Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Para Dilma os manifestantes são bandidos!

Manifestantes anônimos, estou com vocês!  Vocês me representa, espiritualmente, em todas manifestações ocorridos nos últimos dias.  Vocês são legítimos vozes do povo.  Vocês são exemplos para nós brasileiros e para os oprimidos do mundo todo.  Vocês são legítimos representantes da insurgência na política brasileira.  Vocês tem o meu irrestrito apoio! Contem comigo!

Não aguento mais, autoridades, cientistas políticos, sociólogos e jornalistas querendo transformar os manifestantes em bandidos.  Estão querendo enlamear as manifestações legítimas em movimentos de marginais. Estão querendo acabar com a democracia.  Nós reconquistamos a democracia após 20 anos de ditadura militar no País.  Eu mesmo participei, dentro daquilo que me permitia exercitar, demonstração de indignação ao regime militar.  Só não pude fazê-lo, na devida proporção que merecia, porque era arrimo de família.  Sou testemunho vivo da redemocratização no País. 

O que eles falam e dizem, os cooptados, de que as manifestações pacíficas são legítimas, "mas" que "dentre manifestantes" há bandidos, uma tentativa de tornam as manifestações "não tão democráticas".  Estes caras não sabem o que é a democracia.  A maioria das pessoas que falam estas bobagens não viveram, com eu vivi, sob domínio do regime de exceção.  Muitos deles, estiveram no exílio, enquanto nós que ficamos na pátria amada, tivemos de "engolir" muitos sapos, para que um dia os predadores e saqueadores dos patrimônios públicos e privados pudessem retornar ao País.  Uma dessas pessoas beneficiadas foi a presidente Dilma.  

Os vídeos exibidos mostram claramente que os manifestantes são pacíficos.  Aliás, vão além, os próprios manifestantes tentam excluir os infiltrados nos eventos, na medida que pode.  Eu digo, com absoluta clareza, de que num movimento destes onde não há entidade patrocinadora, absolutamente, é impossível fazer o controle.  A função da identificação e combate aos saqueadores, aos depredadores do patrimônio público, não são dos manifestantes.  Esta tarefa cabe ao Estado. Não confundamos os alhos com os bugalhos!

Os vandalismos, os saques, são inerentes a uma manifestações daquelas magnitudes.   Os vandalismos acontecem em quaisquer parte do mundo e são praticados pelos elementos infiltrados.  Já vou dizendo que não sou a favor do vandalismo e de saques, antes que me considerem como anarquista.  Não é do dever dos manifestantes cuidarem dos infiltrados.  Cabe ao Estado, seja em qualquer nível da federação, garantir a segurança e ordem das manifestações.  Instrumentos para isto o Estado tem e são pagos pelos contribuintes para isto.  

O Estado tem aparato e inteligência suficiente para coibir os abusos, os vandalismos, os saques.  É dever do Estado garantir o direito de manifestação das pessoas do bem.  É dever do Estado, coibir os vandalismos, os saques e depredações.  Não tomam atitudes porque não querem ou porque querem enlamear os manifestantes com atos que não são de responsabilidade deles.  Só falta os manifestantes do bem, pagarem pelos prejuízos materiais e criminais, sem serem os autores de tais atos.  O Estado tem estrutura para coibir os excessos através das Polícias Militares, Polícias Civis e Polícias Federais.  As organizações policiais deverão ser responsáveis para dar segurança às manifestações.  Isto tudo, cheira interesses dos que mandam neste País.  

Os manifestantes do bem, não são responsáveis pelas depredações, dos saques e dos vandalismos.  É dever do Estado assegurar a livre manifestação de pensamento e de expressão.  Isto que é Estado de Direito, o resto é conversa mole!  

Acordem manifestantes! Há movimentação orquestrada pelos donos do poder, de transformar os manifestantes em bandidos e as manifestações em movimentos ilegítimos.  Democracia está em cheque!

