Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Dólar vai buscar R$ 4,16, no médio prazo

Crédito de imagem: Estadão

O dólar alcançou maior patamar desde junho de 2016, alcançando R$ 3,58 no pico do pregão de ontem e que acabou fechando o dia em R$ 3,55.  Esse movimento de alta foi alertado por este blog na matéria Dólar com tendência de alta! no dia 17 de abril.  Espanta-me o fato de operadores do mercado financeiro serem pegos de calças curtas ou de saias curtas com a volatilidade do dólar.  Este blog poderá ser uma boa fonte de informações para embasar os negócios. 

O Federal Reserve, o Banco Central americano, já vinha anunciando o aumento de taxa de juros do título do Tesouro, para conter a alta da inflação. A inflação americana está no nível de 2,5% ao ano e o Federal Reserve não quer perder o controle sobre o valor da moeda, o dólar. O Federal Reserve não só anunciou o aumento da taxa de juros na faixa de 1,50% e 1,75%, com aumento de 0,25% em relação à faixa anterior, mas também que haverá novas altas, ainda neste ano.

O Banco Central do Brasil, comandado pelo ex-diretor do Banco Itaú Ilan Goldfajn, já anunciou que vai fazer intervenções no mercado de câmbio, hoje, emitindo os já conhecidos Swap cambial tradicional. A última intervenção do Banco Central no mercado de câmbio ocorreu no episódio do vazamento da gravação da conversa entre presidente Temer e Joesley Batista do grupo JBS.  Canso de afirmar que não existe "câmbio totalmente flutuante". Está aí a "intervenção" do Banco Central para confirmar a minha afirmação. 

Apesar de uma certa volatilidade do câmbio devido aos fatores do mercado financeiro externo e da conjuntura política instáveis em função das sucessivas denúncias de corrupção do presidente da República Michel Temer, o Banco Central tem não só os instrumentos tradicionais de "intervenções", mas tem em suas mãos uma reserva cambial robusta, de R$ 381,9 bilhões (saldo de 30/04/2018). 

Para quem tem interesse no mercado de câmbio, convém lembrar que o dólar já teve maior cotação, de fechamento, no dia 21 de janeiro de 2016 com cotação de fechamento de R$ 4,16. Creio que no médio prazo, o mercado "vai buscar" a cotação máxima atingida dentro do Plano Real. Não há nenhuma notícia no horizonte de curto prazo que venha contrariar o que estou a afirmar.

Dólar vai buscar R$ 4,16 no médio prazo.

Ossami Sakamori

Compartilhe a matéria nas redes sociais:

4 comentários:

  1. Caríssimo, como leigo só Posso afirmar e comprovar que seu Blog antecipou com clareza essa postura do dólar; posso observar que essa coisa de ser pego de calças e saias curtas é um truque, afinal o Banco Central americano, SINALIZA SUAS AÇÕES COM ANTECEDÊNCIA, CORRETO?

    ResponderExcluir
  2. Voltei aqui para perguntar:
    Essa alta do dólar é boa ou ruim para o Brasil?
    Favorece a exportação e o fomenta o turismo interno?

    ResponderExcluir
  3. Parece que o Brasil virou uma grande Milícia. Sabe que vai subir é finge que ñ sabe. Interesse em ñ subir o que precisa é DESCARAMENTO em subir toda semana o combustível. Mente junto com a Imprensa que as coisas estão baixando e o cúmulo da pouca vergonha falar que a venda de carros está aumentando. Está aumentando apenas o LUCRO BANCÁRIO, com esses índices de juros que ñ existem em outro lugar do mundo. O Brasil acabou, está pegando fogo e desmoronando como o edifício que as milícias dominam. UM PAÍS TÃO GRANDE PARA SUSTENTAR UM NÚMERO PEQUENO DE MANDANDANTES......ELES NADAM NO DINHEIRO, NADA VAI MUDAR NUNCA. O DOLAR PODE SUBIR A VONTADE, Ñ IMPORTA, QUANTO MAIS CAÍMOS, MAIS DEGRAUS PARA OS VAGABUNDOS.

    ResponderExcluir
  4. A MINHA ESPERANÇA É O CAPITÃO GANHAR NO PRIMEIRO TURNO E PEDIR A INTERVENÇÃO MILITAR PARA NÃO FICAR REFÉM DO CONGRESSO.
    DEPOIS DOS BANDIDOS PRESOS E CONFISCO DOS BENS, CHAMA ELEIÇÃO SÓ COM FICHA LIMPA.
    AH! E PRISÃO EM TODOS ESCALÕES ONDE EXISTA FORA DA LEI.
    FEITO ISSO HAVERÁ RECURSO NECESSÁRIO PARA A SEGURANÇA, SAÚDE, EDUCAÇÃO.

    NÃO É DEMOCRÁTICO? SER ROUBADO É?

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.