Receba novas matérias via e-mail adicionando o endereço

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Dilma é "zika presidente" !

Crédito da imagem: Estadão

Pela falta de aceitação do seu governo pela população, presidente Dilma passa à ofensiva, programando exposição à mídia através de um tema muito delicado, sem solução no curto prazo, o combate aos mosquitos aedes aegypti, transmissor do "vírus zika". O marqueteiro orientou Dilma fazer campanha contra "zika vírus", o que não é exatamente o objetivo desta campanha, creio. 

A presidente Dilma afirmou "erradicar o zika vírus", como se com apenas campanha de esclarecimento erradicasse o vetor da doença que é o mosquito "aedes aegypti". O mosquito que transmite o "zika vírus" é o mesmo que transmite a doença de "dengue". Missão impossível "erradicar" o mosquito aedes aegypti, se não conseguiu erradicar nos últimos 13 anos do governo do PT. 

Lembro-me que há discussão sobre a "dengue" transmitido pelo mesmo mosquito, o "aedes aegypti", há pelo menos 10 anos, no Brasil. O surto da dengue iniciou no governo Lula da Silva, mas nada de concreto foi feito para "erradicar" o mosquito. A comunidade científica internacional desenvolveu a "vacina contra dengue", que terá comercialização liberada para próximos 6 meses. Vamos lembrar que a "dengue" foi descoberto pelo menos há 20 anos!

Segundo relato dos "infectologistas", a vacina contra "zika vírus", só ficará disponível para comercialização, no prazo de 5 anos. O que se noticia é que a "descoberta" da vacina está a acontecer nos próximos 12 meses. Os infectologistas informam que há rígido protocolo à seguir para que a vacina seja liberado para comercialização. E ponto final. Não haverá vacina nos próximos 5 anos!

O que os infectologistas afirmam é que com a disseminação da doença provocada pelo "zika vírus" na maioria da população, acontecerá a "resistência natural" da população contra "zika vírus". O que afirmou o ministro da Saúde sobre o tema do "zika vírus" é verdadeiro: sobre os adolescentes contraírem a doença para ficarem "resistentes" à doença. Apenas, concordo com a opinião pública, a forma como foi colocado à ideia do ministro, em forma de "deboche". 

Foi preciso o ministro da Fazenda Nelson Barbosa afirmar que não faltará verbas para "zika vírus", para acalmar a comunidade científica brasileira que desenvolvem a vacina contra "zika vírus". 

O efeito "pirotécnico" da presença dos militares, 200 mil homens ontem e mais 50 mil homens entre amanhã e quinta-feira, vai custar ao Tesouro nada menos que R$ 136 milhões. O ministro da Fazenda vir ao público afirmar que não vai cortar as verbas, das pesquisas da vacina contra "zika vírus", no valor de R$ 8 milhões, chega aos raios da indecência. 

A Dilma é uma "zika presidente" que mente que a "zika vírus" será erradicada. 

Ossami Sakamori











7 comentários:

  1. A propaganda neste desgoverno é a única coisa que o faz com maestria. Sabem o que dizer e o que mostrar para acionar as regiões do cérebro de milhões de pessoas intactas a realidade.
    .
    Temos, pelo menos nós que pagamos tudo de tudo, a plena certeza que essa que esta presidente não esta nem ai com as pessoas que estão expostas ou infectadas por este mosquito.
    .
    Tudo faz para se manter em seu posto de guardiã secreta (a olhos vistos) da cadeira ambicionada pelo seu mentor.
    .
    Qual ação seria mais salutar para os estudos e a erradicação(impossível) deste mosquito e de suas sequelas malignas, liberar os 136 milhões gastos para os cientistas ou fazer 204 milhões de brasileiros de bobos?
    .
    Estamos sendo vedados com os olhos abertos. Estamos sedados por uma ideologia canhestra e por uma turma que faz e fará o diabo para não largar o poder...

    ResponderExcluir
  2. Você ter que utilizar um mosquito como cabo eleitoral é o "fim da picada".
    Lembro que na época das cédulas, antes do advento da urna eletrônica (excelente aliada), numa eleição em Vila Velha lá no Espírito Santo, o "mosquito" foi o campeão de votos para vereador. Uma espécie de tiririca invertebrado.
    Não tomou posse pq não conseguiram identificar exatamente qual era o picador-sugador, como também não conseguiram paletó para o mesmo.
    Agora o artrópode ressurge como ministro de estado

    ResponderExcluir
  3. Comunista é isso aí...
    Quem duvida procure ler o que os governos do regime vermelho faz com o povo de seus países.
    Tática usada pela sucuri (ou anaconda): aperta e solta, repetindo isso até matar a presa. P Q P ...

    ResponderExcluir
  4. A zika é mais forte que este governo.

    ResponderExcluir
  5. Sr Sakamori, o Brasil vive o dilea do mosquito transmissor da dengue a muito mais tempo. Veja abaixo:

    "Foco no mosquito é questionado após 30 anos de epidemias de dengue

    CLÁUDIA COLLUCCI
    DE SÃO PAULO
    31/01/2016 02h00
    6,6 mil
    Mais opções
    Publicidade

    O Brasil completa neste verão 30 anos de epidemias sucessivas de dengue. Desde 1986, o número de municípios com casos da doença saltou de 258 para 4.265 –70% do total–, segundo dados divulgados em 2015.

    No ano passado, o país viveu a maior das epidemias, com 1,6 milhão de casos e 863 mortes. Além da dengue, o mosquito Aedes aegypti tem causado também surtos de zika e chikungunya. O zika está associado a casos de lesões cerebrais e microcefalia... "

    Link:
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/01/1735561-foco-no-mosquito-e-questionado-apos-30-anos-de-epidemias-de-dengue.shtml

    ResponderExcluir
  6. Revitalizaram o aedes como programa de governo. Se pensarmos bem é o único que funciona de vento em popa.

    ResponderExcluir
  7. Vetor de três moléstias, agora passa a ser de quatro. Mosquito malvado!

    ResponderExcluir

Não há censura ou moderação nos comentários postados aqui.
De acordo com a legislação em vigor, o editor deste blog é responsável solidário pelos comentários postados aqui, inclusive de anônimos.