Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 7 de janeiro de 2018

FGTS empresta R$ 15 bilhões para CEF


O governo Temer vai trocar dívida da Caixa Econômica Federal junto ao FGTS no valor de R$ 15 bilhões por "bônus perpétuo", sem vencimentos, pelas dívidas anteriores com vencimento superior a 15 anos. Claro que a operação embora estranha aos interesse dos trabalhadores, vai ser aprovado pelo Conselho Curador composto por metade dos membros indicados pelo governo e a outra metade composto pelos trabalhadores "pelegos" do governo.

A operação muito estranha, conhecida já conhecidas por "pedaladas" é uma tentativa de fazer a CEF se enquadrar dentro das exigências de capital próprio proporcional ao volume de empréstimos normatizadas pelo BIS, o Banco Central dos bancos centrais do mundo. É uma "gambiarra" que tenta solucionar a necessidade de capitalização da CEF pelo Tesouro Nacional. Como o governo não tem os R$ 15 bilhões para fazer o aporte de capital na Instituição sem que estoure o Orçamento Fiscal de 2018 inventa-se a "pedalada", tão criticada anteriormente pelo governo Temer à administração Dilma.

Vamos lembar que a Caixa Econômica Federal é administrador único do FGTS. Em 2016, a Instituição recebeu do FGTS remuneração de R$ 4,4 bilhões, cujo valor corresponde a 1% do ativo do Fundo. Está longe de achar que a Caixa trabalha de graça para o FGTS ou que a administração do FGTS venha a ser ônus para Caixa. Pelo contrário, a administração do FGTS traz muito bônus para a Caixa, incluindo "empréstimo perpétuo" para pagamento no dia do "são nunca", objeto da matéria de hoje. 

Nem assim, a Caixa Econômica é auto-sustentável. 

Ossami Sakamori


6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Governo não deve ser empresário, muito menos banqueiro!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Então, o que foi dito que seria o motivo da retirada de Dilma do Planalto, que sabemos não ter sido, hoje é feito por aquele que junto à Lula, fizeram o movimento do impeachment da antecessora, ou seja, Michel Temer.

    Se não podia para ela, porque para Temer pode?

    E, mais: Porque os "trabalhadores" do conselho aprovam isso, assim sem mais, nem menos?

    Esses mesmos trabalhadores que dia 24 próximo estarão em Porto Alegre, defendendo o mentor do impeachment de Dilma.

    É Brasil.

    ResponderExcluir
  5. Centro de
    Estelionato.............................CeEeFe
    Federal

    ResponderExcluir
  6. Governo rejeita recomendação do MPF para afastar cúpula da Caixa sob suspeitas
    Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-01-08/caixa-economica-federal.html

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.