PS: O dinheiro da educação prometido pela presidente Dilma, no pronunciamento de ontem (21/6) proveniente do pré-sal, só vai ternar realidade em 2017, quando os poços começam a produzir.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.   E-mail: sakamori10@gmail.com 

9 comentários:

  1. Pela primeira vez o PT e a grande mídia deram as mãos e se mostraram iguais, ambos são uma farsa. A única saída do PT é considerar os manifestantes um "bando de fascistas" e a mídia classificar o povo na rua como bandidos enlouquecidos. Nem um nem outro vai admitir que perdeu. PT e mídia foram derrotados e não tem mais volta. Nas ruas eu vejo de tudo, negro, pobre, classe média, mauricinho, vagabundo, todos juntos numa mesma luta. Sim, excessos existem em qualquer protesto, não existe revolta sem excessos. O Brasil sempre foi o país dos anônimos que lutavam e sofriam calados, agora o jogo virou. Chegou a hora dos poderosos ociosos sentirem a dor. Agora, o êxtase é nosso. Viva o povo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Sakamori:
      Nao tinha visto ainda seu destempero!
      Essa matéria me faz ver seu intestino também falando !
      Olha o stress!
      Se você que foi ativista, imagina como estou, em ouvir um pronunciamento institucional desse, ver você escrever que fomos ditadores, e o pior, ser comparado com esse pessoal!
      Vamos por ordem nisso !
      Fomos ao confronto então sob outra motivação ! !
      Existia uma guerra entre o leste e o oeste no mundo , a guerra fria, açodada pela instalação de uma base russa em Cuba ! Esta não foi admitida pelos Estados Unidos,lider do oeste, do qual pertencemos! E Cuba, resolveu exportar .sua revolução para a America Latina! E aqui no Brasil, esse grupelho que hoje governa e critica a insurgência, alem de fazer o que estão fazendo ,assassinavam pessoas inocentes em filas de bancos, em praças publicas, sob a bandeira da liberdade ! Essa liberdade que temos visto! Você que lutou democraticamente contra o Estado então, deve estar feliz com quem trouxe para governar a nação, não é ! No entanto, mesmo sem professar o nosso credo, jamais lhe obrigaram a fazê-lo ou exigir-lhe para desempenhar suas atividades profissionais, seu direito de ir e vir, ou sua possibilidade de contribuir com sua inteligência e competência que tem na construção da infra-estrutura nacional, que continuam a usufruir ate hoje! E isso,sem exigir-lhe ou insinuarem qualquer pedido de propina! Portanto nos igualar a esse tipo de pessoas que estiveram do mesmo lado de você, é injusto! Eles eram o,que hoje chamam de baderneiros ou vândalos, você os manifestantes ! É muito perigoso rotular! Esse assunto me incomoda, pois, não considero verdadeira as afirmações simplistas, peca-se na generalização . Se estou frequentando seu blog, o faço por sua dignidade e respeito aos seus ideais que são convergentes aos meus! E por honra e lealdade, considero de mau gosto atacar antigos amigos e companheiros que morreram acreditando que estavam construindo um pais melhor para gerações futuras ! E não, serem comparados com facínoras!
      Por essa linha de pensamento, desautorizo-me a continuar comentar o episódio tão bem tratado acima na matéria ! Peço que entenda esse posicionamento pessoal! E parabéns por sua luta para o bem de nosso pais! Um abraço, do seu amigo ditador ,


      MARKITO DE SOUZA

      Excluir
  2. se os violentes formam um porcentagem pequeno dos manifestantes, as noticias e o governo deve reagir com maior foco para os sentimentos que formam o porcentagem maior.

    nos protestes em europa/eua a conversa e muito mais ligado a CAUSA dos manifestacoes, como é logica né.

    mas o pensamento geral aqui - uma loucura para um gringo - nao consegue avaliar as prioridades - alias ele tem prioridades differentes - mas que nao trazem situaçoes muita boa, como agora todo o mundo está vendo.

    realidades fundamentais, raizes, causas, e agora resultados.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Markito,

    Não quis ofender ninguém e longe disso. Respeito os militares, mas dentro do cumprimento dos deveres constituicionais, defender o País das ameaças externas.

    Não tiro o mérito, apesar do regime de exceção, os feitos na área econômica. Nunca fez tanta infraestrutura no período do regime militar do que qualquer outro período. Nem por isso, devo concordar com o regime de exceção. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

    Cada um de nós, exercemos o papel, embora com ideologia diferente. É assim que vamos continuar construindo esta pátria que é de todos nós, dos civis, militares e eclesiásticas. Cada um cumprindo o seu papel, para engrandecer cada vez mais o Brasil.

    Chamo atenção, sempre, de que o PT venha fazer deste País, novamente, um País em regime de exceção. Apenas mudando a nossa bandeira de verde amarela para vermelho bolivariano.

    Com respeito e admiração deste que subscreve!

