Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

terça-feira, 19 de julho de 2016

Bolha imobiliária próximo do fim.


A Caixa Econômica anunciou que vai desembolsar R$ 90 bilhões em novos financiamentos imobiliários em 2016, repetindo o volume do ano passado. No primeiro semestre desembolsou R$ 40 bilhões, alcançando o saldo do crédito imobiliário da Caixa em cerca de R$ 400 bilhões. 

Para alcançar a meta a Caixa Econômica Federal vai facilitar o financiamento de imóveis para classe média alta. O teto do valor máximo do imóvel a ser financiado pela Caixa vai passar de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões. Para unidades que valem mais de R$ 750 mil, a Caixa vai aumentar o percentual de financiamento de 70% para 80%. Os juros continuam entre 10% a 11%, para inflação corrente de 9,5%.

O governo Temer tenta dar "gás" ao setor imobiliário que teve a sua bolha estourada no meado de 2012. Vocês podem ler alguma das matérias postadas neste blog, fazendo pesquisa através da janela própria localizada no canto superior à direita desta página. Os imóveis valorizaram acima da inflação no período 2003 a 2012, como uma verdadeira "bolha imobiliária".

Desde segundo semestre de 2012, o mercado vem sentindo o desaquecimento. A procura pelos imóveis novos vem caindo substancialmente, provocando a estabilidade do preço em valores nominais, que significam perda em relação à inflação. Segundo SECOVI-SP, no primeiro semestre deste ano, continuava a queda de venda em relação ao mesmo período do ano passado. A "bolha imobiliária" continua no chão, ainda. O quadro do setor só vai mudar com a recuperação da economia previsto pelo governo e agentes econômicos, para o próximo ano. 

Fica valendo a máxima: O setor de construção civil é o primeiro que entra na crise e também o último a sair da crise econômica do País. 

Aqueles que pensam em comprar o imóvel novo, será uma excelente oportunidade de fazê-la, aproveitando o preço deprimido e a fragilidade dos empreendedores imobiliários. Os empreendedores imobiliários estão com "corda no pescoço", pagando juros nos saldos devedores de financiamentos junto a Caixa ou a uma qualquer instituição financeira. 

Faça a escolha com parcimônia! E, bons negócios!

Ossami Sakamori











@ApoioTemer


2 comentários:

  1. A lei da oferta e da procura age de forma menos especulativa quando se tem visão que quem esta no governo não fica fazendo cirandas e nem tentando obter dos tais mais pobres que nunca hão de conseguir sua moradia via este modelo benesses eleitorais. É hora da sociedade brasileira começar a entender o jogo comercial e principalmente o jogo político. E CUIDADO com os pilantras de plantão...

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.