Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Vem Pra Rua 16 de agosto!


No meio da crise política, a presidente Dilma recebeu para o jantar em homenagem ao dia dos advogados, os ministros do STF - Supremo Tribunal Federal. Compareceram os ministros Ricardo Dewandowski, Rosa Weber, Luiz Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e Dias Toffoli. Estiveram ausentes os ministros Teori Zavascki, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Compareceu também o Procurador Geral da República Rodrigo Janot.

Segundo release divulgado para imprensa, após a fala da presidente Dilma, o presidente do STF Ricardo Leandowski defendeu a necessidade de ter "compromisso com a estabilidade institucional e com a preservação da legitimidade de mandatos". A presidente teria avalizado a fala do ministro com o aceno de cabeça.

O jantar com os ministros do STF aconteceu após jantar com os 60 senadores que formalmente apoiam a presidente Dilma, na noite de segunda-feira. O jantar com os senadores já traduziu em dividendos políticos. O presidente do Senado Renan Calheiros, na noite de ontem, terça-feira, lançou perante seus pares, uma série de 28 propostas de mudanças na legislação, que ele próprio denominou de "Agenda Brasil".

Na noite de ontem, a Rede Globo divulgou a fala da Dilma sobre a redução de tarifa de energia elétrica em 20%. Segundo notícias, a presidente anunciou medidas que estão em fase de estudo pelo Ministério de Minas e Energia que prevê redução de um percentual ainda não definido sobre as "bandeiras" que incorporam as contas de luz. Na prática, as contas de luz virão em mesmos níveis do mês anterior, com ligeira baixa. Como sempre, Dilma continua enganando a população com suas falas ininteligíveis. 

Enquanto na Câmara dos Deputados, o lado do Cunha aprovou a PEC 443 que vincula o salário da Advocacia Geral da União (AGU), de procuradores estaduais e municipais e de delegados das Polícias Federal e Civil. A PEC aprovada em primeiro turno, prevê o teto dos salários dos servidores contemplados em 90,25% da remuneração dos ministros do STF. Quando aprovado pelo Senado Federal a PEC 443 será sancionado pelo presidente do Congresso Nacional, conforme prevê Constituição. 

Ainda, sobre o lançamento da Agenda Brasil pelo presidente do Senado Renan Calheiros, o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, minimizou o ato divulgado com estardalhaço, dizendo que o Congresso Nacional brasileiro é "bi-cameral", portanto qualquer medida depende da aprovação, também, da Câmara dos Deputados. No fundo, no fundo, o senador Renan Calheiros sabe disso. Foi o efeito "pirotécnico" combinado com a presidente Dilma, para tentar minorar a participação da população na manifestação de ruas do próximo domingo, dia 16 de agosto.

Para completar a situação de crise, ontem, a agência de classificação Mood's, rebaixou a classificação do risco Brasil para o último degrau do "grau de investimentos" com sinalização para baixo, ou seja o País está a um passo do "grau de especulação". Qualquer bobeada, cai na vala comum dos países em risco de calote. O País está desgovernado, literalmente.

#VemPraRua16ago

Ossami Sakamori







@SakaSakamori







10 comentários:

  1. A fala da Dilma sobre a redução de tarifa de energia elétrica em 20%, é mais uma enorme fraude dessa maldita bulgara. Vai é subir mais 20% conforme já li.

    ResponderExcluir
  2. Lamentavelmente o Brasil não existe (se é que algum dia existiu).
    O que existe é uma enorme colcha de retalhos,onde acertos e aconchavos são feitos a todo momento,visando dar continuidade a governos sem compromisso com o povo e preocupados tão somente com acertos que venham facilitar a vida pessoal dos políticos,cujas ações são apenas de blindagem entre si.Muita conversa,nenhum resultado positivo para o país e a garantia de que nunca houve,na prática,oposição patriótica.Vamos para o caos sem direito a esperar nada dessa camarilha que se apossou do poder.

    ResponderExcluir
  3. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) de São Paulo e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC agendaram para 16 de agosto - mesmo dia dos protestos antigoverno - um ato em defesa do ex-presidente Lula e do Partido dos Trabalhadores (PT), em frente ao Instituto Lula, na Zona Sul da capital paulista. A manifestação dos sindicalistas tem início previsto às 13 horas, uma hora antes do protesto que terá como palco a Avenida Paulista.

    O ato dos sindicalistas está sendo organizado pelas redes sociais. "Não permitiremos que nossa principal liderança seja atacada ou mesmo ameaçada por setores ou pessoas que não têm responsabilidade com a democracia e que nunca se importaram com os trabalhadores", diz a nota dos organizadores do evento. Não há referências a Dilma na página.

    A manifestação antecede ato agendado para quinta-feira, 20, em todo Brasil, por sindicatos e movimentos sociais em favor do governo.