    ResponderExcluir
  4. Dilma teve de engolir pela goela as manifestações do povo e abrir mão de sua habitual prepotência. Seu discurso foi tão anêmico quanto sua administração. O que ela diz não se escreve. O nosso destino está sendo escrito nas ruas, com as mãos do povo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Alessandro,

      As nossas armas, as dos manifestantes, são os VERBOS. As da Dilma são VERBAS, para comprar parlamentares, banqueiros e empresários beneficiários do Bolsa Empresário!

      Abraço!

      Excluir
  5. Nobre Sakamori,
    E dignificante frequentar seu blog, pelo ideal que existe nele, e sem partidarismo, buscar o melhor para o nosso país! Convergimos nisso!
    Maravilhoso seu posicionamento corajoso em enfrentar praticas pouco ortodoxas aos adversarios, efetuadas pelo Pt! Nisso também convergimos!
    Divergimos no tocante ao que chama de regime de exceção, pois, na ocasião estávamos a enfrentar, por chamamento da sociedade, que inciou na Marcha para a Liberdade em Minas Gerais, efetuada pela mães e senhoras daquele Estado Insurgente de nossa História, a doutrina e as praticas de então, eram da cartilha de guerrilha daquele país que acaba de demonstrar suas praticas na Venezuela !
    Lutamos contra exercito informal treinado em Cuba e em Angola, e não podíamos ficar distribuinda rosas e cravos para quem assassinava pessoas nos bancos que iriam assaltar! Daí o Estado de Exceção pois assim preceitua toda doutrina militar de Estado de Sítio mais brando!
    Hoje, Graças a Deus, eles não estão enfrentando suas próprias praticas, mas experimentando a agitação pré-Contra Revolução!
    Enfim, meu amigo, refuto o sentido de regime de exceção, utilizado pelo amigo, era diferente !
    E mais, quem infringiu o Estado de Direito, deve e deverá ser punido, pois, não existe ninguém acima da lei, tanto lá como hoje ! Você comparado aos dias de hoje, seria o que se intitula de manifestante, os nossos governantes de hoje, eram os que hoje criticam, os vândalos, eis aí a diferença!
    Na área militar, também, as forças cumpriam seu dever, e aqueles que arbitraram exercitaram os conceitos que mancham os brios das forças, o da legalidade !
    Mas não deixaremos os nossos ao sabor de revanches !
    Encerrando, mais uma vez, agradeço esse espaço onde homeopaticamente, tenho procurado levar um pouco de nossa história, do lado militar, que não se preocupou em dotar-se de escritores ou de marketeiros para solidificar sua doutrina e suas realizações no período de 20 anos de seu governo!
    Estavamos preocupados em construir o futuro de nossa gente!
    Novamente agradecendo,

    MARKITO DE SOUZA

    ResponderExcluir
  6. A coisa é ainda pior:

    IHU On-Line – Nesse contexto de crise, é recomendável que o Brasil invista suas riquezas (por exemplo, o fundo social do pré-sal) em “ativos internacionais”?

    Maria Lúcia Fattorelli – Creio que a resposta mais prudente seria NÃO, pois além do evidente risco de adquirirmos os ativos “tóxicos”, que são material abundante no mercado financeiro internacional, nosso país – campeão em desigualdades sociais e regionais – tem inúmeras destinações aqui mesmo para a realização de investimentos reais. Diante disso, não se compreende a razão pela qual a lei n. 12.351, aprovada na véspera do Natal de 2010, determinou que a aplicação dos recursos do Fundo Social do Pré-sal – FS será realizada da seguinte forma: “investimentos e aplicações do FS serão destinados preferencialmente a ativos no exterior”. Tal operação representa efetivo risco de absorção, para o Fundo Social do Pré-Sal, dos abundantes ativos tóxicos que contaminam as economias da Europa e Estados Unidos, cujo rendimento será nulo. A presidente Dilma chegou a afirmar que pretende utilizar os recursos do pré-sal para reduzir a pobreza e para outras áreas sociais. Porém, a lei aprovada pelo Congresso Nacional prevê que os recursos do pré-sal serão destinados ao exterior, e somente o rendimento desse fundo será destinado para as áreas sociais. Na realidade, o Fundo Social corre o risco de se tornar o “lixão” que aliviará de vez os trilhões de papéis podres que ainda inundam o sistema financeiro internacional.

    http://www.youtube.com/watch?v=ChmYfkVDFSU

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.