Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Espionagem. Criptografia, Dilma? Está falando sério?

Presidente Dilma anunciou e a grande mídia noticiou com destaque o anúncio da criação de e-mails oficiais do governo criptografados. Anuncia-se também o lançamento do satélite brasileiro (sic) fabricado com a tecnologia franco-italiana que será desenvolvido pela Telebras e Embraer ao custo de US$ 600 milhões. A ABIN vai criar um pen drive que permite criptografar os documentos importantes do governo.

Quase caí da cadeira de tanta gargalhada!  Dou muita risada da presidente Dilma sobre o assunto espionagem e da Globo e demais veículos de notícias que dão destaque ao tema, novamente.  Isto, só pode ser para efeito do programa eleitoral da Dilma, no ano que vem.  Coisa séria, não pode ser.  

Desculpem os leitores, mas esta porcaria de satélite que custa uma fortuna para o governo, US$ 600 milhões, não assegura privacidade coisa nenhuma.  O sinal está no ar, qualquer um pode pegá-lo. Para começar nem temos base para lançamento de satélites. Com certeza serão entregues para franceses ou chineses colocá-lo no espaço.  Mais certeza ainda, se a coisa é com a Telebras, o ex-ministro José Dirceu foi atendido no seu interesse.

Essa atitude de criptografar as mensagens entre os membros do governo, mais parece sistema de comunicação de uma organização criminosa de proteger sigilo das informações intra-corpore. O PCC é que utiliza as mensagens criptografadas entre seus membros.  De forma rudimentar, mas é uma mensagem criptografada que a organização criminosa utilizam, sim.  Presidente Dilma quer copiar.

Primeiro de tudo.  Existe a lei de transparência que exige, eu disse, exige, que os atos do governo sejam transparentes.  Agora, quer torná-los cada vez mais sigilosos.  Só faltava mesmo isto para Poder da República se igualar à organização criminosa.  O presidente Lula, o ex-ministro José Dirceu, com certeza, vão receber os tais pen-drives que criptografam as mensagens, sem ser funcionários públicos.

Sim as informações do governo vão ficar mais caras. Isto com certeza vai.  Quem tem pen-drive faz parte da organização criminosa, no meu entender. Ainda, a minha opinião é de que todos os membros da Polícia Federal deverão ter os seus pen-drives.  Todos os membros do MPF deverão ter os seus pen-drives.  Uai, será que os pen-drives serão distribuídos, seletivamente, somente para os membros da quadrilha?  

Esquece a presidente Dilma que as informações são protegidos pelas pessoas, no caso específico pelos agentes públicos.  Não há sistema de criptografia que assegure o sigilo de informações.  Uai, não tem os hackers que invadem o sistema bancário altamente criptografado?  Será que os que tem os pen-drives não poderão vender as informações sigilosas do governo?  Imagine pen-drive na mão da Rosemary do Lula!

Veja o caso do sistema de inteligência americana.  Os EEUU gastam anualmente US$ 55 bilhões no sistema.  Somente na NSA, tem 300 mil funcionários cuidando do assunto.  Mas bastou um funcionário do governo com o pen-drive (acesso ao sistema) para passar informações sigilosas para o Julian Assange para mostrar ao governo americano que o sistema de informação por si só não se sustenta.  O sistema depende das pessoas. 

Se a presidente Dilma, que se diz espionado pelo Obama, colheu informações acerca do seu sigilo do Eward Snowden, um funcionário subalterno de uma empresa terceirizada do NSA, deveria ter aprendido que a manutenção de sigilo não é assegurado pela tecnologia de informação, mas sim, pelas pessoas.  Bastaria um subalterno qualquer com o pen-drive passar informações para os "amigos" da quadrilha.  Periga algum destes com pen-drive, vender informações sigilosas para a Rede Globo e virar plim-plim, um verdadeiro tiro no pé.

Não tem outro jeito.  A presidente Dilma é muito esperta ou ela é muito burrinha.  Em ambos os casos, o Brasil na mão da presidente Dilma corre sério perigo!

Ossami Sakamori

Um comentário:

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.