Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 16 de novembro de 2014

Dilma, "duela a quién duela"!


Ontem, dia 15 de novembro, coincidentemente o dia que comemoramos a Proclamação da República, o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo deu entrevista coletiva à imprensa, na sede da Presidência da República em São Paulo sobre o desdobramento da operação Lava Jato.

Segundo a imprensa, entre outras coisas disse o ministro Eduardo Cardozo de que a Petrobras "não pode e não vai parar", apesar de escândalo de corrupção que envolve a empresa. Disse ainda que "se por um lado as investigações tem que prosseguir, de outro lado, a Petrobras não pode parar". Disse o óbvio.

Assisti pela TV a entrevista do ministro Eduardo Cardozo e achei muita semelhança com o estilo agressivo do então presidente Collor. Quero tecer minhas considerações sobre três pontos da sua entrevista. O final deste episódio, creio que terminará como o fim melancólico da era Collor.

O ponto central da entrevista foi que a oposição quer transformar a operação Lava Jato em assunto político eleitoreiro, como que terceiro turno das eleições. Que eu saiba, as eleições presidenciais, foram realizados nos dias 5 e 26 de outubro, respectivamente o primeiro e segundo turno. O ministro se comporta como se a Dilma tivesse perdido a eleição.  Acordo, ministro!  Dilma ganhou a reeleição!

Outro ponto é que o ministro Eduardo Cardozo se comporta como o ordenador da operação Lava Jato, conduzido pelo MPF e Polícia Federal, sob o comando do juiz Sérgio Moro da Justiça Federal de Curitiba.  Segundo a imprensa, o ministro Eduardo Cardozo só soube da fase 7 da operação Lava Jato somente às 5 horas da manhã do dia que foram cumprido os mandados de prisão dos empreiteiros. Ministro, nem você e nem a Dilma nada tem a ver com a iniciativa da investigação sobre a corrupção na Petrobras!

E por fim, o ministro disse ter comunicado à presidente Dilma sobre a operação e que a mesma mandou ordenar que a operação tivesse prosseguimento "doa a quem doer". A afirmação da Dilma é um jogo de cena para parecer que a operação Lava Jato fora instaurado com a ordem. da presidente Dilma. Estrategicamente, como sempre faz, Dilma quer apadrinhar o processo de investigação na Petrobras.

Estou a rir muito! Eu que já vivi várias fases da política brasileira, achei a atitude do ministro Eduardo Cardozo e da presidente Dilma, muito semelhante ao do presidente Collor à véspera de Collor perder o cargo de presidente da República pela prática de corrupção no seu governo. Usa-se bravata para tentar contornar a situação que se criou.

Em 25 de agosto de 1992, disse presidente Collor, numa entrevista à TV argentina, acerca da sua intenção de investigar e punir os responsáveis por irregularidades no seu governo, fossem quem fossem.  Embora, em língua espanhola não tão correta, disse o Collor: "Duala a quien duela". Lembrando que o presidente Collor renunciou o mandato em 2 de outubro de 1992 após aprovação do impeachment no dia 29 de setembro.  A frase que se tornara famosa, foi dita havia pouco mais de 1 mês da votação do seu impeachment pelo Congresso Nacional.

Crédito da imagem: Veja

A operação Lava Jato, transformado em processos judiciais, conduzido pelo juiz federal Sérgio Moro, está a desenhar resultados imprevisíveis, sobretudo com a prisão dos "mega empresários" do setor de construção.  A pressão das redes sociais vão impor condução ilibada dos processos judicias sobre os parlamentares e agentes públicos com o foro privilegiado. Lembrando que a investigação e julgamento dos que tem foro privilegiado será feito pelo ministro Teori Zavascki do STF.


Cabe ao Congresso Nacional, sobretudo pelos membros da nova legislatura, fazer o julgamento político da presidente Dilma, independente do resultado do julgamento pelo Judiciário da operação Lava Jato.   Cabe às redes sociais e movimento de ruas, fazer pressão para que ocorra a julgamento do impeachment da Dilma.  Não podemos frustrar a corajosa iniciativa do juiz Sérgio Moro.  A oportunidade é única para passar o Brasil à limpo.


