Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Chega de Dilma e sua corriola!

 Crédito da imagem: Veja

Eu me recolhi num canto diante de tanto jogo de cenas na política brasileira, mesmo porque não sou detentor de nenhum mandato parlamentar ou exerço qualquer cargo institucional. Não sou deputado, não sou ministro do governo atual, não fui ministro do governo anterior, nem deste sou, e longe de ser um ministro do STF. 

Assisto diariamente, o noticiário da grande imprensa, sobre o que acontece nos bastidores da política e da Justiça brasileira, por dever de ofício, para tentar informar aos leitores deste blog, a situação do quadro econômico, político e institucional do País.

No momento, a Comissão do impeachment da Dilma, está ouvindo um dentre 40 testemunhas à favor da Dilma. Primeiro, que as testemunhas são altamente comprometidas por ter servido à presidente Dilma, que depõe à favor dela porque temem represálias numa eventual volta. Dilma assiste de camarote, do Palácio da Alvorada, que deveria ser a residência oficial do presidente Temer, sustentada pelo dinheiro do contribuinte. 


Dilma já foi acusada pelo delator premiado Marcelo Odebrecht de que ela teria pedido dinheiro em forma de caixa 2 para sua campanha presidencial em 2014. Dilma foi acusada por outro delator premiado, o Nestor Ceveró, de que ela sabia das maracutaias e propinas que correram na compra da Refinaria Pasadena nos Estados Unidos. Justiça, por enquanto, se emudeceu. A Justiça vala para uns, mas não vale para outros. É assim que funciona em Brasília.

Esta senhora, a Dilma, tem a ousadia de querer se postar ao lado do presidente Temer, na cerimônia de abertura das Olimpíadas, no mês de agosto, no Rio de Janeiro. Só faltava esta! O Brasil apresentar ao mundo que existe dois presidentes, a presidente afastada Dilma e o presidente de fato Michel Temer. É por estas e outras que o País é conhecido como "república de banana" ou "republiqueta de quinta categoria".

O País não deve ter dois presidentes! Fico indignado com esta situação. O imobilismo do Judiciário para resolver de uma vez por toda, sobre crimes cometidos pelos chefes da facção criminosa, Dilma e Lula da Silva, sob alegação de "foro privilegiado", é uma afronta às próprias instituições da República e ao próprio povo brasileiro. 

As instituições da República como a presidência da República, o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional, deveriam estar mais atuantes. Garanto que, se a Dilma e o Lula da Silva fossem um cidadão como qualquer um de nós, já estariam amargando cadeia na Papuda ou na Penitenciária de Pedrinhas. 

Esta morosidade em resolver os crimes comuns de ladroagem aos cofres públicos praticados pelos figurões da política brasileira, deixa o povo descrente em tudo que acontece em Brasília.

Clique e leia ~~~>  matriz econômica liberal

Para reles cidadão como eu, você e nós, não temos alternativa senão a volta às ruas e fazer "pressão" aos que se acham "donos do Brasil". 


Ossami Sakamori
















5 comentários:

  1. É isso mesmo seu Sakamori,é desanimador .Estou completamente descrente desse país,qto a justiça ......não vejo nenhuma seriedade,não acredito nem mais na prisão do Luladrão. Estão todos comprados,todos corrompidos,não vejo saída. Quem vai prender o Lula ?? Ninguém tem peito pq provas não faltam . EU DESISTO !!!!

    ResponderExcluir
  2. Este país é uma republiqueta onde a lei é manipulada e os bandidos fazem o que querem. Prova? basta ler noticiários internacionais sobre o Brasil e ir ao mercado, farmácia, posto de gasolina etc.
    É comunismo disfarçado de democracia. Alguém duvida?

    ResponderExcluir
  3. Fora de foco, mas vejam um exemplo clássico da política econômica do mais do mesmo pra eles e, bucha pra nós:
    http://istoe.com.br/desafio-na-fixacao-do-teto-sera-desvincular-os-gastos/

    ResponderExcluir
  4. TALVEZ A SOLUÇÃO SEJA A DESCRIMINALIZAÇÃO DE ROUBO PARA POLÍTICOS - DO JEITO QUE VAI NÃO SOBRARÁ NINGUÉM

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.