Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Dilma, mais um fraude de R$ 1 bilhão?

Ministro do Desenvolvimento Agrário: Miguel Rosseto

Operação Terra Prometida da Polícia Federal desvendou esquema de fraudes para regularizar a compra ou invasão de terras distribuídas pelo programa de reforma agrária desenvolvido pelo INCRA.  O esquema rendeu, segundo Estadão, aos fazendeiros envolvidos vantagens que chega a R$ 1 bilhão.

O esquema ganhou notoriedade porque envolve dois irmãos do ministro da Agricultura Neri Geller e funcionários do INCRA e das prefeituras dos municípios onde estão localizados os lotes. O esquema vem sendo praticado ao longo dos anos pelos fazendeiros, isoladamente. Não é assunto novo. A novidade é que tem como beneficiários do esquema de fraudes os irmãos do ministro de Agricultura Neri Geller, gaúcho, filiado ao PMDB.

Os lotes objetos da matéria, originariamente, foram distribuídos aos sem terras, dentro do programa de Reforma Agrária do Ministério de Desenvolvimento Agrário. Se houve fraudes na jurisdição do INCRA, o ministro Miguel Rossetto, tem culpa no cartório, mais do que o ministro Neri Geller.

Ministro da Agricultura: Neri Geller

Miguel Rosseto é sindicalista ligado ao governador Tarso Genro. Foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo e presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Polo Petroquímico de Triunfo no Rio Grande do Sul. Ocupou o ministério do Desenvolvimento Agrário, nos governos Lula e Dilma. Deixou o cargo para fazer parte da coordenação da campanha da Dilma. Ele entende muito de terras e de sem terras. Só dando gargalhada, mesmo!

Dilma, mais um fraude de R$ 1 bilhão?

Ossami Sakamori




8 comentários:

  1. Impressionante como essas fraudes parecem o "moto perpétuo"pois elas não têm fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso precisam mudar a Lei de Responsabilidade Fiscal!

      Excluir
  2. De "bilhãozinho" em "bilhãozinho" o país vai afundando...

    ResponderExcluir
  3. Mas é justamente para isso que servem esses movimentos:MST, MTST, para além de manobrar a massa, enriquecer os "cumpanheros". Roubalheira sem fim!

    ResponderExcluir
  4. Aquele que tem uma terra produtiva e perto da cidade o MST invade por conveniencia e o governo desapropria e paga o preço que quer, não o que vale.. Já quem faz parte da tramóia e quer vender para o governo terra improdutiva, longe, sem recurso de escola ou saúde, o MST finge que invade, o Governo desapropria pagando muito e rapidamente, os Sem Terra, logo abandonam o lugar e tudo começa novamente. Sempre quem produz fica no prejuízo e um Stédile da vida começa tudo outra vez

    ResponderExcluir
  5. in Blog AlertaTotal

    "Soaram fortíssimas as declarações do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Newton Trisotto:

    "A corrupção no Brasil é uma das maiores vergonhas da humanidade".

    O ministro Felix Fischer, ex-presidente do STJ, também classificou a corrupção no Brasil entre as maiores do planeta:

    "Acho que nenhum outro país viveu tamanha roubalheira".

    E Newton Trisotto foi além, citando Ruy Barbosa:

    "Não há salvação para o juiz covarde. O juiz precisa ter coragem para condenar ou absolver os políticos e os economicamente poderosos".

    ResponderExcluir
  6. Usando um linguajar chulo :
    VAI FALTAR MERDA PARA O POVO COMER...

    ResponderExcluir
  7. Para acabar com a corrupção no Brasil é preciso exterminar os corruPTos e mudar a forma de nomear os Ministros do STF.

    Os Doutos Ministros deveriam ser eleitos pelo CNJ, em lista quíntupla, cujos candidatos seriam submetidos à sabatina de conhecimento e idoneidade moral. Assim terminaria o corporativismo em defesa do Executivo que os nomeia.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.