Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 3 de abril de 2016

Lava Jato. Quanto mais mexe, mais fede!


O jornal Público de Portugal traz notícias, apenas confirmando os temas que já temos conhecimento através da Operação Lava Jato. O jornal lusitano revela que o empresário português Idalécio de Castro Rodrigues de Oliveira, teria vendido 50% dos interesses que detinha no campo petrolífero de Benin à Petrobras. 

O jornal português levantou que o Idalécio de Castro teria criado uma empresa apenas alguns meses antes do negócio com a Petrobras, o que levanta maior suspeita sobre ladroagem que teria ocorrido. Segundo o jornal português, o Procurador Geral da República brasileira, em 2011, se referiu a uma transferência de US$ 10 milhões para uma conta na Suíça mantido pelo Augusto Rezende Henriques, filiado ao PMDB. Esta transferência teria sido feita pela Mossack Fonseca, alvo de investigação da Lava Jato.

Segundo jornal português, o Augusto Rezende Henriques teria repassado deste dinheiro, US$ 1,5 milhões para conta indicado pelo deputado Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados. Ainda, segundo o jornal português, o deputado Eduardo Cunha teria negado a existência de qualquer conta em nome dele. 

Sobre a empresa Mossack Fonseca, segundo o jornal lusitano, há notícias de que a empresa está ligada às empresas envolvidas na Operação Lava Jato no Brasil. Ainda segundo jornal português, há divulgação de dados que mostram ligações a "pessoas ou entidades que estão na lista negra dos Estados Unidos" por negociarem com organizações terroristas, de tráfico de drogas ou de Estados como Irã e Coreia do Norte.

As investigações em torno do português Idalécio de Castro pela justiça portuguesa, poderá trazer novos ingredientes para a Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro da 13ª Vara Criminal de Curitiba. 

Publicidade: Clique >  Proposta de uma nova política econômica 

Quanto mais mexe, mais fede! 

Ossami Sakamori











@SakaJapa_


7 comentários:

  1. De Portugal, nem bons ventos nem bons casamentos.
    Lá e cá, a corrupção fala mais alto, desde primeiro-ministro a empresários passando pela classe política.
    Onde há dinheiro é 100% certo que a corrupção manda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumiu um livro inteiro, sr. Anônimo das 19:47. Acrescentar o que mais, se já fede o suficiente ? Tanto isso é verdadeiro que a sangria feita no Brasil é auto-explicativa.

      Excluir
  2. Conexão com a colônia. Tudo em casa!

    ResponderExcluir
  3. Acredito num panelão com azeite fervente, alimentado por fogo que nunca se apaga e nêsse panelão todos que fazem os desmandos contra o povo e o país arderão vivos, sem morrer com dores lancinantes, pela eternidade. Lá o dinheiro roubado e os cargos obtidos de nada valerão.

    ResponderExcluir
  4. Com a justiça comprada vão fazer o que querem e ainda se gabam de dizer que estamos numa democracia. Tudo que for contrário a eles é taxado de golpe.

    ResponderExcluir
  5. Estive a ouvir por um bocado o ministro da AGU, josé eduardo cardozo e pelas suas expressões faciais via-se que nem ele acreditava no que dizia.
    Pobre diabo, palhaço mesmo.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.