Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 30 de maio de 2015

Economia BR. Dilma é esquizofrênica.


Após a aprovação das medidas de ajustes contra medidas "anti-cíclicas" (sic) pelo Congresso Nacional, praticamente sem grandes alterações, com exceção da mudança no "fator previdenciário" (um "jaboti" colocado pela Câmara dos Deputados e aprovados pelo Senado), não resta decisões importantes que dependa do Congresso Nacional. Agora, depende da capacidade gerencial da equipe econômica do governo Dilma, nas mãos do Nelson Barbosa do Planejamento e Joaquim Levy da Fazenda.

Falta implementar os cortes dos gastos do governo da União, conforme anunciado pelo Nelson Barbosa do Planejamento em R$ 69 bilhões. Os cortes nos gastos do governo federal em cerca de 5,1% do total de arrecadação é um número muito difícil de levar a termo, considerando que as despesas do governo cresce 6% real a cada ano, conforme opinião de analistas econômicos. Isto tem um nome: "arrocho".

Com corte de gastos do governo federal somado ao desinvestimento da Petrobras, em função da Operação Lava Jato, não há como reverter a tendência da retração, pelo menos neste ano. Isto tem um nome: "depressão".

O governo Dilma está com mãos atadas para reverter a tendência da retração da economia. Explico. Por conta dos ajustes de tarifas públicas que estavam represadas por longo período, a inflação disparou. O índice inflacionário oficial está em 8,3%, anualizado. Vamos lembrar que o centro da meta de inflação para este ano é de 4,5% segundo Banco Central. A inflação no próximo semestre, não vai mudar de tendência, até por conta da realimentação da inflação com reajuste de combustíveis previsto para próximo setembro.

A retomada do crescimento poderá ser feita por dois viés. Um destes viés seria depreciar o real para deixar os commodities e produtos industriais competitivo no mercado exterior. Só tem um problema. A depreciação do real de forma repentina não haveria ganho em termo de competitividade porque os compradores vão descontar a apreciação do dólar no preço dos produtos. Além do mais, o setor industrial que representava 26% do PIB no governo FHC, hoje representa cerca de 12% do PIB. 

O segundo viés para o crescimento seria, via mercado interno, como foi feito com medidas "anti-cíclicas" pelo Lula em 2009 e que foi dado continuidade no governo Dilma. Com inflação se aproximando de 2 dígitos, seria temerário e inoportuno estimular o consumo interno sob pena de estimular a volta da "hiper-inflação". Isto seria como medidas equivocadas do Plano Cruzado do governo Sarney, quando o País experimentou inflação de 80% num único mês.

Resumindo. Com inflação de 8,3% ao ano, com base monetária em contínua expansão e taxa de juros básicos Selic próximo de 14%, não é possível, neste momento, propor qualquer medida de estímulo ao consumo para tentar crescimento da economia via mercado interno. Seria como jogar querosene na fogueira. 

No entanto, como a presidente Dilma deve sofrer de grave doença mental, esquizofrênica, arrogante, cheio de arroubos, sendo assim pode Dilma tomar medidas que tornem nulos todo esforço da equipe econômica. Os ajustes aprovados pelo Congresso Nacional, se tornariam ineficazes, sem o alcance que quer se dar, se mudar de rumo à essa altura. Isto é uma possibilidade real de acontecer. E o povo fica a mercê de atitude de uma presidente com precedentes incontestáveis de esquizofrenia, de mentirosa, de inconsequente e irresponsável.

Release distribuído pelo Palácio do Planalto, contrariando o plano de ajustes às medidas "anti-cíclicas" do primeiro mandato, mostra que estaria sendo cogitado as concessões de várias obras de infra-estrutura em regime de PPP, com todo vigor. Com taxa básica de juros próximo de 14% ao ano, as PPP não vingará se não houver financiamento público com juros subsidiados, via BNDES. Empréstimos subsidiados para as concessões de rodovias, ferrovias e portos, pelo governo federal  (leia-se BNDES), neste momento, com inflação a 8,3%, será como jogar querosene na fogueira. 

Entre estas e outras atitudes, Dilma é bipolar, antagônico, uma doente mental, que confirma que ela é no mínimo inconsequente e é irresponsável. Pelo histórico dela, embora nãos sendo psiquiatra, concluo que a presidente Dilma sofre de grave crise de esquizofrenia!

Ossami Sakamori



8 comentários:

  1. Esquizofrenia é controlável, antes fosse isso.
    É psicopata mesmo, desvio grave de caráter misturado com estupidez.

    ResponderExcluir
  2. Amora tem razão. A desgraçada é psicopata desde a juventude e isso não tem cura. Ela vai torturar o Brasil como vingança pelo próprio passado de erros que ela não reconhece; um passado que ela mesma glamoriza em sua mente doentia. O Brasil inteiro terá de pagar pelo fracasso de seus crimes comunistas setentistas. Múmia maldita!

    ResponderExcluir
  3. Quando Fidel Castro tomou conta de Cuba,apresentava um quadro mental igual à da senhora dona do Brasil e fez daquela ilha o que fez.A rainha brasileira está no mesmo caminho,fazendo do nosso país um imenso hospício,onde ninguém sabe mais o que fazer.Enquanto pequnos (e sérios)países têm rumo definido e políticos comprometidos,estamos nas mãos de corsários sanguinários cujo compromisso é estritamente pessoal(lesa-pátrias).Lamentavelmente,não temos futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Fidel Castro deveria ser fuzilado como ele fez com milhares de conterrâneos seus porém, está agora de braços dados com Obama. Enquanto isso a população cubana sofre para sobreviver.

      Excluir
    2. Nosso futuro é incerto e borbulhante. Além disto a tal rainha vem provocando inimizades entre o povo, a massa de manobra. Temos ainda o neo Che Guevara como líder do MST. Logo, duvido das frases de efeito deste guerrilheiro esquizofrênico, fedido, que não gostava de banho e comia carne podre. "...Sem perder a ternura jamais..."! Que a rainha um dia tenha este sentimento de fato.

      Excluir
    3. Sr.Daniel Camilo

      Pois é, eu escrevi ao Obama a perguntar-lhe como podia trocar de embaixadores com Cuba sem que os presos políticos fossem libertados.

      Ainda não obtive alguma resposta mas vi que alguém devastou meu PC, embora sem causar danos.

      Excluir
  4. Dilma está mais para BIPOLAR. É uma pessoa impetuosa, aguerrida, vingativa, que nem sabe sorrir verdadeiramente. Doente de emoções. O que começa não termina, logo é uma pusilâmine, desorganizada e muito egoísta. Vingativa porque no passado não conseguiu o que desejou e muitas vezes sequer acredito que sofreu um câncer, senão não desprezaria tanto pacientes com a mesma patologia.

    ResponderExcluir
  5. A rainha brasileira (ela acha que é) é DÉBIL MENTAL,assim como o seu pai político,o cachaceiro apedêuta(demonio de 9 dedos).Não largam o osso nem que o demônio peça...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.