    Link: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/sindicalistas-marcam-manifestacao-pro-lula-para-16-de-agosto

    MEU COMENTÁRIO:
    O PT quer guerra nas ruas. Eu preocupo pois os movimentos a favor do PT só pensam em brigas. Se não tomarmos cuidado o PT intimidará o povo brasileiro com ameaças reais e ficaremos "a ver navios". Em São Paulo, o governador Geraldo Alckmim(PSDB) está fazendo de tudo para melar as manifestações anti-Dilma pois ele quer vê-la sangrando no governo até 2018 quando ele espera concorrer para Presidente da República. Para Alckmim, o Brasil que se lasque até lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PT quer guerra nas ruas assim como os MST, UNE, PC do B, venezuelanos e por aí fora. Tudo bem, têm esse direito de nos querem matar. Mas acontece que somos muitas dezenas de milhões e se entre esses houver pelo menos 100 mil que não querem ser gado para ser abatido como aconteceu na ex-URSS nos campos de concentração oureeducação, na Alemanha nazista, com os Khemers Vermelhos no Camboja, o que o Japão fez na China, e por aí adiante, então esses filhos da puta dos MST, UNE, PC do B, venezuelanos e por aí fora, devem se preocupar e muito porque tem ainda muito ex-combatente que não gostam nem um pouco deles. Ou pensam que é só nos matar? São imortais? Então tirem o cavalinho da chuva.

      Excluir
    2. Não é propriamente guerra, mas intimidação. Os grupelhos: mst, cut, une.... que são patrocinados pelo PT usam da tática de guerrilha e não vão para o enfrentamento. A minha preocupação é que precisamos encher as ruas de gente de boa fé, pacífica e vem os brutamontes do PT com foice, machado, enxada e com cara de manga azeda. Isso espanta os manifestantes. Porém reafirmo que devemos sair sim às ruas no dia 16 próximo e mostraremos que basta do PT do Lula e Dilma. Queremos novas eleições ainda neste ano.

      Excluir
    3. Isso mesmo.São poucos os ex-combatentes que se manifestam e não têm medo de morrer,por que,se preciso,sabem matar também...

      Excluir
    4. Estou pronto para guerrilha urbana, pois já a fiz. É muito dificil, mas dá gozo. Para o mato, já não tenho energias suficientes, pois andar dezenas de kilometros, está fora de questão. Quanto a morrer, que a morte seja rapida. Uma vez combatente, sempre combatente, pois não se esquece.

      Excluir
  4. A luz vai ser aumentada no minimo 20%. A vaca voltou a mentir e a se esquecer da Medida Provisória 675.

    "Uma pedalada nas contas de luz – Por Elio Gaspari

    Vem aí uma nova pedalada, daquelas que passam despercebidas porque são complicadas e tornam-se simples quando aparecem como tungas. Cozinha-se uma pedalada elétrica que se materializará nas contas de luz dos próximos anos. Trata-se de jogar nos consumidores um espeto de R$ 20 bilhões que as empresas geradoras de energia hidrelétrica perderam por terem sido levadas a contratar serviços de usinas térmicas.

    No Brasil criou-se um sistema maluco. Um órgão da burocracia do Estado, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), diz às geradoras quanta energia devem oferecer. As empresas não têm assento nesse comitê e só lhes resta obedecer. Se há chuva, há água e tudo vai bem. Se faltam chuvas, elas devem comprar energia mais cara às térmicas. Fazendo isso aumentam seus custos.

    As empresas sustentam que compraram energia térmica porque o CMSE obrigou-as a operar numa situação financeiramente insustentável. A brincadeira teria custado uns R$ 20 bilhões. De algum lugar esse dinheiro deverá sair. Diversas geradoras conseguiram liminares na Justiça reconhecendo-lhes o direito de não pagar essa fatura.

    Criada a encrenca, o governo e as elétricas poderiam expô-la publicamente, pois alguém terá que micar com pelo menos R$ 20 bilhões.

    Como ensina o bilionário Warren Buffett, quando você não sabe quem vai micar, procure um espelho. Cozinha-se em Brasília um jabuti para ser incluído na Medida Provisória 675. Ele dará às operadoras o direito de repassar a conta para as tarifas nos próximos anos.

    Assim, a conta de luz ficou mais cara porque não choveu. Quando chover, continuará cara porque pedalaram nas contas (Folha de S.Paulo, 9/8/15)"

    http://www.brasilagro.com.br/conteudo/uma-pedalada-nas-contas-de-luz-por-elio-gaspari.html

    ResponderExcluir
  5. Os apoleirados são insensívels a panelaços e gritos do povo.
    A Bastilha caiu na França,mas os Bastardos empoleirados em Brasília só caem se o demônio permitir,pois,parece que até Deus se aborreceu com tanta sacanagem.

    ResponderExcluir
  6. Tirar a Dilma do poder significa tirar do poder executivo o comunismo que já acabou com vários países (como a antiga URSS). No dia 16 de agosto, fora comunistas corruptos, fora Dilma!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.