Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 18 de abril de 2012

CPI DO CACHOEIRA É TNT PURO!

Para iniciar a matéria, transcrevo abaixo trecho da coluna do articulista Valdo Cruz do jornal Folha de São Paulo, para depois tecer comentários que vão deixar Velha Dilma de cabelo em pé.  Vejamos trechos do comentário, inicialmente, sem edição.

O fato é que, estimulada pelo presidente Lula e pelo PT, Dilma não se opôs, inicialmente, à criação de uma CPI para investigar os negócios de Cachoeira. Fez apenas um pedido, que seus ministros não se envolvessem pública e diretamente nas negociações para montagem da comissão. Não queria, nada mais do que justo, que seu governo fosse visto como um dos agentes estimuladores da CPI. 

Depois, quando viu que a comissão pode investigar as relações de Cachoeira com a empreiteira Delta, tocadora de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o Palácio do Planalto passou a ficar preocupado com o potencial explosivo da futura CPI. Só que, insiste o assessor palaciano, ficou praticamente impossível recuar. 

Comissão que virou realidade pelo desejo de vingança do ex-presidente Lula contra o governador tucano de Goiás, Marconi Perillo. Não fosse a profunda mágoa de Lula contra Perillo, que disse ter alertado o ex-presidente sobre o "mensalão", a CPI não passaria de mais uma ameaça e ficaria apenas na promessa.

O fato conhecido pela imprensa é que a coisa saiu fora do controle do Planalto.  Primeira vítima deste imbróglio é o Agnelo Queiroz, governador do DF, por conta de saques em dinheiro no valor de R$8,5 milhões, de uma das empresas ligado a Delta/Cachoeira, segundo imprensa.

Delta é apenas ponta de iceberg da fonte de financiamento, em dinheiro, da campanha presidencial da Dilma em 2010. Atrás da Delta tem uma caranguejeira de empreiteiros espalhados pelo Brasil a fora, numa lista preordenada, de conhecimento de então ministra de Planejamento Dilma do governo Lula. Valor que monta muito além dos R$600 milhões, inicialmente planejado para abastecer as campanhas do PT, coordenada por nada menos que o velho conhecido das práticas não tão republicanas Antonio Palocci.

Sobre o mesmo tema, já escrevi uma outra matéria com o título "Dilma, Cachoeira é tiro no pé" no início do imbróglio. 
Novos capítulos estão para vir à tona.  Claro se a Dilma presidente, deixar acontecer a CPI mista com poderes amplas para investigar todo o cipoal de esquema de roubalheira que se instalou no país.

Ossami Sakamori, 67, engenheiro civil, foi professora da UFPR, cidadão brasileiro.
Atende pela rede twitter: @sakamori10

4 comentários:

  1. Exatamente Sakamori ! Comentei na mesma linha há pouco tempo no blog do Tio Dé. A coisa quando o PT está envolvido é marcada pela Naturaeza, que faz valer sua retórica e seu equilíbrio. O próprio PT se incumbe de se complicar e se explodir, um termo implosivo evidente e inquestionável.
    Isso com certeza vai virar outro mensalão e com efeitos mais devastadores, expondo mais corrupção e mais visível a toda a população, com efeitos imprevisíveis. Agora é fazer pressão e não deixar a bola parar ... Vem chumbo grosso por ai meu honorável amigo, Abç forte !

    ResponderExcluir
  2. Hoje: A CPI mista do Cachoeira nem começou mas já pega fogo nos bastidores – em especial, nos corredores da Câmara. Um roteiro com ingredientes de cena policial ganhou o sétimo andar do Anexo 4 da Casa. Indignados com um cartaz pró-CPI na porta do gabinete ...
    Esperamos que os contrários sejam revelados as suas ligações perigosas do dominó da desgraça!
    Chegou a hora de ver quem é quem nesse ninho de aves de rapina. Que o STF e STJ façam com prioridade os julgamentos dos que podem vir a ter fórum privilégiado e os coloque na cadeia em regime de guerra Perpétua e sem Titulo de Eleitor por 4 gerações vindouras!
    Para corruptos: Fim de carreira para sempre!

    < http://www.correiodeuberlandia.com.br/esplanada/2012/04/18/cpi-ja-vira-caso-policial-dentro-da-camara/ >

    ResponderExcluir
  3. #PT #PT32ANOS DE SAFADESAS E #SemVergonhice!

    !#PTGOVGANG »NO PODER OS PETRALHAS VIRARAM SINÔNIMO DE CORRUPÇÃO/BANDALHEIRA/ROUBALHEIRA. O #PT VIROU SINÔNIMO DE BANDITISMO DOS MAIS VARIADOS!

    VALE RESSALTAR QUE NÃO SÃO SÓ A CORJA QUE COMPOEM E DÃO SUSTENÇÃO A ESSE GOVERNO BANDALHO, OS RESPONSÁVEIS PELAS MAZELAS DO BRASISILSILSILSILSIL... O CONGRESSO NACIONAL É UM RETRATO FIEL DO TAMANHO DA #SemVergonhice POLÍTICA DESSE PAÍS! NÃO TEM QUEM TIRE DA MINHA CABEÇA A IDÉIA DE QUE A CÂMARA FEDERAL FUNCIONÁRIA PIOR COM UNS 200 DEPUTADOS, APROXIMADAMENTE 1,5 VAGA PARA CADA MILHÃO DE ELEITORES! E NO SENADO NÃO HÁ NECESSIDADE DE MAIS QUE UNS 30 SENADORES! UMA VAGA DE SENADOR PARA CADA 4 MILHÔES DE VOTANTES SERIA NAIS QUE O NECESSÁRIO, TENHO ABSOLUTA CEEREZA! OUTRA IMUNDICE É A QUANTIDADE DE PARTIDOS POLÍTICO! QUALQUER VIRA-LATA NO BRASILSILSILSILSILSILSILSIL PODE CRIAR UM PARTIDO POLÍTICO, POR ISSO TEMOS BRASILSILSILSILSILSILSIL AFORA DEZENAS DE SIGLAS FAJUTAS DISPONIVEIS PARA ALUGUEL, QUE SERVEM PARA TODO TIPO DE SAFADESAS,, RSRSRSRSRS!

    ResponderExcluir
  4. Estimado colega Saka,

    Penso que esta, como tantas outras CPIs, anteriores não passam de "fogo amigo", por que na verdade, acredito que (Infelizmente) os políticos já estão pensando nos cargos que isso tudo vai render aos próximos colegas que virão ocupa-los. Um aspecto que seria efetivamente produtivo nestas ações, seria a DEVOLUÇÃO do dinheiro "roubado", teria com certeza maior efeito prático para o CAIXA público.
    A solução DEFINITIVA, para essa roubalheira toda, com certeza requer uma ATITUDE (rara no meio) de coragem que nos levasse a criação de LEI, instituindo CRIME HEDIONDO para os respectivos infratores.
    A coisa como está agora, serve apenas aos interesses de falsa moralização.
    Isso é realmente não passa de uma FARSA. Uma perda de tempo precioso para um país tão carente como o BRASIL real do povo.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.