Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

DILMA REEDITA BOLSA EMPRESÁRIO DE R$ 100 BILHÕES!



O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quarta-feira, 5, a extensão do Programa de Sustentação do Investimento (PSI) para 2013, com um volume total de recursos de R$ 100 bilhões. Mantega lembrou que o PSI começou a ser praticado em 2009. "É o melhor instrumento para financiar investimento que já tivemos no Brasil, com taxas reduzidas e prazos elevados", argumentou. Segundo o ministro, a intenção é continuar estimulando os investimentos. Fonte: Folha.

Mantega disse ainda que a taxa de juros do PSI para financiar máquinas e equipamentos cai para 3% ao ano no primeiro semestre de 2013 e sobe para 3,5% no segundo semestre. Ele destacou que o prazo de pagamento do crédito do BNDES é de até 120 meses, ou seja, 10 anos. Segundo Mantega, isso faz com que as empresas já estejam usufruindo do retorno dos investimentos antes de terem que fazer os pagamentos. Fonte: Folha.

O programa anunciado pela presidente Dilma, se refere à extensão do programa já existente, conhecido como Bolsa Empresário, por se tratar de financiamento a longo prazo (10 anos) à juros subsidiados. Explico.  O Tesouro capta no mercado recursos pagando taxa Selic de 7,25% e empresta aos empresários "escolhidos" à base de 3,0% a 3,5% ao ano, via BNDES.  Não é por mês, não!  É por ano, mesmo.  O estoque do programa instituído pelo Lula, corrigido, já chega a R$ 400 bilhões.  Somado ao novo recurso prometido pela Dilma, o programa Bolsa Empresário chegará próximo de R$ 500 bilhões.  

Como sempre faz a Dilma, o aporte de recurso ao BNDES deverá ser feito mediante Medida Provisória, durante o ano de 2013. Um verdadeiro Robin Hood ao inverso.  O grosso do dinheiro, cerca de 70% vai para os empresários alinhados com o Palácio do Planalto e o restante 30% são pulverizados entre mais de 65.000 pequenas e médias empresas.  Os grupos, já conhecidos com livre trânsito no Palácio do Planalto, o do menino Eike Batista (OGX) e do banqueiro Henrique Meirelles (JBS) deverão levar, cada um, cerca de R$ 10 bilhões.  Os recursos já estão carimbados.  

Creio que a campanha de reeleição da presidente Dilma, deverá sair desta vez, do bolo de empréstimos subsidiados aos grandes grupos econômicos, beneficiários da Bolsa Empresário.  DNIT nunca mais! Já deu muito dinheiro, mas deu muito pano para manga.  Melhor mexer com 2 ou 3 empresários do que mexer com 170 empreiteiros! Dilma vai inovar.  O financiamento da próxima campanha presidencial será feito por estes poucos empresários.  Isto se estas empresas não forem para lona, antes de 2014.  

Ossami Sakamori, 68, engenheiro civil, foi professor da UFPR, filiado ao PDT.  Twitter: @sakamori12

Um comentário:

  1. E saber que tudo isso é com o nosso dinheiro..... e enquanto isso os bolsa-familia (que elegem o PT) se contenta com migalhas. E a oposição que não reage?

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.