Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Murilo Portugal, ministro da Fazenda?

Crédito da imagem: Exame

A grande imprensa está muda, respeitando a vontade do provável futuro presidente da República, Michel Temer, de se manter longe do foco de discussão, até a definição do impeachment no Senado Federal. Há forte indício de que o ministro da Fazenda, do eventual governo Michel Temer, deverá mesmo ser o banqueiro Murilo Portugal. 

Murilo Portugal Filho é o atual presidente da Febraban - Federação Brasileira de Bancos, nascido em  10 de junho de 1948, Foi vice-diretor executivo do FMI - Fundo Monetário Internacional. Foi também diretor do Banco Mundial, como representante do Brasil naquele organismo. Murilo Portugal, como é conhecido, foi secretário executivo do Ministério da Fazenda na gestão do ministro Antonio Palocci Filho, no primeiro mandato do governo Lula da Silva.

Segundo o pensamento do Murilo Portugal, o setor bancário sobressai no momento de crise como fator de solidez e segurança. Murilo Portugal já declarou que "diferentemente de outros lugares no mundo, bancos são parte da solução e não o problema". Murilo Portugal afirma que o modelo de financiamento da infraestrutura deverá ser alterado, deslocando o BNDES apenas na fase de construção, onde o financiamento privado é mais difícil.

Quanto ao pensamento do provável ministro da Fazenda do eventual governo Michel Temer, concordo em muitos pontos. Não concordo com o Murilo Portugal de que o banco é parte da solução para  problemas brasileiros. Grande parte da crise econômica está, exatamente, em política econômica e monetária dos sucessivos governos que privilegiaram o setor bancário e especulativo. 

Data venia pensamento do Murilo Portugal, o atual  modelo neoliberal adotado como dogma pelo FMI, é raiz das sucessivas graves crises econômicas que o País tem experimentado há décadas. No meu entender o modelo neoliberal intervencionista chegou ao estado de "exaustão". Não podemos mais, fingir que há normalidade num ambiente adverso ao crescimento econômico sustentável.

Antes de discutir nome do condutor da economia, o País precisa de fazer profunda reflexão ao modelo econômico vigente há décadas. Vale a pena analisar as alternativas para a política econômica, uma nova matriz econômica para o Brasil proposta no e-book de minha autoria.

O Murilo Portugal é bom como banqueiro, mas receio que a indicação do nome dele para Ministério da Fazenda não será bom para o País. 

Será, mais uma vez, raposa cuidando do galinheiro?

Ossami Sakamori












6 comentários:

  1. Bom dia a todos. Não entendo tão bem de economia como o Sr Sakamori mas no dia a dia vamos aprendendo na marra. Pois bem, quando se fala em dinheiro, é cada um puxando a sardinha para sua brasa.
    Banqueiro cuidando da Economia de um País? É igual colocar uma criança para cuidar de uma loja de doces. O Brasil vive de empréstimos bancários tanto os governos nos 3 níveis quanto os cidadãos. Na constituição Federal está estipulado juros de 12%aa, contudo vemos juros de mais de 30% ao mês no Cartão de Crédito e os juros da caderneta de poupança é de 0,5% ao mês + TR.
    É o que penso, mas posso estar errado pois Economia não é minha área de estudo.

    ResponderExcluir
  2. Ele é membro da Oligarquia Financeira Transnacional.
    Vai trabalhar para os seus.

    ResponderExcluir
  3. Jesus tinha como encarregado de contas Judas Iscariotes. Deu no que deu: vendeu seu mestre por 30 moedas...

    ResponderExcluir
  4. TESTAMENTO NOVO

    A pátria
    Que é direito de todos por direito
    Dos tetravós – dos bisavós,
    Dos netos,
    Ainda perdida
    A promulgar decretos
    Contra o bom senso
    Que já foi respeito!

    As leis dos homens,
    Milenárias – justas, na carta grande
    Não precisam flores
    Nem mordomias de legisladores
    Se o povo sofre
    Pra pagar as custas!

    Payada "Novo Testamento"
    Saudoso Jayme Caetano Braun

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.