Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Dilma vive crise de identidade.

Quem sou eu?

Definitivamente, Dilma presidente vive crise de identidade. Ela não consegue definir exatamente quem ela é. Não sabe se ela é poste do Lula ou ela tem identidade própria. A própria política econômica do primeiro mandato, que ela denomina de "anti-cíclica" é uma versão inversa das medidas de ajustes do segundo mandato.

Aparentemente, Dilma presidente deu autonomia para Joaquim Levy Bradesco a elaborar a política econômica do segundo mandato. Joaquim Levy também tem dúvida sobre as suas convicções na política econômica que visa tão somente o ajuste fiscal do governo federal. Levy também está com a crise existencial, não sabe se atendo o setor bancário ou a população.

A Dilma fala de liberar os compulsório das poupanças para financiar o programa habitacional. Dilma fala em liberar FGTS para BNDES financiar os programas do Banco. Dilma liberou mais R$ 30 bilhões ao BNDES para atender o Bolsa Empresário, dentro do programa PSI. Dilma fala em alocar recursos do trabalhador FGTS para o BNDES fazer os empréstimos para os amigos do Palácio do Planalto.

Tudo que foi dito no parágrafo anterior, contrapõe à política de combate a inflação. A expansão da base monetária, vai na contra-mão da política de combate à inflação. O próprio aumento na taxa básica de juros Selic é uma outra medida que realimenta a inflação, ao contrário do que diz a equipe econômica e a imprensa e os "puxa-sacos" da Dilma presidente. 

A inflação em níveis próximos de 2 dígitos come (deprecia) a renda do trabalhador. Comendo parte da renda do trabalhador, diante da perda do "poder de compra", contrai em termos reais a base monetária.  No entanto, a "perda do poder de compra" contrai a expansão do comércio, serviço e indústria, que leva o País a retração. 

Como podem ver, Dilma presidente e Joaquim Levy estão com a mesma doença, a de "crise de identidade". Eles não sabem exatamente quem eles são. Uma hora fala em uma coisa e noutra fala em outra, completamente inversa. Com personalidade doente de ambos, a Dilma presidente e o Joaquim ministro, a economia do País, só poderia dar no que está dando, um completo desastre. 

Foi erro do povo brasileiro eleger para presidente uma pessoa que sofre de "crise de identidade". Uma presidente que não sabe exatamente quem ela é, só poderia terminar num completo caos.

Ossami Sakamori




2 comentários:

  1. 'Quem sou eu?" Uma colossal psicopata multipolar que fodeu o Brasil e que cuja recuperação social e economica será impossível. Uma nação continental do tamanho de um anão. Vergonha!

    ResponderExcluir
  2. Ela já usou tantos nomes diferentes do de batismo, que já não sabe quem é. Enganosas palavras, com o fim de confundir mentes. Confundidas, as pessoas perdem o interesse de continuarem atentas. Contudo, o silêncio sepulcral destes dias, soa fúnebre. O que está para acontecer? O que mais nos espera além das abraçadeiras econômicas? Silêncio profundo, tudo muito quieto. É verdade que mais uma vez fomos traídos/decepcionados. Mas, o que vem por aí?

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.