Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 4 de março de 2018

O que você pode fazer pelo Brasil?


Disse John Kennedy em seu discurso de posse como presidente da República dos Estados Unidos da América em 1961: "Meus compatriotas, não perguntem o que seu país pode fazer por vocês, mas o que vocês podem fazer pelo seu país" A frase produziu impacto muito grande no povo americano, pois que foi pronunciado por um democrata com ideologia mais à esquerda dos republicanos. 

Nós brasileiros cobramos muito pela atitude dos outros, mas pouco fazemos para imprimir mudanças no rumo do País. Metemos pau no presidente da República, como eu faço. Metemos pau nos deputados e senadores, como eu faço. Metemos pau nos ministros do Supremo Tribunal Federal, como eu faço. Metemos pau no governador do estado, como eu faço. Metemos pau no prefeito da cidade, como eu faço. Mas, pouco fazemos para mudar o rumo do País. Somos os verdadeiros bananões da República. 

As eleições para novo presidente, cargo máximo da República, acontecerá daqui a sete meses e estamos divididos em relação aos candidatos e aos partidos que nós representará. De princípio, o povo elege o candidato que promete mundos e fundos. O candidato que propõe "intervir" no comportamento social e na economia são os favoritos da população. O povo brasileiro espera que o presidente da República resolvam "todos" problemas do País. O povo brasileiro prefere ainda acreditar nas promessas fáceis de candidatos.  Acreditamos e esperamos um "salvador da pátria".

O Brasil está em frangalhos. Segundo avaliação dos organismos não governamentais, por exemplo,  o serviço de educação está atrasado em 260 anos na leitura e 60 anos em matemática em relação aos países desenvolvidos. A saúde pública está literalmente falida. A segurança pública está a merecer até "intervenção militar" para conter a onda de violência e combater o tráfico de drogas. Creio pouco provável que, por melhor intenção que tenha o próximo presidente da República, possa dar solução para todas mazelas acumulados por anos a fio. A realidade tem nos mostrado que a crise moral tem nos levado à triste realidade brasileira. 

Não está na hora de juntarmos a força para mudança do rumo País, tal qual apelou o presidente americano John Kennedy aos seus concidadãos?  Muito provável que não encontremos um candidato "estadista" à altura de exercer a presidência da República na sua plenitude, mas a força e a vontade do povo brasileiro é tão forte que haveremos de resgatar autoestima e orgulho perdidos por todos nós. 

Pergunto: O que você pode fazer pelo Brasil?

Ossami Sakamori

8 comentários:

  1. Pura verdade! essa semana aqui na minha região, um grupo de pessoas reformou uma praça abandonada pela prefeitura, plantaram flores, revitalizaram, ficou maravilhosa. E disseram a mesma frase: o que nós podemos fazer pela nossa cidade! Eles mesmos que vão utilizar, não esperaram mais nada! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Bem Saka, gostei muito da sua pergunta mas odiei minha resposta. Fiquei pensativa com ela. Podemos nos unir pelo Brasil, deixar de culpar tanto os outros, fazer a nossa parte, mas ainda penso que temos que colocar essa cambada de vagabundos do Supremo para fora e acabar com esse tal de Direitos Humanos que só fez crescer o crime no Brasil. E bem no fundo do meu coração, ñ suporto esquerda ou direita, ñ suporto ninguém ou nada que se aproveita dos outros, que dissemina a mentira, que destrói o respeito , que se auto intitula TODO PODEROSO,mas ñ passa de um canalha.
    Estou errada, eu sei, mas ñ estou procurando perfeição para conduzir o nosso País, apenas quero sair dessa quadrilha que nos envergonha e que tira a dignidade do povo brasileiro. Votar eu vou, ajudar estou pronta e fazendo, mas o povo precisa saber que PODEMOS É DEVEMOS lutar por nós mesmos.

    ResponderExcluir
  3. Realmente somos iguais ao prezado Sakamori, somos contra, metemos o pau, mas pouco fazemos em prol do nosso bairro, da nossa cidade ou município, e do nosso Estado, que dirá do nosso País.

    Precisamos sair do discurso e passar à prática, por mais dificil que possa ser, porque não é fácil ter alguém a seu lado para fazer o bem ou coisas boas.
    Já, para fazer o mal ou destruir não precisamos nem chamar, pois, os voluntários para isso são inúmeros.

    Boa tarde...

    ResponderExcluir
  4. O problema é que pagamos impostos pra ter vários serviços públicos e não temos! Apenas sustentamos vagabundos improdutivos na máquina pública!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Artigo elucidado, providencial citação das palavras de John Kennedy. Podemos mais do que só criticar governantes, representantes do povo, opinar sobre possíveis soluções viáveis, além de apoiar, protestar, mobilizar juntos moções levando mudanças, soluções. Projetos de lei de iniciativa popular são previstos na Constituição, para com o que faltam ou mesmo ignoram os que ocupam o poder, nós, o povo, junto de instituições comprometidas com o país, devemos mobilizar projetos que tragam mudanças em benefício da sociedade por este caminho. Apesar de expor uma democracia, da parte de representantes do povo, por estarem faltando com o trabalho, pelo que deveria partir deles, ainda por ser consolidada, isso é um exercício de cidadania, é democracia. Então, além de criticar, só criticar, podemos contribuir opinando sobre soluções, e o mais importante, unirmos esforços em iniciativas levando soluções, mudanças, isso é pedido de nós como povo, como país, e assim como já foi em outras vezes, estejamos unidos, sejamos um só Brasil mobilizando causas por nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  7. O povo brasileiro é ignorante! Não vão fazer nada pq nunca fizeram nada pra mudar! A elite brasileira deita e rola e nada muda! O Brasil já faliu e só restou a ignorância!

    ResponderExcluir
  8. Cara, não sei o motivo, mas o lugar pra ter corno é em diretoria de fundo de pensão. Corno e viado, mas tudo gente boa

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.