Dima, a frase cabe exatamente a você: "duela a quien duela"!

Ossami Sakamori




15 comentários:

  1. Respostas
    1. Pena que a realidade vai fazendo parte do povo até que seja surpreendido por nova bandeira,novo hino,novo nome de país-satélite da Venezuela,que logo irá engolir o Brasil.
      É só esperar sentado para ver.

      Excluir
  2. Faz muito tempo que eu gostaria de ler ou ouvir alguem fazer uma analise tāo racional da fase que estamos vivendo. Parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Palavras bonitas e animadoras para uma realidade tétrica,sem saída e sem fim.
      Sorte de quem pode ir embora dessa falácia e fincar pés em um país sério.

      Excluir
  3. Mestre querido! Como é bom ler suas análises! Me trazem aquele sentimento de que não estou sozinha, alguém enxerga e se posiciona da mesma forma que eu. Pelo criminoso aparelhamento do Estado brasileiro, de fato, não sabemos os rumos, e as nossas armas são: as redes sociais e o povo, o bendito povo na rua! Continua muito apropriada a frase do Aécio: "Para resolver a corrupção, temos que tirar o PT do poder"! Parabéns, Mestre!!!!! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou morrer e não verei isso acontecer.
      Todos foram comprados e manipulados.
      Quem puder,vá embora do Brasil,enquanto é tempo.
      Quem vive de ilusão é criança...

      Excluir
  4. O PT vai tentar parar a PF, tentar desmoralizar Sérgio Moro...o aparelhamento é enorme, não vai ser fácil, nosso papel é pressionar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SÓ UMA SANGRENTA GUERRA CIVIL PODE MUDAR ESSA ZONA CHAMADA BRASIL.]
      oLD MAN ii

      Excluir
  5. Não acredito que cabe ao corrupto Congresso Nacional, sobretudo pelos membros da nova legislatura, fazer o julgamento político da presidente dilma.

    São corruptos, senhor!

    Aliás, todos os políticos, o PT, o PCdoB, o MST e seus filhotes, os "médicos" cubanos e mesmo Cuba, são extremistas como o ISIS. Por enquanto nas palavras, mas no futuro quem sabe, com armas na mão.

    Doa a quem doer? Só se for a nós! Eles jamais largarão o osso. São soviéticos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse país não existe mais há muito tempo.
      Aqui só se faz teatrinho onde o povo assiste feito imbecil.
      Quem puder,mude já para outro país fora da América do Sul,chiqueiro dos soviéticos.

      Excluir
  6. Não se iludam caros comentaristas, esse famigerado partido só será alijado do poder pela força das armas, enquanto existirem eleições fraudulentas, eles continuarão por muitas décadas no poder. Quando eles tiverem certeza que as forças armadas, estão sob controle absoluto, bem como as policias civis e militares, novo regime será implantado pelos próximos 50 anos, como Cuba e Venezuela. Pobre brasil, um país de tolos e corruptos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O senhor anonimo das 17:42 disse tudo.
      Quem tem olhos já viu que o Brasil é uma colônia soviética,há muitos anos e ninguém ou nada irá mudar isso,porque os analfabetos que tomaram conta com poder,venderem as mães,filhas e a pátria,compraram os poderes constituídos e transformaram o Brasil num imenso meretrício,onde as senhoras que lá vivem pariram essa multidão que nos domina.

      Excluir
    2. Depois de ler o anônimo das 19:14, só falta dizer putas ao poder porque os filhos já lá estão.

      Excluir
  7. Eis o sujo falando dos mal lavados! O mestre dos picaretas fazendo demagogia em cima de tanta gente desinformada a seu respeito! A estes recomendo uma boa olhada na ficha corrida desse lobo disfarçado de cordeiro: http://www.jusbrasil.com.br/busca?q=ossami+sakamori

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega anonimo das 16:35.
      O amigo é inteligente e já deve ter percebido que este blog é para mostrar as falcatruas dos petistas e não defendê-los.
      Não adianta tentar cobrir o Brasil podre dos PTralhas com cobertor de micro-fibra.Não dá certo.O povo não é tão desinformado como parece.

      Excluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.