo Dilma, mas desistiu.  A Dilma fez opção política estranha ao se alinhar com o Hugo Chavez da Venezuela, Bashar Al Assad da Síria e Mahmoud Ahmadinejad do Irã.  O fato colocou o Brasil fora dos eixos do bem.  Infelizmente, não é posição do Itamaraty que sempre primou pela independência na sua política externa.  É coisa da turma dos ex-terroristas que hoje estão no poder.  E a formulação comandada por não diplomata, o assessor especial da presidência Marco Aurélio Garcia.  

Dilma, agora, se aproxima do François Hollande, presidente socialista, da França.  Vai fazer uma visita oficial por estes dias.  Com certeza, vai trazer as caças Rafale debaixo do braço.  Negociação que fora iniciado pelo ex-ministro da defesa Nelson Jobim.  Ele foi exonerado da função, justamente para reconduzir a negociação da Rafale, agora, por própria Dilma.  Sabe-se que muitos US$ milhões vão rolar.  A justificativa, vai ser a transferência de tecnologia.  Enfim, a tentativa de negociação da Super Hornet da Boeing não deu certo, porque o Brasil insiste em vender os tucanos da Embraer para o Hugo Chavez.  Vá lá, é apenas uma questão menor, dentro do contexto.

A política econômica do Obama, implementada neste ano, a de desvalorização do dólar, vai causar estrago danado na política econômica da Dilma.  Explico.  A Dilma continua insistindo em manter o real valorizado.  Com as medidas recentes do Obama, vai deixar ainda mais apreciado, sem que nenhuma providência seja tomada pela Dilma.  O Tombini do Banco Central do Brasil, sob orientação da Dilma de manter real valorizado, está a ignorar as últimas medidas do FED americana, leia-se Obama.  Com a reeleição do Obama, fica claro que a trajetória iniciada, recentemente, vai continuar até que o resultado da recuperação da economia americana apareça.  A Dilma e sua equipe econômica continua mantendo real valorizado para manter a sensação de prosperidade  e euforia com o dólar barato.  Enquanto isso, amargamos o PIBinho.

Uma coisa ministro Mantega aprendeu com o Obama, a de dar liquidez ao sistema.  A Dilma vai mandar nos próximos dias MP que autoriza executivo a reforçar o Bolsa Empresário.  Bolsa Empresário é aquele dinheiro que o Tesouro toma no mercado à taxa Selic e repassa para os "mega empresários" à taxa TJLP ou menos, via BNDES.  Creio que algo como R$ 100 bilhões para os próximos 2 anos, acrescido ao saldo de aproximadamente R$ 350 bilhões.  Lembrando que esta linha de crédito foi inventado pelo Lula, no ano de 2009, na tentativa de recuperação da economia pós crise de 2008 e acabou ficando como permanente.  Por incrível que parece, quem vai levar a fama é o Obama!

Vocês, ainda, acham que reeleição do Obama não produziu efeito no Brasil? 

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.