Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

sábado, 29 de novembro de 2014

Petróleo. O povo sempre leva chute na bunda!


A boa notícia sobre a economia brasileira, vem de fora. O preço do petróleo no mercado internacional despencou. O petróleo tipo WTI - West Texas Intermediate, negociado nos EUA, fechou em baixa cotado no fechamento a US$ 65,59, a mínima dos últimos 4 anos.

Há um ano, o preço por barril, do tipo WTI, esteve cotado, em média, a US$ 95. Em um ano, o preço de petróleo, considerando a cotação de ontem, caiu cerca de 30%. Desde o último aumento de combustíveis, no início do mês, o preço do petróleo no mercado internacional caiu cerca de 10%.  Portanto, não haverá razão para o aumento de combustíveis cogitado pelo governo, no início do ano, mesmo com a volta do CIDE - Contribuição de Intervenção sobre Domínio Econômico.

A queda do preço do petróleo no mercado internacional traz consequências opostas para a Petrobras.

Com o último aumento de combustíveis, a Petrobras, praticamente, zerou a perda devido a defasagem entre o preço internacional e o preço praticado no mercado interno. Com a baixa do preço internacional do petróleo, a Petrobras desembolsa menos dólares e consequentemente aumenta a margem de lucro, uma vez que, com o último aumento de combustíveis já tinha zerado a defasagem de preços.

Por outro lado, a margem de lucro sobre o petróleo bruto extraído pela própria Petrobras diminuiria, porque os custos de exploração permanecem os mesmos. Explico. Há um ano atrás o WTI estava em US$ 95, enquanto o custo de produção estava em US$ 25 para os petróleos da camada pós-sal e cerca de US$ 45 para os petróleos da camada pré-sal.  Os custos de produção não alterou neste período, diminuindo a margem de lucro na produção própria.

O declínio do preço do petróleo no mercado internacional, torna a exploração do óleo na cada pré-sal deixa de ser interessante.  A extração do petróleo pelos árabes, custam em média US$ 10 por barril, por motivo de os poços encontrarem em terra. A extração do gás do xisto pelos americanos, custam equivalente em óleo, a cerca de US$ 20. Preços baixando, só fica interessante, a exploração do petróleo cujos custos de exploração sejam baixos. Neste quesito, a Petrobras que explora basicamente "off-shore" sai em desvantagem em relação a outras petroleiras do mundo.

Permanecendo este quadro do mercado internacional, a exploração do petróleo na camada pré-sal deixa de ser um empreendimento interessante sob ponto de vista dos parceiros anglo-holandeses e dos chineses.  Se o quadro persistir ou baixar mais ainda o preço do petróleo no mercado internacional, o plano de produção do campo de Libra festejado pelo leilão, será um investimento de alto risco. É provável que os anglo-holandeses e chineses direcionem prioridade para investimentos de baixo risco em outras partes do mundo.

Resumindo. O bom é que o preço de combustíveis na bomba não deve sofrer aumento mesmo com a volta da CIDE. O ruim é que o projetos de investimentos na educação e saúde baseado nos royalties do petróleo do pré-sal não vingará nos prazos previstos alardeados pela Dilma na campanha da sua reeleição. Na melhor das hipóteses, os royalties só entrarão no Tesouro, lá pelos anos pós 2025.

A baixa preços de petróleo no mercado internacional, ironicamente, é ruim para a Petrobras. Para Graça Foster que justificava o reajuste dos combustíveis na bomba em razão da alta de preços, a mesma Graça Foster vai justificar o baixo desempenho, pela baixa do petróleo. Dilma e Graça Foster estão com saias justas com a baixa do petróleo no mercado internacional. Pode, isso?

Certamente, o povo vai pagar o pato, tanto pelo aumento ou pela baixa do petróleo no mercado internacional.  O povo sempre leva chute na bunda.

Ossami Sakamori



21 comentários:

  1. O povo sempre paga o "pato", mas não foi isso que ele escolheu? Infelizmente os justos também pagarão pelos pecadores.

    ResponderExcluir
  2. Mas o cenário atual é o menos crítico. Ele só mostra o erro que foi investir bihões no pré-sal a toque de caixa, e a briga sem sentido pelo royalties. Este petróleo tem que ser mapeado, pesquisado, prospectado, e a produção tem que ser feita em um ritmo racional, de acordo com a escassez do mercado.

    Se isso tivesse sido feito, a Petrobrás não estaria tão endividada e com tantas dificuldades de caixa, e a queda do petróleo agora não seria tão crítica.

    De qualquer forma gostaria de tirar uma dúvida. Os custos de produção são esses mesmos? Havia lido em algum lugar que o custo do xisto seria próximo do pré-sal, apesar que haveria o custo do xisto americano, um pouco menor, e o xisto canadense, mais caro.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O custo de exploração do xisto, no sistema americano, com craqueamento de rochas, extraindo gás. Tudo feito, em terra, o custo de produção sai a menos de US$ 20 de gás, equivalente, em barris de petróleo.

      Isto é motivo, também, pela queda do barril de petróleo.

      Obrigado comentário.

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta.

      E sim, hoje o cerne da questão é o xisto. Pré-sal é secundário, e assim o governo e a Petrobrás deveria tratá-lo, uma reserva para o futuro.

      Sobre o assunto, encontrei uma reportagem que tinha lido:

      http://www.infomoney.com.br/bloomberg/mercados/noticia/3635605/opep-testara-xisto-dos-eua-mantendo-producao-petroleo-apesar-queda

      Abraços.

