Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 22 de junho de 2013

Inflação da Dilma poderá fechar o ano em 9,27%!

IPCA-15, medido pelo IBGE, acumula taxa de 6,67% em 12 meses até junho; no mês, entretanto, houve desaceleração. Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumula taxas de 3,45% no ano e de 6,67% em 12 meses até junho - acima do teto da meta do governo (6,5%) . Fonte: Estadão.

Comentário.

Inflação acumulado nos 12 últimos meses, como foi anunciado pelo IBGE, já ultrapassa a meta de 6,5% do Banco Central.  No mês de julho, vai haver um pequeno recuo em função da redução da tarifa de transporte coletivo nas cidade de Rio de Janeiro e São Paulo, acreditamos.  No entanto, ao que parece a inflação já se tornou inercial, os índices são realimentados pelas inflações passadas.

Nos últimos dias, o dólar rompeu o limite admitido pelo Banco Central em R$ 2,20.  Isto significa aumento de 10% em relação à cotação dos primeiros meses do ano de 2013.   Com certeza, a apreciação do dólar vai trazer reflexo nos índices dos próximos 6 meses, que coincide com o fechamento do ano de 2013.  

Segundo o economista Samuel Pessôa, o aumento de 10% na cotação do dólar provoca redução no poder de compra dos brasileiros em 2,5%.  Em outras palavras, dá para entender que o aumento de 10% em dólar, que o caso do momento, reflete no índice inflacionário em 2,5%.  Na economia, o reflexo de uma medida acontece no decorrer dos 6 meses seguintes.  

Considerado atual índice inflacionário em 6,67% e se mantido a cotação de R$ 2,20 para o dólar, haverá acréscimo, grosso modo de 2,5% adicional, somente por conta da valorização do dólar ou depreciação do real.  A conta é simples: 6,67% + 2,5% = 9,27%.  Se for correta o estudo do economista Samuel Pessôa, a inflação no final do ano deve terminar em 9,27% ao ano.  

Se realmente presidente Dilma, como diz nos discursos que a inflação será controlada, deverá tomar medidas adicionais, em função do novo patamar de cotação do dólar.  Pelo que sabemos, a presidente Dilma, tem medo de tomar medidas amargas na implementação da política econômica (sic), portanto é de se prever grande dificuldade em manter a inflação no atual patamar, ou seja no teto da meta estabelecido pelo Banco Central.

Dilma terá que optar em tomar um rumo, estabelecer o norte para economia, parando de tomar medidas antagônicas, como a de aumento da taxa Selic concomitante com expansão de crédito via programa de financiamento de móveis para os mutuários do MCMV.  Atitude bipolar que vem minando o plano da Dilma em fazer crescer o País, sem um plano econômico perfeitamente definido.  Dá-se a impressão de que a atitude tomada pela presidente Dilma tem tudo a ver com o conflito pessoal dela.  

Inflação da Dilma poderá fechar o ano em 9,27%!

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor ada UFPR, filiado ao PDT.  E-mail:  sakamori10@gmail.com

4 comentários:

