Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Meirelles: o povo que se dane!


A retomada do crescimento do País, se depender da equipe econômica do governo Temer, só vai acontecer no próximo ano. Se a população vai aguentar a atual situação até lá, são outros quinhentos. O desenho traçado pelo governo é contrário ao que venho defendendo desde a posse do Temer há mais de um mês.

Vou fazer o desenho do que pretende a equipe econômica para vocês programarem suas vidas no novo contexto. Assistindo entrevista do presidente Temer, ontem, no programa do jornalista Roberto D'Ávila, confirmou o meu ponto de vista sobre a política econômica do governo Temer. Primeiro de tudo, o presidente Temer acha a equipe econômica composta de pessoas "excepcionais". 

O Henrique Meirelles vai colocar em prática o que pretendia e não fez o ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy. O novo ministro da Fazenda Henrique Meirelles pretende fazer reformas estruturantes primeiro para depois cuidar do crescimento econômico. As reformar estruturantes que na área de previdência e na área trabalhista, ocorrerão após o afastamento definitivo da Dilma pelo Senado Federal, assim está desenhado o cronograma político.

O calendário previsto para as reformas estruturantes, com o condicionante do afastamento da Dilma, começa a tramitar no Congresso Nacional após as Olimpíadas. O debate sobre as reformas estruturantes ocorrerá no pior momento possível. A discussão se dará no meio de desemprego aproximando de 14 milhões e número de desocupados em 33 milhões dentre população de 102 milhões de força do trabalho. A aprovação das medidas deverá ocorrer próximo do final deste ano.

O que eu estou a defender é dar início ao crescimento econômico imediatamente, para melhorar o ambiente social, para num ambiente favorável, fazer as reformas estruturantes necessárias para o País crescer ao longo dos próximos anos. O desenho do crescimento imediato, mesmo sem as pré-condições de reformas estruturantes, é totalmente viável e é necessária para atender a demanda da população.

O conjunto de medidas está sendo colocado à disposição dos agentes públicos, sobretudo à equipe econômica do governo Temer, no meu novo blog ~> Brasil liberal , recém aberto. O conjunto de setores produtivos deveriam fazer a leitura da nova matriz econômica cunhada naquele blog para tentar influir nas decisões do Palácio do Planalto.

A grave crise econômica e social que passa o País, deveria fazer a equipe econômica repensar no desenho da política econômica que quer impor à população brasileira. O povo não aguenta mais conviver com tantos fatores negativos juntos: depressão, inflação e desemprego. 

No entanto, o Meirelles pensa: o povo que se dane!

Ossami Sakamori












4 comentários:

  1. Peculiaridades de um governo neoliberal, as reformas estruturantes se restringem a cortes na saúde, educação, segurança, previdência, salário mínimo, direitos trabalhistas/CLT, enfim, em tudo que tem cunho social. Obviamente, que tais medidas impopulares, distantes da velha retórica “contar na própria carne”, serão implementadas após a consolidação do impeachment. Mantém-se as benesses da Lei Rouanet e respectivo Ministério da Cultura, DRU - 30% da receita da Seguridade para gerar superavit primário p/pagar jrs aos Banqueiros, Fundo Partidário, cartões corporativos, cargos comissionados, máquina administrativa inchada, pseudo ONGs, socorro aos Estados e Municípios gastões que atropelaram a lei de responsabilidade fiscal, aumento p/funcionalismo, gastos com publicidades, gastos como "olim piadas", gastos com eleições municipais,etc....Essa conta jamais fechará no azul e sempre será equacionada com aumento de tributos e cortes na área social.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto a equipe economica do governo sempre forem represetantes dos interesses dos banqueiros só ocorrera crescimento da crise e dos lucros dos bancos,crescimento para o governo e sociedade,das dividas!

    ResponderExcluir
  3. Não é só o Meirelles que pensa o povo que se dane, mas também Temer, pois ele é suficientemente evoluido e culto para ver os problemas desta nação. Se deixa Meirelles fazer o que quer, então é mais um que se está lixando para com o Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Michel Temer é muito fraco para quem quer ser Presidente do Brasil. Não basta escolher, empossar e deixar que cada ministro se vire. Tem que trabalhar em equipe e para isso exige-se liderança e conhecimento de todas as pastas dos Ministros. Logicamente que Michel Temer sabe disso mas se faz de bobo. Um ex: Está sendo preciso uma reclamação geral da população para que Michel Temer importe FEIJÃO e assim diminua o preço do grão que está "à beira da morte". Dessa forma, para beneficiar a população o governo só age na base do tranco usando um fusquinha mas para beneficiar ao próprio governo(como no caso da aprovação do aumento dos gastos públicos) usa-se um carro de fórmula um.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.