Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 20 de junho de 2015

ODEBRECHT é assunto em pauta.

Veja a matéria postada em 30.12.2014 neste blog, sobre a Odebrecht, sem editar. A prisão do seu presidente Marcelo Odebrecht no bojo da Operação Lava Jato vai trazer consequências imprevisíveis para a maior construtora e a segunda maior empresa em patrimônio do País. 


Corre forte rumores no mercado financeiro de que a Construtora Norberto Obedrecht Brasil S.A. está caminhando celeremente à recuperação judicial. O grupo Odebrecht é um emaranhado de empresas interligados na área de construção, montagens industriais e empreendimentos imobiliários. Além de tudo, não há transparência que permita análise mais apurado da real situação.

O fato é que a Operação Lava Jato que apura a ladroagem na Petrobras, está trazendo consequências imprevisíveis no resultado financeiro do grupo empresarial. A Construtora Odebrecht tem um Capítulo especial nas investigações sobre a ladroagem na Petrobras. 

Circulam informações no mercado financeiro de que os principais diretores da Construtora Odebrecht não estão mais à frente da administração do dia a dia da empresa. O principal executivo, segundo o engraxate do BMF/Bovespa, que ele já está residindo no Panamá. 

Os principais clientes da Construtora Odebrecht são órgãos públicos ou companhias ligados ao governo federal, entre eles a Petrobras e Eletrobras. A consequência é que, no próximo ano, 2015, que será o auge do processo de investigação da Operação Lava Jato, é que no mínimo as obras e serviços em andamento na Petrobras e empresas coligadas deverão ser paralisadas. 

Não se sabe o que será feito da Cinstrutora Odebrecht. A sua dependência e relação incestuosa com órgãos públicos federais é tamanha que o segundo mandato da Dilma terá uma dor de cabeça adicional a resolver. Não acredito na solução, mas corre notícia de que será menos custoso para a União Federal estatizar a Construtora Odebrecht do que levar a empresa ou as empresas do grupo à recuperação judicial.

Explica-se a preocupação. A Construtora Odebrecht é uma das maiores devedoras do sistema BNDES e dos fundos de pensão das estatais, como Petros, Previ, Funcef e outros. Além de tudo, o pedido de recuperação judicial da Odebrecht levaria uma outra empresa baiana, a OAS, também para o mesmo caminho. 
Uma eventual quebra da Odebrecht poderá provocar o efeito dominó, levando outras empresas que tem como principal cliente a Petrobras. O efeito dominó não ocorrerá somente no setor de construção e montagens industriais, mas também ao sistema financeiro, uma vez que o sistema financeiro à frente o BNDES está entupidos de "bonds", recebíveis a longo prazo, das empreiteiras investigados pela Operação Lava Jato.

Isto tudo pode parecer minha "ilação", mas não é. Quando o assunto chega a ser comentado pelo "engraxate" da BMF/Bovespa, é porque o assunto está por explodir nos próximos meses.  Não precisa ser analista para fazer o diagnóstico, basta acompanhar o desenrolar dos fatos com atenção. Atenção, BNDES e fundos de pensão, se segurem que vem chumbo grosso à frente! Tomara que isto não vire crise do sistema financeiro.


Odebrecht é a primeira a ir a pique!

Ossami Sakamori






6 comentários:

  1. Lembro de ter lido essa matéria à época ou outra de sua autoria bem parecida com essa, meu guru economista. Parabéns!!! (LuizPCarlos)

    ResponderExcluir
  2. Não foi apenas uma matéria, foi uma premonição.

    ResponderExcluir
  3. -Porque provável residência no Panamá? Será que o administrador virou bancário e aproveitou pra abrir umas "continhas" secretas? O seu conterrâneo ( Moro/paranaense) deve estar usando suas postagens como inspiração (ou seria como fonte mesmo)?

    ResponderExcluir
  4. A perspicácia é irmã do Sinistro! Normalmente, se encontram nas Ilhas Caimãs! Prof. Panda.

    ResponderExcluir
  5. O Brasil inteiro está no volume morto, parafraseando o inefável Lula... E, com este país emperrado, todos nós vamos ter de entrar na recuperação judicial. Não é de hoje que vem este papo de que as grandes Construtoras no Brasil só existem com o apadrinhamento do Governo, assim como a grande mídia, o grande agronegócio. Este país foi feito para poucos. O pequeno empreendedor, o pequeno agricultor, o pequeno e médio empresário, enfim, os que realmente dão emprego, não têm oportunidades, vivem à mingua, sem crédito. E neste mar de corrupção e escândalos, só falto surgir uma crise no sistema financeiro.

    ResponderExcluir
  6. Como sempre,essa novela vai acabar em PIZZA.
    Vivemos num país de mentirinha.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.