      Excluir
  3. Aumentar o combustível sempre foi forma do governo arrecadar mais em todos os governos, mesmo com o preço do petróleo em queda. Dilma vai extorquir quem consome e paga impostos até o fim, tem vários rombos para cobrir e muitas contas para pagar. Nós continuaremos levando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além de chute,continuaremos levando mais coisa na b...

      Excluir
  4. Parabéns. Para a Petrobras, enquanto forem nomeados corruptos para as diretorias, não há solução. Aliás, o Brasil, como se encontra, é um caso perdido. Estou perdendo as minhas últimas esperanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é só chute que o povo leva na b...

      Excluir
  5. Corajoso Sakamori,
    A extração de petróleo no Pré-Sal, a meu ver, é muito custosa. A priori, eu não dividiria nenhum royalty baseado nesta produção. Além do custo alto ( o barril precisa custar uns 200 dólares para valer a pena), os equipamentos e a segurança são difíceis, pois não é fácil manter um operação a 6 km abaixo da superfície (a pressão é muito forte). Sinceramente, eu buscaria energias alternativas como a solar e a eólica. Não devemos nos deixar levar pelo otimismo de Lula, um simples apedêuta. E por falar em petróleo, como é feia essa Graça Foster, não?

    ResponderExcluir
  6. A Graça Fóster parece as véia forrozeira dos bailões de domingo,onde feiura é privilégio.Pré-açúcar é coisa do Lula quando está bêbado(e sempre está)...

    ResponderExcluir
  7. O que cada dia mais me assusta é ver como uma companhia da envergadura da Petrobras é gerida politicamente
    Quem comanda a produção e consequentemente o preço do petróleo é a OPEP. O Brasil partiu para a produção do petróleo no pré sal para satisfazer o ego do Lula. A exploração do pré sal exige investimentos altíssimos e a Petrobras resolveu bancá-los sem ter uma visão clara do que poderia acontecer com o preço do petróleo. Gostaria de saber com qual valor do barril foi calculada a taxa de retorno do capital sobre os investimentos que estão em curso.
    Nossas plataformas são caríssimas pela exigência do conteúdo nacional
    A Petrobrás uma empresa de economia mista age como se fosse estatal e está bancando a nossos custos o aprendizado dos estaleiros nacionais. Qualquer plataforma similar fica pelo menos 40% mais barata se comprada na Coreia. Se a Petrobras fosse 100% privada todas as contratações seriam feitas pelo menor preço independente da origem dos bens

    ResponderExcluir
  8. A foto parece que tá enfiando a lingua na oreia da outra. Essas duas sem roupa deve ser mais feio que ver a vó pela greta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \\\\\esta foi a primeira foto real da chupa-cabra...

      Excluir
  9. Vivemos numa ditadura soviética/petista/bolivariana pelo que qualquer reclamação por mais clara e limpida que seja, vai para o caixote do lixo.

    Por isso a única coisa que podemos fazer perante um governo despesista tão sôfrego de reais, è pagar e calar.

    Quem pode manda, qum não pode, obedeçe e cala. Somos todos nós, a imensa manada brasileira abandonada e desprezada pela FFAA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos continuar tomando chute e algo mais na b...

      Excluir
  10. Se o cidadão tiver com merda pronta e encontrar essa Graça Foster no escuro se borra todo de medo

    ResponderExcluir
  11. Caro Saka, com o chute que levamos nos glúteos pela vontade de satisfazer o ego do velho Lula, fazendo-se toda essa Operação Petrolífera onerosa, sem retorno a não ser de dívidas e de falcatruas, gostaria de perguntar se já estudaram se tem Reserva de Xisto aqui no Brasil . Realmente estou com medo da resposta.Um ficou famoso com o PRÉ SAL, a outra, ai meu Deus.....pobre de nos brasileiros

    ResponderExcluir
  12. Cara amiga Célia,

    Brasil tem xisto sim. E tem muito. Atualmente, a Petrobras tem uma unidade de exploração do xisto a céu aberto, com produção pequena. A unidade está localizado no município de São Mateus do Sul/PR .

    O sistema de produção do xisto no Brasil é no sistema antigo. A Petrobras desenvolveu sistema próprio denominado de Petrosix. Mas, o sistema é para produção de petróleo em forma de óleo.

    O sistema americano desenvolvido recentemente é pelo craqueamento de rocha de xisto, produzindo gás ao invés de petróleo.

    O custo de produção deste gás, equivalente em petróleo não passa dos US$ 20 por barril equivalente em petróleo.

    O custo é mais baixo do que produção de petróleo off-shore que custa não menos que US$ 25 por barril no pós sal e US$ 50 por barril no pré-sal.

    Se o preço do petróleo do tipo pesado WTI baixar para US$ 50 o barril, a Petrobras vai trabalhar para não gerar lucro nenhum, porque o custo do pré-sal, já é de US$ 50.

    Obrigado, sempre, pelos comentários valiosos!

    Ossami Sakamori

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De qualquer maneira amigo Saka, se observarmos o que ocorre no Brasil, vc respondeu a pergunta do momento aqui TEM XISTO. Logo o Pré Sal, vai para as cucuias e esse Xisto que vale muiiiito caro vai ser transformado em algo dito rentável e lá vamos nós, em pleno País Tropical, valorizar a pedra

      Excluir
  13. Sakamori:

    Brilhantes palavras...

    ...só não gostei do chute. Porque tem que ser sempre assim?

    Abraço,

    Eli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que qualquer criança sabe é que o Pré-Açúcar foi feito simplesmente para adoçar a boca dos bandidos bolivarianos , de Brasília, gerando uma cadeia enorme de fontes de corrupção e engordando as contas desses bandidos em paraísos fiscais,para lástima de nós todos que continuaremos tomando mais que chute na bunda...

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.