  1. Por favor a saída do "intocável" ministro da Fazenda.
    O cenário brasileiro deve se manter de inflação alta e juros em alta. Além disso, temos a incerteza cambial, já que o fator que mais afeta o dólar, ainda, é a possibilidade de retirada dos estímulos monetários nos EUA
    Temos grandes desafios pela frente, seja do ponto de vista político ou econômico ou até para o milagre da copa do mundo.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Sakamori:
    Com esse aumento do dólar, contempla-se sua pregação de que a então utilização de expedientes periféricos, como a taxa SELIC e outros recursos mistificadores ! Com tal medida informa que iremos para uma inflação de 9,27 %, ao final do ano, e assim, diminuir a farra de consumo e a política de cooptação dos menos favorecidos através de ações subsidiantes, tais como, a distribuição de bolsas e outros expedientes sobejamente utilizados nos últimos anos com o fim de perpetuação no poder!
    Sabendo-se que este aumento do dólar para 2,20 ainda é irreal e distante da necessidade de 2,60 como você há muito solicita por melhores resultados de nossa economia, teremos uma inflaçao então não mais em 9,27%, mas na casa dos dois dígitos! Ora, contemplado foi o nobre amigo, já com essa correção pífia, e se seriamente forem buscar o melhor para o país e não para seus interesses eleitorais, o patamar de 2,60 % preconizado por você, reicrementará o fluxo de investimentos e a melhoria nas nossas commodoties no mercado internacional!
    Não acredito que o façam!
    Pelo menos sem traumas, pois, agora também temos uma outra componente avassaladora que é a contestação e o adentramento dos estudantes e insatisfeitos por mudança nas práticas políticas utilizadas, e, isso, como tem sido chamado na mídia internacional de Primavera Tropical, tal como o ocorrido no mundo árabe, poderá acontecer pela efemeridade dos acordos políticos amarrados para a composição da base parlamentar e de governabilidade !
    Para deixarem o PT a pé, é daqui para ali, pois a moeda de fidelização é a barganha de cargos públicos, a concessão de emendas parlamentares, e outros expedientes que aviltam nossa dignidade de seres inteligentes e comprometidos com este país e suas instituições!
    Temo por uma debandada geral e irrestrita, até porque, no final de semana agora, recebi alguns telefonemas de amigos com mandato, e que pertencem a base do governo também, perguntando o que achava sobre os momentos que temos visto na televisão!
    Estão já questionando suas posições, e o que melhor possam ir buscar para a eleição do próximo ano!
    Note que seu amigo, é oriundo da direita, e possui uma visão bem conservadora sobre os valores vivenciados hoje em dia!
    Os últimos acontecimentos na vida pública e nas ruas seu termometro, recomendam-me a continuar defendendo esses pendores criticados por alguns, mas que se encontram perfeitamente enquadrados com a anseio da população brasileira pela moralidade, decência, honestidade e dedicação ao verde amarelo!
    Os progressistas estão em cheque !
    Enfim, meu nobre e querido Sakamori, teremos componentes explosivas neste ano pré-eleitoral, com um aumento inflacionário, pressão das ruas, e muito provavelmente, insurgência no Congresso!
    Ano difícil, e, como disse durante o ano, em seu blog, muita coisa aconteceria antes da próxima eleição, e, aí está seu inicio !
    Esperemos em Deus que tudo transcorra da melhor forma!
    Quanto a matéria, não tenho como não cumprimentá-lo mais uma vez, por ver suas teorias e experiências serem adotadas por essa equipe mal conduzida pelo ignóbil Guido Mantega!
    Engrosso o coro do comentarista acima, de que esse vagabundo, venal e incompetente, deveria continuar fazendo ou participando dos churrascos da periferia de São Paulo, e lá auferindo a subserviência dos cooptados e sua melhora pessoal!
    Desejo um bom domingo a você e a todos que por aqui passem os olhos!
    Abraços sinceros,

    MARKITO DE SOUZA

    ResponderExcluir
  3. Amigo Markito,

    Primeiro, bom te ver aqui comentando, com saúde!

    Quanto ao dólar, que defendo cotação entre R$2,60 e R$2,70, tenho a dizer que o meu pensamento continua sendo o mesmo. Apenas, na "descompressão" devemos acionar diversos mecanismos da política monetária "simultaneamente" para não terminar em "explosão inflacionária".

    Por enquanto, não vi nenhuma medida sendo tomada, com exceção do aumento da taxa Selic que tem pouco efeito sobre o controle da inflação. E na contramão, afrouxamento do crédito para mutuários do MCMV. Vai entender a Dilma!

    Faço orações, diariamente, para seu pronto restabelecimento!

    ResponderExcluir
  4. Estão dizendo nas redes sociais de chamar de volta do Henrique Meirelles para botar economia no lugar.

    Não concordo com a ideia. Ele é banqueiro! Tem muitos nomes bons, até mesmo dentro do quadro do governo. Xô passado! Nem Henrique Meirelles, nem Pedro Malan, por favor! Brasil é outra realidade!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.