Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 4 de junho de 2013

Que povinho é este?

Transcrição do texto que circula na internet.  Seja o texto original ou não, o seu conteúdo é merecedor de reflexões.  Mesmo não sendo o texto original, concordo com o  conteúdo do artigo, portanto assumo responsabilidade solo ou solidário com que supostamente assina a matéria.  Vale a pena ler e refletir. 

Que povinho é este? 

A pergunta sobre que País é este infernizou o cérebro de estudiosos durante décadas. Os mais céticos, após acompanhar como a nossa “macunaímica” sociedade leva a sua vidinha, mudaram o seu foco de estudos, e chegaram à brilhante conclusão que esta M... não tem solução. As moscas mudam, mas o povinho é o mesmo. 

Sim, é o mesmo. A sua educação prossegue abaixo do que poderíamos esperar.  Como quase todo mundo tem um pezinho na negritude, sempre há a esperança de que possa pegar uma boquinha na cota racial. Como a sua convicção sexual depende dos benefícios financeiros, admitir que seja chegado a um membro do mesmo sexo, masculino ou feminino, é uma gratificante decisão. Sem contar que contará com a boa vontade do liberal inzoneiro populacho.

 
Continua esperando que os outros quebrem o seu galho, em especial o governo. A turma, descaradamente, prefere ganhar o peixe fritinho do que pescar, limpar e queimar os dedinhos numa frigideira.  Vimos o tumulto que foi “o vai acabar a bolsa família”. A galera foi ao desespero.
 
A irresponsabilidade, ou seja, o direito de não assumir qualquer compromisso é uma das suas virtudes. Ao longo de centenas de anos foi se forjando um amor às coisas terrenas, em especial à dos outros, ao carnaval, ao trio elétrico, à marcha gay, à bolsa de qualquer natureza, que é difícil mudar hábitos tão arraigados.
 
Jeitoso por sua própria natureza, nem se preocupa que para cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. Em geral, prefere acreditar que é assim, um incompreendido, por descaso dos outros, que culpados, devem pagar.  Acreditam que nunca deveriam passar dos dezoito anos, idade que os protege contra as garras da justiça. Como exigir de um desabonado pela riqueza fácil que ele tenha amor pelos seus semelhantes?
 
A sociedade deveria condoer - se de um menor que desnorteado mata outra pessoa, influenciado pela descompostura de sua sociedade, que não lhe fornece os bens que ele tem direito. Se os graúdos se locupletam com maracutaias mirabolantes, “por que não eu”, desafiam os parasitas entre os jogos de futebol?  
 
É fácil imaginar que devido ao esforço do desgoverno em cortar impostos para a compra de determinados bens (eletrodomésticos, carros...), decretar gratuita a cirurgia para troca de sexo, promover a distribuição de remédios, do kit gay e de uma montoeira de benesses, a reeleição da madame de um só neurônio será mamão com açúcar.
 
Como pretender que este desprezível inocente acredite que os pesados impostos não sejam para a construção de um País melhor para todos, e sim para o seu usufruto, e que por mais filha da p.. que ele seja , o seu voto vale tanto quanto o meu e de milhões que trabalham e pagam?
 
Não importa. Destacamo - nos na criminalidade mundial, no número de acidentes automobilísticos, no consumo de bebidas alcoólicas e das drogas, nos baixos índices escolares, no número de estupros (para alguns uma demonstração da nossa virilidade).
 
Como abrir mão da bolsa escola, da bolsa família, da bolsa invasão, da bolsa prostituta, da camisinha, da pílula do dia seguinte, do seguro desemprego, do auxilio reclusão, da fome zero, do vale gás, do vale transporte, do vale refeição e do sorteio da casa própria?
 
É proverbial a nossa independência, tanto que breve seremos uma nação impar, divididos em comunidades, a dos índios, dos negros (que poderão fracionar a unidade nacional), dos gays, dos viciados, a dos perseguidos, a dos sem terra e dos sem teto. 
 
E um belo dia o desgoverno do PT, em apoteótica cerimônia, dividirá os bens nacionalmente, e todos serão iguais perante a quem estiver no trono. Neste dia, o sucesso do “tudo pelo social” será conhecido em todo o mundo, que não perguntará que povo é este. Bom, ao que tudo indica, nunca saberemos, mas é provável que este povinho seja eternamente o produto mal acabado do eterno do País futuro.
 
Brasília, DF, 28 de maio de 2013
Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira

5 comentários:

  1. Bom dia Sakamori! você como sempre falou por nós! nada mais a acrescentar! Parabéns por este texto, estará entre os meus favoritos. Ignorância e falta de caráter são os cruéis inimigos de uma nação. Brasil produz os dois em abundancia. Nós a minoria consciente, que paga impostos, sustemos as duas pontas o Poder e os miseráveis convictos assumidos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você, como sempre, sintetizou o pensamento. Parabéns!

      Excluir
  2. Estimado amigo:
    Que os analistas de sacanagem saibam ler essa mensagem dos guardiaes da constituicao e dos costumes deste pais! Nao se costuma por respeito a ordem constituida, ou hierarquia, como queiram, ultrapassar a linha divisoria da tropa para o mundo paisano daqui de fora! Quem subscreve e oficial general de front, nao e de mesa! E, como ja alerto ha algum tempo, tambem em 64, nao existia lideres para eclodir no que se tornou! A rejeicao da sociedade com a permissividade hoje imposta a todos nos, comeca a atingir limites que nao mais o permite se reservar! E o clamor civil como ja observamos com essa legislacao absurda e despropositada, com a degradacao dos valores morais aos quais estamos expostos, conseguem construir quimicamente, um petardo imprevisivel! Nosso pais esta as avessas no que tange a valores! Os anormais querem e com o apoio dos incompetentes parlamentares dessa legislatura, estao conseguindo, fazer commque legislem sobre a maioria da nacao! Sao os gays, os espertos, os racistas, toda sorte de anormais! E nos, quietinhos! Vimos hoje no Bom dia Brasil que a manchete dirigiu-se ao dentista chacinado e incendiado em Sao Paulo, por estar sem dinheiro! Nao da, nao e ? Menor sem punicao! Pais com seus poderes patrios cassados, pois o Estado, incompetente como e , reclama para si a responsabilidade de construir seus valores! Mas, quais valores? Esta duro viver neste pais! Precisamos reagir a esse estado de coisas, e colocarmos novamente o Brasil, como um pais normal! Nem que seja na porrada ou o que o valha! A nacao clama pela defesa deseus filhos! Levante-m-nos ! BRASIL ACIMA DE TUDO!

    MARKITO DE SOUZA

    ResponderExcluir
  3. Caro Saka,...


    Há muito perdemos qualquer referência, seja moral, legal ou intelectual. Desde a famosa "Lei de Gerson", de triste lembrança, fizemos "destepaiz" uma alegre lambança. Não existe choque moral possível, pois a máxima diz que quando os governantes perdem o norte da ética, os governados perdem norte do respeito, e instala-se no pais o sentimento de impunidade, que hoje nos assola, como um vírus, instalado no seio da nação.

    Duvido que consigamos limpar esse drama em menos de duas gerações. Vejo aqui um século perdido.

    ResponderExcluir
  4. (problema no software: reinserção feita via página adm)

    Fabio Alex. Pereira deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Que povinho é este?":

    Grande Sakamori!!! Perfeito!!! Abraços do Ten.Fábio!!!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.