Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 25 de março de 2018

Minha homenagem é para o seu Marechal

Favela da Rocinha

Foi na quarta-feira que seu Marechal, morador da Rocinha, foi morto no tiroteio entre traficantes e policiais militares. Desde então, até ontem, já morreu 10 pessoas, traficantes e moradores da Rocinha. Seu Marechal como era conhecido vivia de venda de sucatas e conserto de ferro de passar. Ele era, segundo depoimentos postados na imprensa pelos moradores, era uma pessoa muito querida da favela de Rocinha. 

Diferente da vereadora morta há poucos dias, que virou heroína da mídia nacional e internacional, seu Marechal era líder comunitário no sentido correto da palavra, ficará no esquecimento. O enterro no Cemitério de Caju, foi realizado em companhia de muitas pessoas da comunidade. Ele era trabalhador, branco, contrastando com a maioria da comunidade que são pardos. Talvez, o seu Marechal não merecesse a mesma atenção que foi dada a vereadora executada com crueldade próprio de criminosos de alta periculosidade, por não possuir perfil dos moradores das favelas. 

Tal qual o menino Benjamin, 2 anos, negro, portador de síndrome de Down, o seu Marechal cairá no esquecimento da mídia, até aparecer novos cadáveres nas favelas do Rio de Janeiro.  Tal qual o soldado morto no mesmo episódio do seu Marechal, as pessoas inocentes assassinados cruelmente vão apenas figurar nas estatísticas da violência da cidade que é considerada maravilhosa.  Maravilhosa, onde?

Minha homenagem de hoje é para o seu Marechal que soma ao que fiz ao menino Benjamin.  Espero que as páginas deste blog não precise retornar para prestar homenagens deste tipo. Seu Marechal não mais consertará ferro de passar para as donas de casas da favela do Rocinha. 

Minha homenagem de hoje é para o seu Marechal !

Ossami Sakamori

4 comentários:

  1. Concordo com o seu Marechal! No texto, bonito, discordo que a Marielle, em que pese a dor da sua morte violenta, não tem o perfil da favela, pois no meu entendimento cristão, a defunta é um atentado moral e aos bons costumes no Brasil. Ela não deixou viúvo e sim viúva e defendia grupos anormais, tal como ela e contrário à doutrina da igreja -qualquer uma no mundo - e aos ensinamentos do Apóstolo Paulo que dizia: "Vamos combater o bom combate". Repito, lamento o fim triste da Marielle, mas não é uma heroína e sim uma pevertida vermelha a serviço de uma minoria...

    ResponderExcluir
  2. Pessoas como seu Marechal são cidadàos normais e trabalhadores honrados, prestam seu serviço á comunidade . A Outra ou outro sei lá , defendia o que ñ prestava e era famosa pela mídia nojenta que está acabando com o BRASIL. Eu fico com o Sr. MARECHAL e desejo a ele um bom descanso de verdadeiro brasileiro. Quem sabe Deus escuta nossas preces e põe para correr essa ESQUERDA NOJENTA

    ResponderExcluir
  3. Bom dia! Belo texto.A vereadora morta há poucos dias, que virou heroína da mídia nacional e internacional foi usada pra um desvio de atenção das pessoas de bem,Pois o que se ouviu falar nos últimos 10 dias? Nem a merda do STF TEVE TANTA REPERCUSSÃO DA MÍDIA A NÃO SER NAS REDES SOCIAIS.

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.