Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

DÓLAR ROMPE O TETO DE R$ 2,10 ?


Apesar de Tombini, presidente do Banco Central do Brasil ter dito em depoimento no Senado Federal, ontem, que o BC tem munições para atuar na eventual apreciação excessiva (sic) da moeda americana, creio que o BC trabalhará com a banda cambial, informal, entre R$ 2,10 e R$ 2,20, saindo do patamar em vigor até ontem.  

Como o Brasil tem reserva cambial expressiva, quase US$ 400 bilhões, o BC, "manipula" para não deixar sair da banda cambial informal estabelecido pela própria instituição.  A banda cambial informal, está na cabeça de 3 pessoas da república, do próprio presidente do BC Alexandre Tombini, do ministro da Fazenda Guido Mantega e da própria presidente Dilma.  

A situação do BC é extremamente difícil, porque o câmbio mexe com os  diversos componentes da politica monetária do governo federal.   Com a aceleração da diminuição do superávit comercial, o BC é impelido a reajustar a banda cambial informal no patamar acima do que é praticado hoje.  Por outro lado, a apreciação do dólar frente ao real, traz aumento de custos para os importados, sobretudo os manufaturados.  É um dilema pra o trio.

A depreciação do real traz para a Petrobras prejuízo enorme, uma vez que, por falta de capacidade de refinamento do óleo bruto no país, a Companhia vem importando cada vez mais os combustíveis prontos.  A situação da Petrobras, que já está adiando os investimentos na área de exploração e de refino, por conta da defasagem do preço de combustíveis na bomba, fica cada vez mais grave.  Como a Petrobras não está conseguindo vender os ativos filé mignon no Golfo do México, a situação se agravará ainda mais com o novo patamar de cambio, se houver alteração.

Cada cabeça uma sentença.  No meu entender, o BC deve ajustar o câmbio no patamar que deveria estar, isto é cotado a R$ 2,40  para cada dólar americano.  O número apresentado não veio do acaso ou do chutômetro.  Diversas análises, entre as quais do próprio instituto de pesquisa do governo, o IPEA, mostra que o câmbio está defasado, nos níveis praticado hoje.  Este bloguista, também, fez cálculo do real, considerando a inflação brasileira INPC e descontando a inflação americana, desde a criação do real, chegou-se a conclusão do número apontado acima.  Se a inflação brasileira for calculado com o índice IGPM, utilizado em maioria dos produtos e serviços, o número se torna explosivo.  Deixo de apresente este número, para não gerar especulações.

Segundo analistas do mercado e eu concordo com eles, se o BC deixar ultrapassar a cotação do dólar acima R$ 2,12 significa que o Tombini vai adotar a nova banda cambial de R$ 2,10 a R$ 2,20.  Isto nós vamos saber nos próximos 2 ou 3 dias de negociação.  Rompendo o número psicológico, o dólar a R$ 2,10,  passaria a ser o novo piso, deixando de ser balizado como teto.

Este bloguista vem acompanhando par a passo os lances da dupla Mantega e Tombini, na área de política monetária, no meu entender equivocada, então, enxergo sem muita margem de erro, o que se passa na cabeça da dupla Mantega/ Tombini.  Nem é preciso ser "expert" no assunto para descobrir o que eles pensam.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.